Resident Evil 3 Cover

Review – Resident Evil 3 Remake

Review dos Leitores0 Votes
0
O Melhor
Excelente Grafismo
História recheada de momentos intensos
Imensos desafios para completar
O Pior
Campanha bastante curta
Racoon City pouco expandida
Modo multijogador mediano
70

Foi há pouco mais de um ano que a Capcom lançou o remake de Resident Evil 2, indiscutivelmente um dos melhores jogos do ano passado e um jogo que elevou a série a um novo patamar de qualidade, no que toca a gráficos, jogabilidade e imersão.

Este ano, temos finalmente o Remake de Resident Evil 3, mas infelizmente, parece que a Capcom deu um passo maior que a perna e estatelou-se ao comprido com este jogo. Não é um mau jogo, mas precisava de mais ambição.

O Nemesis de Resident Evil 3

Uma das maiores críticas ao Resident Evil 3 original, era o facto de reutilizar muitos dos assets de Resident Evil 2, o que do ponto de vista da história até faz sentido, visto que se tratam de dois jogos no mesmo período temporal.

No remake de Resident Evil 3, a Capcom decidiu optar pela mesma estratégia, pelo menos no que toca aos zombies e à decoração dos cenários, mas infelizmente, deixou-se ficar por aqui.

A campanha de Resident Evil 3 Remake pode ser terminada em cerca de 5-7 horas dependendo da dificuldade. A minha principal queixa é a forma como a Capcom podia mas não expandiu significativamente as secções em Racoon City.

Resident Evil 2 conseguiu espremer bastantes horas de jogo dentro da esquadra da polícia fazendo uso de puzzles inteligentes e backtrack bem implementado. Em Resident Evil 3 não existem puzzles, e a maior parte da exploração é opcional, visto que apenas podem receber itens ou equipamento que vão ajudar-vos durante os combates.

Resident Evil 3 tem menos foco no survival horror e mais em acção intensa, perseguições e matar dezenas de zombies. A maioria dos níveis é mais linear que no jogo anterior (que por sinal, também tinha bastantes secções lineares), mas a forma como estão implementados faz com que incentive ao “speedrun”, em vez de exploração cuidada como aconteceu no anterior.

Resident Evil 3 Nemesis

Por outro lado, a vantagem deste design é que evita a repetição dos níveis. Tirando a zona inicial, onde andam às voltas para trás e para à frente à procura de atalhos e itens escondidos, o resto do jogo é composto por becos em Racoon City, um hospital, esgotos e um laboratório secreto.

Esta zona inicial, podia ter sido expandida, com mais tipo de zonas porque da forma como está, sabe a pouco. Quanto às restantes não tive qualquer problemas.

O complemento a Resident Evil 2

Se Resident Evil 3 fosse uma expansão standalone para Resident Evil 2, não ficaria surpreendido. Aliás, teria sido a estratégia ideal a meu ver.

A história de Resident Evil 3 começa um pouco antes e termina após os acontecimentos de Resident Evil 2. Neste jogo jogamos principalmente com Jill Valentine, mas algumas secções são jogadas no papel de Carlos Oliveira, um mercenário que trabalha para o exército privado da Umbrella.

Em vez de terminarmos o jogo com Jill e depois novamente com Carlos, as missões de ambos ocorrem de forma quase intercalada, geralmente com saltos temporais que se juntam quando acabamos as partes de cada um.

Resident Evil 3 03

Sinceramente, prefiro mais esta forma, mas poderiam ter existido mais níveis com Carlos, uma vez que jogamos com ele cerca de 3 vezes, em que uma delas é uma espécie de demo da esquadra da polícia de Resident Evil 2 (pelo menos explica alguns dos acontecimentos que antecedem o jogo).

A estrela deste jogo é Nemesis. A arma biológica criada pela Umbrella que é basicamente um Mr X de Resident Evil 2 a esteróides.

