Huawei P10 & Huawei P10 Plus

[Review] Os irmãos Huawei P10, P10 Plus e a Leica

Design84
Ecrã88
Rendimento89
Câmaras92
Eco-sistema92
Reader Rating3 Votes92
Várias cores disponíveis
Câmaras com capacidade fantástica
EMUI 5
Bateria decente
A posição da coluna não é a melhor
Escorrega bastante
Ganha dedadas facilmente
O desenho bebe muito do iPhone 7
89

Em 2017 a Huawei entrou a todo o gás com a atualização da sua principal linha flagship, Huawei P com o lançamento do Huawei P10 na MWC em Barcelona.

A companhia chinesa tem desfrutado de um enorme sucesso nos últimos dois anos, o que levou ao desdobramento das suas linhas com a criação da Honor, que recentemente lançou o fantástico Honor 9.

Esse sucesso é notório e surge como resultado de uma forte aposta na imagem da marca, visível nos seus modelos que surgem com identidades muito próprias de cada um, e que se reflectem nos seus designs muito cuidados.

Resumo das Especificações
P10 P10 Plus
Ecrã 5,1″ – IPS-NEO LCD 5,5″ – IPS-NEO LCD
Dimensões 145.3 x 69.3 x 7 mm 153.5 x 74.2 x 7 mm
Peso 145 g 165 g
Resolução 1080 x 1920p 1440 x 2560p
RAM 4 GB 4 ou 6 GB
ROM 32 ou 64 GB 64 ou 128 GB
CPU Kirin 960
Câmara principal Dual 20 MP + 12 MP, f/2.2, OIS, Leica optics, 2x lossless zoom, phase detection and laser autofocus, dual-LED (dual tone) flash
Câmara frontal 8 MP, f/1.9
Bateria 3.200 mAh Li-Ion 3.750 mAh Li-Ion
Sistema Android 7.0 / EMUI 5.1
Cores Mystic Silver, Rose Gold, Graphite Black, Dazzling Gold, Dazzling Blue, Greenery Ceramic White, Dazzling Blue, Dazzling Gold, Graphite Black, Mystic Silver, Rose Gold, Greenery
Preço Aprox. 500 € Aprox. 700 €

Unbox e Primeiras Impressões

Tivemos em mãos as duas versões do Huawei P10, um Mystic Silver Huawei P10 com 4GB de RAM e 64GB de armazenamento interno, que é o meu smartphone pessoal há coisa de 5 meses. E um Graphite Black Huawei P10 Plus, com 6GB de RAM e 64GB de armazenamento interno, que a Huawei teve a amabilidade de nos emprestar.

Aqui falamos dos dois, e no final tentamos perceber as diferenças e qual vale mais a pena para diferentes utilizadores.

A apresentação e design de ambos é igual, e muito boa. A caixa que a Huawei preparou é, só por si, muito boa, e a forma como se abre, como que uma arca com um tesouro no interior, revela-nos o nosso Huawei P10, e deixa-nos logo encantados.

Huawei P10 Plus

O dispositivo em si, temos de reconhecer, é facilmente familiar, sendo que bebe muito do design dos iPhone 7, principalmente o Mystic Silver.

Fica ao critério de cada um dizer se isso é bom, pois faz-nos lembrar de um dos melhores dispositivos do mercado, ou mau pela falta de carácter próprio da Huawei neste caso.

Em ambos os dispositivos nota-se a qualidade do material e detalhe cuidado, ainda assim posso apontar logo uma coisa que não gosto – a posição da única coluna, na parte inferior, que facilmente fica tapada com a mão quer na vertical quer na horizontal.

Por outro lado, a posição do sensor de impressão digital foi alterada em relação ao Huawei P9, onde estava atrás. Agora temos este a ser colocado na frente.

Eu gosto do sensor atrás, por ser intuitivamente onde os dedos ficam quando o seguramos. Mas assim à frente tem a vantagem de poder desbloquear o dispositivo quando está deitado numa mesa.

