Review - Wipeout Omega Collection: Um novo futuro?
Conteúdo para muitas horasGráficos atuaisExcelente performanceBanda Sonora inclui The Prodigy
Hitboxes dos painéisIA adversária odeia-vosAlguma repetição
80%Valor Total
Votação do Leitor 1 Voto
86%

Wipeout Omega Collection traz de volta o passado, numa coleção com os olhos postos claramente no futuro da série.


Wipeout 3 foi provavelmente um dos jogos que mais joguei na Playstation 1. Tinha excelentes gráficos para a altura, uma jogabilidade rápida e incrivelmente precisa e uma boa variedade de pistas e veículos.

Com o passar dos anos, a série foi-me passando um pouco ao lado, quer por ter começado a jogar outro tipo de jogos, quer pelo facto de que os títulos seguintes da série foram lançados para as consolas portáteis da Sony, com exceção de Wipeout HD, que foi lançado em formato digital para a PS3.

Com a série praticamente morta desde 2012, ano em que saiu Wipeout 2048 para a PSVita, muitos estúdios independentes têm vindo a tentar trazer de volta este género de corridas futuristas, sendo que nenhum conseguiu um grande impacto que justificasse uma nova explosão que realmente  o impulsionasse.

É então que Wipeout Omega Collection é anunciado para a PS4, algo que me deixou bastante contente visto que, com as novas tecnologias, seria bastante interessante ver como seria jogar este clássico com gráficos e jogabilidade atuais.

No entanto, Wipeout Omega Collection não é bem um novo jogo original, mas sim uma compilação de dois títulos anteriores, totalmente refeitos para a PS4: Wipeout HD e Wipeout 2048. Apesar de ter preferido que fossem refeitos os jogos da Playstation 1, devido à sua idade, a verdade é que esta coleção foi uma excelente oportunidade de jogar aqueles títulos que foram lançados no período em que a série me passou ao lado.

Mas então como ficou esta Wipeout Omega Collection? Vejamos.

O pack completo

Wipeout Omega Collection não contém apenas as versões básicas de Wipeout HD e Wipeout 2048. Também foram incluídos os conteúdos adicionais, em particular, a expansão Fury de Wipeout HD.

Além disso, todas as  pistas, modos, veículos e armas existentes foram incluídos, o que significa um enorme conteúdo incluído no pacote. Por 34.99€ diria que nem é um mau preço para o que o jogo oferece, considerando que existem jogos mais caros a oferecer menos. Ainda assim, também existe o argumento de que o jogo é caro para um remake, mas isso fica ao vosso critério, o meu trabalho é dizer-vos o que o jogo tem de bom e mau.

Apesar de ser um jogador praticamente 100% offline, no que toca a jogos de corridas, se gostam de modos online ficarão agradados por saber que podem jogar todos os modos contra amigos ou desconhecidos, online.

Wipeout 2048

Wipeout 2048 é o primeiro pacote que provavelmente jogarão quando iniciarem o jogo, visto que é o primeiro a aparecer. De qualquer forma podem escolher qualquer um dos três à vossa vontade.

WIPEOUT™ OMEGA COLLECTION_20170329102924

A campanha de Wipeout 2048 está dividida em três secções, 2048, 2049 e 2050. A estrutura da campanha é praticamente linear, sendo que quando completam uma prova, irão desbloquear o nó seguinte, geralmente com três ramos que acabam numa prova final.

Cada prova tem dois objetivos, sendo que o primeiro é obrigatório completar para desbloquear a prova seguinte e o segundo equivale a um objetivo mais complicado que testa a vossa habilidade ao máximo.

Sempre que terminam uma corrida, recebem pontos de experiência com os quais podem subir de nível. Ao atingirem um determinado nível irão desbloquear novos veículos.

Cada uma das secções possui mapas próprios pelo que, em cada uma, acabam por repetir várias vezes o mesmo mapa. No entanto, esta escolha por parte do estúdio é muito importante, como veremos de seguida.

Wipeout 2048 é completamente diferente dos outros dois no que toca a UI, progressão e veículos, o que faz com que pareça que estão a jogar um jogo novo quando começarem Wipeout HD ou Fury. Apesar de ter gostado bastante do estilo de progressão, existem alguns veículos que requerem um nível bastante elevado, o que significa ter de repetir várias vezes as mesmas corridas. Outra queixa que tenho é o pico de dificuldade exagerado quando chegamos à parte 2050, que segundo vi, foi uma queixa comum na altura em que o jogo saiu e devia ter sido corrigida na Omega Collection.