Nemesis persegue-vos de forma imparável durante várias alturas do jogo e é, no fundo, o único boss do jogo com o qual lutam por várias vezes. As lutas são bastante interessantes e existem mudanças suficientes nas mecânicas que evitam a sensação de repetição.

Quando encontram Nemesis, podem tentar derrotá-lo, o que é mais fácil do que estava à espera. Uma ou duas granadas e uns tiros de shotgun e conseguem fazê-lo ajoelhar. Apesar de existir a ideia que devem apenas fugir, derrotar Nemesis beneficia-vos bastante, uma vez que conseguem obter caixas especiais que podem conter peças para as armas, ou munições.

A IA de Nemesis não é muito diferente da que vimos em Mr X, com vários ataques que se tornam fáceis de desviar utilizando o sistema de esquiva após os observarem algumas vezes.

RE Engine no seu melhor

O motor de jogo proprietário da Capcom, RE Engine, foi introduzido em Resident Evil 7 e é, atualmente, um do melhores motores de jogo que por aí andam.

Além de ser extremamente versátil – Resident Evil 7 é um jogo em 1ª pessoa, Resident Evil 2 e 3 são em 3ª pessoa e Devil May Cry 5 é um hack and slash – é muito bem otimizado e possui grafismo incrível.

Resident evil 3 Carlos

Resident Evil 2 corria de forma praticamente perfeita, a 60 fps nas consolas e PC para uma jogabilidade fluída e sem soluços. Resident Evil 3 mantém o mesmo nível de performance, mesmo com muito mais acção e explosões presentes no ecrã.

Os mapas são incrivelmente detalhados e densos, o modelo de danos nos zombies é realista e visceral e tudo isto é acompanhado por uma excelente banda sonora e design de som, especialmente se jogarem com um bom headset que possua surround.

Resident Evil Resistance

Resident Evil Resistance é o modo multijogador que veio incluído com Resident Evil 3, que coloca os jogadores no papel de 4 personagens que têm como objetivo escapar do local onde se encontram. Um quinto jogador assume o papel de Mastermind que controla o cenário utilizando câmaras e tenta evitar que os outros jogadores escapem.

Para tal, é necessário colocar armadilhas, posicionar zombies e até controlar alguns dos monstros mais poderosos. Os quatro fugitivos têm de evitar estas armadilhas e encontrar as várias chaves espalhadas pelo cenário para poderem fugir num tempo limitado.

resident evil 3 remake como baixar tutorial

Resident Evil Resistance não é algo que vá segurar os jogadores durante muito tempo. Não possui grande profundidade e um sistema de progressão generoso o suficiente que traga os jogadores todos de volta regularmente.

Existem também limitações no que toca ao posicionamento das armadilhas e inimigos, tornando a vida dos fugitivos cada vez mais fácil, há medida que conhecem melhor os mapas e a vida do Mastermind cada vez mais difícil, uma vez que necessitam de dificultar a vida dos outros em momentos praticamente perfeitos. No entanto é bastante interessante sentirmo-nos como a Red Queen dos filmes de Resident Evil e libertar o nosso lado negro nos outros jogadores.

Conclusões

Resident Evil 3 Remake é um bom jogo, mas podia ser excelente se fosse mais ambicioso. Era necessário expandir a fórmula, não apenas copiá-la. A campanha é bastante curta mas intensa e com grandes momentos, a jogabilidade e grafismo são excelentes e existem imensos desafios que oferecem itens que tornam o jogo mais interessante.

A aparente falta de New Game + (não vi essa opção em lado nenhum) faz com que o replay value esteja assente nos desafios e em Resident Evil Resistance, que apesar de interessante, não vai segurar os jogadores por muito tempo.

Esperemos que o próximo anúncio da série seja Resident Evil 8 e volte a ser em primeira pessoa. Acho que preferia isso a um possível remake e nesse caso, espero que seja Code Veronica antes de Resident Evil 4.


O jogo foi analisado usando uma cópia que nos foi enviada, para a PS4 Pro.

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Final Score