Como fã de Terminator, tendo já visto todos os filmes inúmeras vezes, as minhas expectativas para este estavam bastante altas, em especial na esperança de que este pudesse tirar o sabor metálico da boca que Terminator 3 e 4 deixaram (não, não estou a dizer que estes últimos foram maus, mas tenho de admitir que fiquei desiludido).

Bom, graças a Deus, Alan Taylor, também realizador de Thor 2, conseguiu dar a volta a esta tendência, e tenho o prazer de dizer que o filme sai com um “Sim” em muitos aspectos.

Introdução

Para começar, tenho de falar dos primeiros 5 minutos de filme, que se resumiram a duas coisas tão simples mas que funcionam tão bem – Judgement day + Terminator Theme. Que mais nos coloca naquele mundo do que ver bombas atómicas a cair e detonar enquanto ouvimos o incrível e agora clássico theme, que tem agora uma nova versão, mas que não perdeu nem um pouco do que tinha, e que deixo aqui para ouvirem enquanto continuam a ler esta review.

Toda esta primeira parte até ao momento em que Kyle é enviado para o passado é por si só um dos momentos altos do filme, não só por nos deixar ouvir a theme song que tínhamos tantas saudades, como mostrar algumas cenas excelentes de guerra entre humanos e máquinas, apesar de algo curta (não sendo esse, e tenho de admitir infelizmente, o foco do filme), e uma cena final que nos deixaria a perguntar o que iria acontecer a seguir, se o trailer não nos tivesse estragado a revelação. Sim, estou a falar deste aqui em baixo, e se ainda não o viram nem o filme, por favor fiquem-se só pelo segundo.

História

Dou já aqui um aviso – mesmo que já tenham visto os filmes anteriores, a probabilidade de conseguir acompanhar a história deste filme é um desafio por si só. E mesmo com a “parte informativa” do inicio, se este capitulo é o vosso primeiro passo nesta saga de filmes, então muito provavelmente esta vai ser a vossa cara a partir dos 30 min

História com Spoilers

Portanto…. 3…. 2…. 1…. GO

O filme começa no futuro, quando conhecemos Kyle Resse e John Connor, mas quando a guerra esta prestes a terminar, Skynet manda um Terminator para o passado para matar a mãe de Connor e assim ganhar a guerra. Kyle oferece-se assim para ir ao passado salvá-la. No entanto, quando chega a esse tempo, Sarah já esta a ser protegida  e perseguida por outros dois Cyborgs, mandados para um tempo 10 anos antes de um tempo anterior. Isto inicia uma linha temporal alternativa e, quando isso acontece. Kyle começa a ter memórias da sua infância no futuro alternativo, que lhe dizem que Skynet agora vai ligar 20 anos mais tarde, portanto eles viajam para o futuro alternativo, onde descobrem que o John Connor do primeiro futuro foi mandado para este presente e que agora é ele que liga a Skynet. Ao mesmo tempo, o T-800 percorre toda a linha temporal até esse futuro, que é agora o presente, numa maneira de tentarem assegurar que a Skynet desta nova linha temporal não seja ligado. No fim, Kyle vai falar com o seu eu da infância desta segunda linha temporal, para lhe passar a mensagem que ele por sua vez obteve em memória quando ainda estava no passado da primeira linha temporal…..

E pronto, é  basicamente isto.

História sem Spoilers

Para aqueles que já viram os filmes anteriores, é muito simplesmente uma repetição do primeiro filme, com a adição de um acontecimento 10 anos antes que alterou a linha temporal.

Para aqueles que não viram, o filme passa-se em três tempos distintos: o depois, o momento decisivo e o passado. Tudo gira à volta do judgment day, o dia em que um sistema de IA toma posse do sistema de armamento da raça humana, e usa isso para a destruir. O foco do filme são quatro personagens: John Connor, T-800, Sarah Connor, Kyle Resse, e a sua luta de 3 gerações para não só impedir como também lutar contra este organismo cibernético.

Casting e Personagens

Em primeiro lugar, começo com nota positiva, pois não só temos um elenco de luxo neste filme, com Emilia Clarke como Sarah Connor, Jason Clarke como John Connor e Jai Courtney no papel de Kyle. Para além disso, como é obvio, sendo Terminator, WE GOT ARNOLD.

Todos os actores fazem o seu papel com boas performances, apenas com alguns pontos baixos de vez em quando ([Spoilers] eu sei que a Sarah é forte, mas ninguém reagiria assim quando vê o que acontece com o filho).