Wipeout HD e Fury

Wipeout HD foi um remaster de Wipeout Pure e Pulse, os dois títulos da PSP, sendo que a expansão Fury foi o único conteúdo realmente original para Wipeout HD.

Portanto esta versão é uma espécie de remake do remaster. Ainda assim, não deixa de ser um excelente jogo, com um sistema próprio de progressão sob a forma de Loyalty Points, que são ganhos sempre que terminam uma corrida com naves de uma determinada marca. Assim que atingem um determinado número de pontos, desbloqueiam novas naves, novas pinturas ou novos HUDs.

WIPEOUT™ OMEGA COLLECTION_20170329112013

Wipeout HD e Fury oferecem 8 eventos cada, com 87 e 80 provas respetivamente. Existem alguns modos de jogo que não aparecem em 2048, assim como modos de jogo exclusivos de Fury, que é uma expansão muito mais focada no combate, que propriamente nas corridas.

Ao contrário de 2048, nestes começam com duas provas disponíveis, que ao serem terminadas desbloqueiam as provas que estão à volta, numa espécie de colmeia, não existindo uma prova final per se.

Racebox

Além das campanhas, podem criar uma prova no modo Racebox, no qual vão ter disponíveis todos os modos de cada campanha, para as suas respetivas pistas, com a possibilidade de juntarem um amigo em ecrã divido.

Este modo é bastante útil para porem as vossas habilidades à prova, divertirem-se com um amigo, treinar uma determinada pista ou modo de jogo e caçarem muitos dos troféus existentes no jogo.

Modos de jogo

Existem modos de jogo para todos os gostos. Desde os clássicos de corridas com e sem armas; Time Trials nos quais têm de terminar um determinado número de voltas no tempo limite; Fast Laps que requerem que terminem uma volta no tempo limite, dentro das 7 voltas disponíveis; Zone que torna os mapas completamente abstratos e psicadélicos, que vos coloca numa corrida sem limite de tempo ou voltas, mas a nave acelera sozinha e não podem travar, sendo que vai ficando mais rápido ao longo da prova.

Para os amantes da destruição existe o modo Combat, um modo Free For All no qual têm de causar danos aos rivais e atingir um determinado número de pontos; Eliminator, no qual têm de atingir também um certo número de pontos, mas as armas causam mais dano e apenas reparam a nave na linha de chegada; Zone Battle que tem o mesmo objetivo de Zone mas agora não estão sozinhos no mapa, sendo que têm de chegar primeiro à velocidade alvo e Detonator, um modo também ao estilo Zone mas no qual têm de usar metralhadoras para destruir minas que estão no caminho.

WIPEOUT™ OMEGA COLLECTION_20170329111556

O meu modo favorito é de longe o Combat, pelo caos puro que se gera naquele modo, especialmente quando todos os jogadores disparam as armas ao mesmo tempo e fica uma confusão desgraçada. O modo Zone era um modo que não me agradava muito no início, mas à medida que fui entendendo como funciona, fui gostando cada vez mais dele, ainda por cima sendo este o modo no qual atingem mais velocidade, chega a um ponto em que apenas veem o que está imediatamente à vossa frente. É um verdadeiro teste aos vossos reflexos.

Os mapas e a sua importância

Como disse anteriormente, Wipeout Omega Collection sofre um pouco de repetição no que toca aos mapas que aparecem. Por exemplo, em Wipeout HD e Fury existem mais de 160 provas, mas apenas 16 mapas, sendo que quatro deles são exclusivos do modo Zone. Isso significa, que em média vão jogar no mesmo mapa 10 vezes ao longo da campanha, pelo menos uma vez em cada modo de jogo.

Isto pode fazer com que, caso não gostem de um determinado mapa, como no meu caso, Sebenco Climb, tenham de sofrer para terminar algumas das provas nesse mapa. No entanto, o design dos mapas faz com que seja bastante útil esta repetição.

Em Wipeout 2048, cada uma das 3 secções possui os seus próprios mapas, o que significa que vão jogar bastantes vezes no mesmo mapa. Isto fará com que comecem a conhecer melhor as pistas, quais os melhores atalhos e com o tempo, conseguirão antecipar os obstáculos mais difíceis e onde estão os painéis de velocidade e poderes.

