wolfenstein-old-blood

Wolfenstein: The Old Blood – Review

[vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Wolfenstein The Old Blood é a expansão standalone de The New Order, desenvolvido pela Machine Games e publicado pela Bethesda e que, na minha opinião, foi um dos melhores jogos de 2014.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]

Campanha

[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Em The Old Blood, voltamos a encarnar B. J. Blazkowicz, que tem a missão de recuperar uma pasta com documentos importantes. Nesses documentos encontra-se a localização da fortaleza de Deathshead, que invadimos na primeira missão de The New Order. Esta expansão é assim uma prequela, que conta todos os eventos que levaram a essa invasão, e permite conhecer um pouco mais do passado de Blazkowicz.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_video title=”Trailer de lançamento de The Old Blood” link=”https://www.youtube.com/watch?v=Viv8e9_-kHo”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Para recuperar a pasta, Blazkowicz juntamente com o seu companheiro Wesley, infiltram-se naquela que é uma das mais icónicas fortalezas do mundo dos videojogos: o castelo Wolfenstein. Já nesta primeira missão, podemos sentir a pressão que recai sobre os ombros de Blazkowicz ao passarmos por pelotões de nazis armados até aos dentes, e somos até abordados por Jäger, um oficial sádico que quase nos faz pensar que a missão vai acabar ali. Infelizmente, a missão acaba mesmo por dar para o torto e somos capturados e atirados para as masmorras do castelo.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”5222″ alignment=”center” border_color=”grey” img_link_large=”yes” img_link_target=”_self” img_size=”large”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]No poço que serve de masmorra, encontramos aquele que será o “gadget” de eleição no jogo, o cano. Esta arma permite ser dividia em duas partes e é usada para escalar paredes ao estilo Call of Duty, abrir portas como um pé-de-cabra e até atacar inimigos ou executá-los de forma bastante visual.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”5225″ alignment=”center” border_color=”grey” img_link_large=”yes” img_link_target=”_self” img_size=”large”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Ao escaparmos do poço que nos prende, temos o primeiro vislumbre das tecnologias inimigas presentes em Old Blood. Sendo uma prequela, é natural que algumas ainda estejam em desenvolvimento, e um exemplo disso são os super soldados, equipados com uma minigun e armadura, que ainda não possuiam fonte de energia portátil, pelo que têm de estar ligados por cabo a um enorme transformador eléctrico.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Para podermos sobreviver a estes inimigos com apenas um cano, é necessário sermos furtivos. Mais uma vez, tal como em The New Order, podemos abordar os combates de forma furtiva, eliminando os inimigos um a um sem sermos detectados, ou entrar a matar. Nesta situação seria claramente necessária uma abordagem furtiva. Assim podemos passar pelos super soldados, desligar a sua ligação ao transformador, e acabar com eles com uma execução. A escolha da abordagem está muito dependente da dificuldade que escolhemos. O jogo possui uma dificuldade acima da média, e mesmo na dificuldade normal, houve situações que ponderei mal e acabei por ser abatido.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Após atravessarmos hordas de inimigos, acabamos por nos reunir com o nosso companheiro, apenas para sermos capturados de novo por Jäger. Numa sequência bastante intensa, somos torturados e o nosso companheiro é assassinado. Enquanto somos torturados numa cadeira eléctrica, Blazkowicz ameaça Jäger dizendo de que forma o vai matar, algo que me fez lembrar o terceiro filme de Riddick, onde existe uma situação semelhante.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Blazkowicz finalmente consegue libertar-se e fugir, numa sequência de fuga explosiva e espectacular.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_video title=”Fuga espectacular do castelo Wolfenstein” link=”https://www.youtube.com/watch?v=1s7uIXpjaJE”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Após a fuga, chegamos à vila de Paderborn, situada nas imediações do castelo e descobrimos que Helga, a oficial nazi que possui os documentos, se encontra numa taberna em Wulfburg, onde tem uma escavação para descobrir os segredos do rei Otto I.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Mais uma vez infiltramo-nos na taberna, e quando estamos quase a fugir com os documentos, somos abordados por Helga em mais uma situação extremamente tensa, mas conseguimos ser salvos devido a um enorme terramoto que arrasa por completo a cidade.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Ao sairmos da taberna deparamo-nos com um novo tipo de inimigo: zombies nazis. Confesso que fui apanhado completamente desprevenido por isto, pois The New Order focava-se na tecnologia e não no sobrenatural. Apesar das suas falhas, o Wolfenstein de 2009 foi um jogo que gostei bastante, então fiquei muito contente por ver que a parte sobrenatural da série não ficou esquecida nesta expansão.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”5228″ alignment=”center” border_color=”grey” img_link_large=”yes” img_link_target=”_self” img_size=”large”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Para confrontarmos Helga, vamos atravessar uma Wulfburg dizimada e a escavação cheia de corredores apertados, tumbas e câmaras de rituais, enquanto enfrentamos os tipicos nazis e os zombies, chamados Shamblers. Nesta ultima parte, ser furtivo torna-se mais complicado pois, se não matarmos os inimigos com uma execução, eles transformam-se em Shamblers e atraiem os inimigos que estiverem nas imediações.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Ao encontrarmos Helga, esta invoca um monstro enorme que vamos ter de enfrentar. Não é um combate propriamente dificil, apenas temos de conhecer o seu padrão de ataque, mas não deixa de ser uma luta intensa, muito devido ao tamanho gigantesco da besta. Após a sua derrota, o jogo termina numa cinemática onde somos resgatados por Fergus, nosso companheiro de The New Order, e de seguida somos enviados para o avião a caminho da fortaleza de Deathshead.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_video title=”Boss final de Wolfenstein: The Old Blood” link=”https://www.youtube.com/watch?v=0pdJw08UjnQ”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Old Blood possui todas as características que tornaram The New Order num jogo tão bom: Jogabilidade clássica, combinada com elementos modernos, boa variedade de armas, IA competente, voice acting muito bem conseguido, que alterna entre inglês e alemão para uma maior autenticidade.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]No entanto também possui as suas falhas, nomeadamente ao nivel gráfico com um pop-in irritante de texturas, muito característico do motor Id Tech 5. Também não existem muitas razões para voltar a jogar a campanha, excepto para encontrar os coleccionáveis e completar os desafios.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]

Performance

[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Ao nivel de performance, estamos perante um port com bastantes opções gráficas, no entanto, o jogo apresenta uma performance inconsistente, com variações de fps enquanto temos a câmara fixa num ponto e quedas nalguns sitios que podem chegar às 30 fps. No entanto, nunca compromete a jogabilidade, que se mantém sempre fluida.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Wolfenstein The Old Blood é realmente uma expansão à antiga. Numa altura em que a maioria dos DLC trazem tão pouco conteúdo e pedem preços exorbitantes, é com um enorme prazer que vejo expansões como esta que realmente adicionam algo à história e não custam os olhos da cara. O jogo custa 19.99€ e oferece entre 6 a 7 horas de campanha em dificuldade normal, que complementa um jogo, por si só, já com uma campanha fantástica. Desde Far Cry Blood Dragon que não via uma expansão tão boa e com tanto valor como The Old Blood.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/2″][vc_column_text]Pontos Positivos:

  • Combate clássico com elementos modernos
  • Liberdade de abordar os combates ao nosso gosto
  • Boa duração da campanha
  • Voice acting competente
  • Vários Easter-Eggs para descobrir
  • Preço atrativo
[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/2″][vc_column_text]Pontos Negativos:

  • Pop-In de texturas
  • Quedas de fps inexplicáveis
  • Poucas razões para repetir a campanha
[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *