Review – Razer Hyperflux

A combinação perfeita

Gaming Wireless de topo
O Razer Hyperflux é um kit de tapete e rato wireless que une tecnologia de topo com consistência e conforto sem igual.
Design95
Performance95
Qualidade/Preço80
Ergonomia95
O bom
Wireless sem falhas
Muito confortável
Muitas opções de personalização
O mau
Preço bastante elevado
91
O melhor gaming wireless

A Razer enviou-nos o seu kit Hyperflux, uma combinação de rato e teclado que combina um Razer Firefly com um Razer Mamba Wireless, com um twist interessante que pode não fazer muito sentido para alguns, mas corrige um dos principais problemas de dispositivos wireless.

Design do Razer Hyperflux

O Razer Hyperflux é dividido em duas partes. O Firefly é um tapete rígido com RGB na borda, bem mais robusto que o Goliathus Chroma que analisámos em tempos e era em tecido mole com uma fita RGB à volta.

A saída para o cabo também é mais ao centro, tornando o tapete mais equilibrado e está integrado com a borda que rodeia o tapete, ao contrário do Goliathus que tinha o controlador em cima do próprio tapete.

O cabo micro-USB é removível e possui uma ranhura própria para a entrada, ou seja dá a sensação de ser um único bloco e protege a entrada do tapete de possíveis danos.

O Firefly possui umas excelentes dimensões, de 35.5 cm x 28.2cm, permitindo grande liberdade sem que o rato saia do tapete.

A segunda parte consiste no Razer Mamba Wireless. Este também possui uma entrada micro-USB, pelo que se quiserem usar o rato com fios, têm essa escolha.

O Razer Mamba é um rato de dimensões acima da média, ideal para palm e fingertip (apesar de não ser tão confortável desta forma). Possui uma borracha bastante confortável para descansarem o polegar, ao estilo do que acontece no Asus Gladius.

Infelizmente não possui um descanso próprio para o polegar, como se costuma ver em ratos como os da Logitech, mas dado que o tapete não é mole, não senti que o polegar interferisse com o movimento do rato e, além disso, a borracha permite realmente deixar lá o dedo sem desconforto.

O Razer Mamba possui apenas 96g de peso, o que o torna bastante leve visto que não precisa de pilhas ou tem uma bateria incorporada. Também possui 9 botões reprogramáveis de fácil acesso para os amantes das macros.

Performance de topo, com e sem fios

Aquilo que torna o Razer Hyperflux tão útil, é o facto de não ser um sistema wireless convencional. O Razer Mamba não possui uma bateria de longa duração, sendo este carregado por indução ao estar em contacto com a superfície do tapete.

Isto significa que se retirarem o rato de cima do tapete, ao fim de poucos segundos este desliga-se, uma vez que não possui uma bateria para o sustentar.

Algo bastante engraçado é o facto de o Razer Synapse identificar imediatamente o sistema completo e poderem usar logo o rato, sem qualquer tipo de drivers específicas para este.

O Razer Mamba faz uso de uma tecnologia de frequência adaptativa, permitindo que encontre sempre a melhor banda onde não vão existir interferências. Isto significa que o rato não se desliza, não engasga e, por conseguinte, a vossa performance é consistente.

O sensor é de 16000 DPI e suporta aceleração até 50G. É um rato extremamente preciso e nunca tive problemas em acertar no meu alvo ou fazer voltas rápidas.

Os botões para troca de DPI são muito fáceis de aceder e podem reprogramá-los para introduzir mais ou menos níveis, podendo passar de 1300 DPI para 16000 DPI, ou no meu caso, introduzir vários níveis pelo meio.

A superfície do Razer Firefly combina extremamente bem com o Razer Mamba e desde que experimentei tapetes rígidos, nunca mais vou voltar para os tapetes em tecido. Este tipo de tapetes é um gosto ou não gosto, não existe meio termo.

Têm a vantagem de não acumular tanta sujidade, são mais fáceis de limpar e permitem um deslizamento mais rápido e confortável do rato. Por outro lado, a maioria não possui bandas à volta, fazendo com que encostar o pulso à borda possa ser desconfortável, dependendo de como gostam de ter o rato no tapete.

O Firefly não possui este problema, uma vez que a borda é protegida por uma banda de 12mm arredondada, evitando que magoem o pulso ao raspar lá.

O Razer Hyperflux possui suporte para o Razer Synapse, tal como os restantes dispositivos da Razer e, tal como o que acontece nos outros casos, podem programar várias macros, cores e esquemas RGB.

O único problema que encontrei a nível de performance, foi quando coloquei o telemóvel ou outro dispositivo com bateria em cima do tapete, que desligava o rato. Provavelmente tem a ver com o sistema de carregamento, portanto já sabem, nada de metais ou telemóveis em cima do tapete.

Conclusões

O Razer Hyperflux mistura tecnologia de topo com performance e conforto inigualáveis. Foi sem dúvida o melhor sistema wireless que já experimentei para gaming, sem qualquer falha que não pudesse explicar.

O preço deste kit é bastante puxado, cerca de 280€, o que é um investimento brutal em periféricos, quando por menos 100€ compram um Razer Firefly e um Razer Mamba wireless.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Design
Performance
Qualidade/Preço
Ergonomia
Final Score