Isto é extremamente útil para quando quiserem subir a dificuldade, que requer um enorme conhecimento da disposição dos painéis, pois algumas provas são quase impossíveis de passar se não passarem em todos os painéis de velocidade, ou não souberem usar o poder de turbo no momento certo.

Se costumam jogar FPS competitivos, como Counter Strike, sabem que é de importância vital conhecer os locais onde colocar granadas, por onde atacar ou onde defender. O pensamento é semelhante com as pistas de Wipeout Omega Collection, e será extremamente útil quando forem caçar os troféus que requerem que joguem contra IA na dificuldade maior.

Controlos e jogabilidade

No que toca a controlos, não devem ter problemas em saltar entre os diferentes jogos, visto que o esquema de botões é essencialmente o mesmo.

WIPEOUT™ OMEGA COLLECTION_20170329105943

No entanto, algo que não me agradou muito foi a sensibilidade dos travões por defeito. Felizmente, existe uma opção que vos permite regular esta sensibilidade. Além disso, ainda podem controlar as naves com o sensor de movimento do comando, que vos permite afinar melhor a direção do veículo.

Outra coisa que não me agradou, foram as hitboxes dos painéis de velocidade e poderes, que são demasiado justas, na medida em que é frequente passarem por uma e o jogo não registar, visto que é completamente obrigatório que passem mesmo com a nave por cima da hitbox toda.

Além disso, começam sempre as corridas em último, algo bastante punitivo em certos modos nos quais é possível utilizar armas, visto que praticamente não vão conseguir capturar poderes dos primeiros painéis, visto que quando são utilizados, ficam desligados por breves instantes. Em vez disto, os jogadores deviam ser colocados de forma aleatória.

Para terminar, a IA odeia-vos. Isto significa que mesmo que não estejam em primeiro, serão quase sempre alvo da sua fúria, especialmente no que toca a ataques teleguiados. Chegou ao ponto de estar em 2º e ser atingido pelos mísseis dos outros jogadores controlados pelo computador, ao ponto de até passarem por mim e deixarem um rasto minas e bombas num sítio que era praticamente impossível de evitar, mesmo tendo ficado em último lugar.

Gráficos e som

Graficamente, Wipeout Omega Collection não desilude, oferecendo bons efeitos de luz, paletes de cores vivas, especialmente no modo Zone e excelente detalhe e reflexos nas naves. No entanto, alguns mapas apresentam zonas com uma geometria bastante básica, em particular no que toca ao público nas bancadas.

wipeout-omega-collection-screen-01-ps4-eu-05dec16

Ainda assim não deixa de ser um jogo bonito e se jogarem na PS4 Pro podem apreciar em particular os efeitos de luz e cores melhorados devido ao HDR, além de maior resolução.

Mesmo não tendo uma PS4 Pro, ficarão contentes por saber que o jogo corre a 60 FPS em ambas as consolas, algo que é de extrema importância num jogo de corridas, e mais ainda num jogo cuja velocidade requer fluidez e boa resposta dos comandos.

Além disso, o jogo inclui o já quase obrigatório Photo Mode, com um bom leque de ferramentas para os fotógrafos de consola.

No que toca ao som, as naves possuem sons distintos, dependendo da sua marca, sempre que um inimigo captura um poder existe um anúncio, pelo que podem ver imediatamente o que vão disparar contra vocês. Alguns dos poderes que usam, nomeadamente o piloto automático, avisa-vos quando começa e quando vai acabar, para que não se percam ao retomar o controlo da nave.

Para terminar, a banda sonora está espetacular, com música eletrónica que mostra bastante bem o ritmo frenético do jogo e inclui alguns dos maiores nomes da indústria, como The Prodigy, Sweedish House Mafia e Boys Noize.

Conclusão

Wipeout Omega Collection é claramente um teste para ver se o futuro da série tem pernas para andar. Foram colocados os jogos mais recentes, talvez por serem mais fáceis de desenvolver, mas no futuro gostaria de ver os jogos da Playstation 1 com o mesmo tratamento que Wipeout HD e 2048.

Quanto à coleção em si, existe aqui conteúdo suficiente para muitas horas de jogo e diversão, se souberem ignorar a repetição inerente a este modelo de jogos de corridas mais clássico. Se como eu, estiveram bastante tempo sem jogar um Wipeout e gostariam de voltar a pegar na série, a Omega Collection é sem dúvida o jogo para vocês e vão sentir aquela nostalgia dos anos 90.