Huawei P10 Plus

É notória a diferença de tamanho das duas versões do Huawei P10, e isso faz diferença. Quer na hora de usar o dispositivo na mão, ou de simplesmente o guardar no bolso das calças. No da frente claro.  Por favor, não guardem os vossos smartphones no bolso de trás…

O Huawei P10 é mais user friendly no que diz respeito ao seu tamanho, com um ecrã de 5,1″, tem uma boa dimensão que assenta bem no uso só com uma mão, e cabe bem no bolso. Já o Plus, parece ser grande de mais para usar com uma mão, e para alguns bolsos mais curtos.

Os Huawei P10 são dispositivos semelhantes na frente, com cantos arredondados e que trazem já uma película de vidro temperado para proteger o ecrã, com Gorilla Glass 5. É sempre bom uma protecção extra!

De resto, os Huawei P10 são algo diferentes na parte traseira, conforme os modelos, conforme as cores.

Alguns com uma superfície áspera, granulada, arenosa

Ambos os dispositivos ao nosso dispor têm a parte traseira com um metal liso. Já outros modelos, como os Dazzling Blue e o Greenery do Huawei P10, os meus favoritos em cor, apresentam uma parte traseira rugosa. Não a melhor sensação ao toque, para mim pelo menos.

Huawei P10 verde y azul

Os diferentes tipos de superfície resultam em diferentes comportamentos nas nossas mãos. Os dispositivos com partes traseiras mais lisas escorregam mais na mão que os dispositivos com a parte traseira rugosa.

Por muita vontade que tenhamos em exibir o design cuidado do Huawei P10, recomendo que arranjem alguma capa para evitar quedas.

Na parte traseira dos dispositivos temos em destaque o selling point destes dispositivos, as câmaras Leica no topo, numa área destacada. Um sensor monocromático de 20 MP e um RGB de 12 MP.

Vejamos como se portam!

Temos assim, à primeira vista, um dispositivo com um design algo gasto e que não nos indica Huawei mas sim um concorrente. Mas por outro lado, apresenta uma boa diversidade de escolhas que podem agradar a muitos na hora de comprar um dispositivo.

Tudo no bolso!

Admito desde já que gostei muito mais da minha experiência do Huawei P10 face ao Huawei P10 Plus, muito por conta do seu tamanho.

No dia a dia, o Huawei P10 tem uma boa dimensão para usar com uma só mão. Facilmente escrevemos no seu ecrã com o polegar, enquanto andamos nos transportes públicos ou na rua. E isso também se nota na hora de guardar o dispositivo no bolso.

Já com o Huawei P10 Plus não foi bem a mesma coisa…

Ao usar na mão muitas vezes precisava das duas mãos para o segurar e escrever ao mesmo tempo. Mesmo para segurar com uma, a ver algum vídeo, é grande e torna-se pesado. E para o guardar no bolso, não pode ser em qualquer calça, arriscando-nos a ficar com parte dele de fora do bolso.

Em termos de software, com o Android Nougat e a máscara do EMUI 5.1, em dispositivos com 4 ou 6 GB de RAM e um processador com o Kirin 960, temos um sistema bastante fluído, mesmo em multitarefas e aplicações em plano de fundo.

O ecrã é diferente entre os dois modelos, não só na dimensão como na resolução. O Huawei P10 Plus tem uma resolução 2K, mas no fim de contas a diferença não se nota quase nada. E eu vejo muitas séries todos os dias, nos transportes públicos.

Huawei P10 Plus

Nos dois modelos encontramos ecrãs de boa qualidade, principalmente em termos de brilho e a sua adaptação à iluminação envolvente. Nunca senti problemas ao usar o modo automático, quando entro em divisões menos iluminadas, ou saio para a rua ensolarada.

O painel utilizado, IPS-NEO, favorece muito os níveis de preto nas imagens reproduzidas, mas ainda espero que a Huawei venha a dar o salto para os AMOLED.

Os Huawei P10 apenas perdem para outros dispositivos na sua categoria de flagship no momento de correr aplicações com peso na parte gráfica, principalmente em gráficos 3D.

Ou seja, na hora de jogar, o Kirin 960 fica àquem do Snapdragon 835

Ao jogar Riptide e outros, senti o dispositivo a aquecer. Aliás, são as únicas alturas em que sinto o dispositivo a aquecer, isso e claro, ao usar o smartphone enquanto carrega. Mas isso nem é algo que se recomende.