No entanto, não consigo concordar com o cast escolhido. Sarah e Kyle, quando apareceram pela primeira vez, eram já adultos, e aqui não consegui deixar de achar estranho ver duas pessoas com ar tão novo no papel de personagens que já têm tantos anos. Nesse aspecto, acho que este filme cometeu o mesmo erro que o Superman Returns – cast, que apesar de serem todos excelentes actores, são novos demais para as personagens que representam. Se este é o vosso primeiro capitulo nesta saga provavelmente não concordam comigo, mas esta é apenas a minha opinião.

Outro ponto importante foi também o relevo de cada personagem. O T-800, interpretado por Arnold Schwarzenegger, sempre foi uma das imagens de capa destes filmes. No entanto, durante toda a duração do filme, não pude deixar de sentir que ali não passava de uma mascote de grupo, com demasiadas “old jokes”, deixando o resto do filme para as outras personagens que, apesar de já construídas de todos os filmes anteriores, não conseguiram tomar conta do recado.

Efeitos Especiais

Dos melhores aspectos do filme. Já se passaram 31 anos desde que o primeiro Terminator saiu à luz do dia, e 24 desde que o segundo capitulo da saga saiu nos cinemas de todo o mundo, e este filme usa esse avanço tecnológico com toda a força.

Logo no inicio, as enormes explosões nucleares dão-nos uma boa ideia do que nos espera – o calor da explosão, a onda de choque, que desintegra tudo na sua passagem em milhões de partículas, a atenção ao detalhe é simplesmente incrível e que só continua a subir a partir daí.

Tudo o que os anteriores fizeram bem com a tecnologia da sua altura, este filme melhorou tudo exponencialmente com o que temos no presente. O metal liquido dos T-1000, o incrível efeito de partículas do T-3000, os cenários, especialmente as máquinas do tempo, as animações, que antes eram lentas e muito clunky, agora estão fluídas e espectaculares, deixando-nos usufruir de combates entre máquinas da mesma maneira que vemos artes marciais, e ser um cybernetic organism a fazê-lo só torna tudo ainda mais awesome.

Em resumo, dou já aqui os parabéns à equipa de animação e efeitos especiais que trabalhou neste filme, pois, na minha opinião, merece uma nomeação para Óscar de best visual effects.

Negativos

Num filme de máquina do tempo e time travel, como disse, haverão sempre buracos na história, e mesmo dizendo que o filme faz um excelente trabalho em organizar a informação e o que se passa, eles estão lá. Também a nivel de historia algumas coisas não têm lógica, como por exemplo, o que levaria os herois a viajar para o futuro 1 dia antes da Skynet ser activada, quando poderiam ter 20 anos para o fazer. Pareceu-me uma maneira muito obvia e barata de adicionar aquela tensão de contra-relógio, mas que foi demasiado ilógica. E outra questão que coloco, se estão sempre a dizer em todo o filme que qualquer metal que entre na máquina do tempo será instantaneamente desintegrado pelo campo magnético, como é que o T-800, o T-1000 e o T-3000 conseguiram fazer a travessia?

Depois, senti que toda aquela tensão dos primeiros filmes, a ideia de que algo indestrutivel, letal, que não tem qualquer remorso ou ideia de moral nos está a perseguir, e por muito mais que fujamos ela irá sempre nos alcançar, neste filme desapareceu completamente. Alias, [paragrafo contem spoilers] quando os primeiros 30 minutos de filme consistem em destruir os modelos de Terminator dos primeiros dois filmes, que na altura precisaram de 5 horas para serem destruidos, uma pessoa percebe logo que o jogo do gato e do rato neste filme se joga de maneira muito diferente. Adicionando a isso o facto de os humanos neste filme jogarem ao ataque, e o T-3000, vilão principal, só aparecer depois do intervalo e levar muito mais pancada do que aquela que dá, aquela tensão psicológica de perseguição neste filme é inexistente, e tenho muita pena desse facto.

 Conclusão

Não consigo entender o porquê da nota no Website Rottentomatoes.com. Sim, claro que o filme tem falhas na história e o relevo das personagens parece um pouco fora de ordem e esta até mal escolhido em termos de actores, mas com as cenas de acção interessantes e intensas, os inacreditáveis efeitos especiais, o script que, apesar de confuso, está sólido e bem explicado, e a performance de todos os actores, eu não partilho a mesma opinião. Muito pelo contrário, este filme fez-me recuperar o gosto que tenho por esta saga, e gostei muito de voltar a ver o T-800 a mandar as one liners que todos nós já ouvimos pelo menos uma vez, na internet ou nos filmes anteriores.

Até lá,

História75%
Acção80%
Efeitos Especiais95%
Personagens-Actores70%
Entretem?80%
Reader Rating 0 Votes
0%
No more articles