Na hora de ver multimédia o Huawei P10 tem algumas coisas a seu favor, como o ecrã que já mencionei e também a sua grande capacidade de armazenamento. Com 64 GB podem muito bem passar várias séries ou filmes, e de boa qualidade, para verem sem estarem ligados à internet.

Contudo, há pontos que podiam ser melhorados, e refiro-me à qualidade de áudio. Seja para ouvir música ou os diálogos das nossas séries preferidas, a coluna solitária na base do dispositivo parece insuficiente.

Tenho como preferência usar sempre headphones, pois a coluna ou fica tapada pela minha mão que a segura e abafa o som, ou tenho de colocar o som ao máximo, onde se nota a falta de alguma qualidade no áudio. Nas músicas sentimos sempre a falta de alguma coisa, pois é um som nada envolvente e com níveis de baixos muito fracos.

Quanto à bateria, o comportamento é semelhante em ambos os dispositivos. Verdade que o Huawei P10 Plus conta com uma capacidade maior, mas esta dilui-se no ecrã de maior dimensão e resolução.

Com um uso diário mediano, com muitas mensagens e tempo perdido no Instagram. Com cerca de 2h de visionamento de séries, algumas chamadas, e o eventual salto ao Pokémon GO.

O Huawei P10 chega, regra geral, ao final do dia com cerca de 20% da sua bateria, suficiente para alguma emergência, ou umas lutas extras nos ginásios Pokémon GO ao pé de casa.

Tirar fotos a tudo!

Huawei P10 Plus

O ponto forte dos Huawei P10 são mesmo as suas câmaras, onde temos o culminar da parceria entre a companhia chinesa e uma das marcas mais reconhecidas do mundo da fotografia, Leica.

A câmara principal do Huawei P10, nos dois modelos principais, vem bem apetrechada, com dois sensores bem capazes.

A UI da câmara é bastante intuitiva e conta com uma série de modos que podemos explorar. Em modo automático, os seus sensores adaptam-se com relativa facilidade ao momento e à iluminação, com um simples toque no ecrã para escolher o ponto de focagem.

Podem ver algumas das fotos que tiramos aqui no nosso álbum!

Mesmo nas fotos em ambientes de baixa luminosidade, com alguma paciência, podemos sempre encontrar um meio termo. E se tivermos um tripé à mão, ou alguma forma de estabilizar o smartphone, podemos sempre usar o modo Supernoite que absorve de certa forma todos os traços de luz na noite para uma foto mais clara.

huawei p10 fotos

A câmara conta ainda com um modo de grande abertura angular, contudo a diferença não é assim tão grande, sendo que muitas vezes acabamos por nos esquecer dele.

Nestes Huawei P10 contamos com um modo de beleza, incorporado pela Leica, que nos permite brincar com o efeito Bokeh. Este anda na moda, aparecendo em todos os smartphones, mas notasse ainda algumas falhas. Algumas fotos infelizmente o efeito não fica uniforme.

Huawei P10 ou P10 Plus?

No geral os Huawei P10 são dispositivos bastante competentes, contudo o seu preço de lançamento era algo proibitivo e prejudicial. Colocava-os a par de outros flagships com outras vantagens, como o LG G6 equipado com o Snapdragon 821.

Nos últimos meses o seu preço baixou, com destaque para o modelo principal, o Huawei P10, que custa cerca de 500€.

Neste preço temos um dispositivo com um design cuidado, ainda que não grite HUAWEI mas sim APPLE, boa capacidade geral, uma bateria suficiente para o dia-a-dia, e um conjunto de câmaras muito bom.

O Huawei P10 Plus é apenas um peso maior na carteira

Já o Huawei P10 Plus, com um preço bem superior, entra noutra liga e perde o interesse. A memória RAM superior com 6 GB, a maior resolução de ecrã e maior bateria, ao contrário do que se poderia pensar, não acrescentam nada à experiência.

Não se esqueçam que o Mate 10 está quase a chegar, sendo que poderá vir com o Kirin 970!

Nutella Man
More Stories
UCTLL cover
Review – Uncharted: The Lost Legacy