msi_geforce_gtx_1060_gaming

Review da placa gráfica NVIDIA MSI GTX 1060 OC Armor 6GB

Com a série 10, a Nvidia prometeu que iria elevar a fasquia do potencial das suas placas gráficas. Se costumam seguir os avanços tecnológicos destes componentes, sabem que o salto em performance tem sido cada vez maior entre gerações, desde a gama alta (GTX 1080), até à gama média (GTX 1060), onde se insere esta MSI GTX 1060 OC Armor, também designada por MSI GTX 1060 6GT OC.

Se a memória não me falha, a GTX 670 era tão boa como uma GTX 580, a GTX 760 era mid-end e rebrand da 670, e assim sucessivamente até a geração passada. A GTX 970 foi a primeira placas de gama média-alta equivalente à placas de gama alta da geração anterior, mais propriamente, com performance ao nível da 780 Ti.

gtx1060-box

Na série 10, a Nvidia lançou a GTX 1080, uma placa com uma performance absurdamente grande e a primeira placa a conseguir resultados minimamente satisfatórios em 4K, sem custar os olhos da cara e um rim (apesar de mesmo assim não ser barata). A GTX 1070 veio oferecer uma excelente performance por um preço muito mais amigo da carteira e, estabeleceu-se como a placa ideal para jogarem a 1440p.

No entanto, a verdadeira jogada de mestre está na GTX 1060, a suposta gama media que não tem um preço a condizer. Contudo é mais barata que as gamas altas da série 9 e oferece performance semelhante. É a verdadeira rainha do custo-benefício, pelo menos nas placas da Nvidia. Se temos em conta a AMD esse troféu é da RX 480 da AMD.

Em Portugal o troféu pertence à GTX 1060

Começando pelo preço, consegui adquirir uma destas “meninas” por uns fantásticos 279€ logo no dia em que sairam. Quase como apareceram, imediatamente desapareceram. No entanto, se estão à procura de uma placa nova e virem esta à venda, não hesitem, acreditem que vale a pena.

Especificações

Antes de continuar com a review, vejamos as especificações detalhadas de esta placa gráfica:

  • Nome do modelo: GeForce GTX 1060 6GT OC
  • Modelo: V809
  • GPU: NVIDIA GeForce GTX 1060
  • Interface: PCI Express x16 3.0
  • Nome do Core: GP106-400
  • CUDA Core: 1280 Unidades
  • OC: 1.759 / 1.544 MHz
  • Memória do Relógio: 8.000 MHz
  • Tamanho da memória: 6 GB GDDR5
  • Bus da memória: 192-bit
  • Output: DisplayPort / HDMI / DL-DVI-D
  • Consumo energetico: 120 W / 5 pin x 1
  • Energia recomendada: 400 W
  • Tamanho: 247 x 115 x 39 mm
  • Peso: 591g

Como podem ver, a NVIDIA conseguiu construir uma placa com frequências de clock da GPU e da memória excelentes, com um bus de memória relativamente curto e, melhor que tudo, sem necessitar de grandes requerimentos a nível energético: apenas precisa de um conector de 6 pinos para se alimentar.

A memória da GTX 1060 tem a mesma velocidade da GTX 1070, mas em vez de 8GB, possui 6GB

Possui ainda suporte para DX12 com suporte para Async Computing. Está preparada para VR, G-Sync e Multi-Display Technology, que vem substituir o seu suporte para SLI, algo que a Nvidia já tinha revelado que iria ficar de fora dos seus modelos de gama media.

Outra grande diferença face aos outros modelos existentes no mercado é o facto de este modelo apenas possuir uma entrada HDMI, uma Display Port e uma DVI, algo que a mim não me faz confusão visto que não utilizo mais que um monitor.

MSI GTX 1060 OC Armor

Performance em jogos com a GTX 1060

Tendo passado de uma GTX 780, posso afirmar que fiquei bastante satisfeito com o salto em performance. Comparei os resultados que obtive, com os benchmarks de outras placas, e posso afirmar que a GTX 1060 está ao nível da GTX 980, ultrapassando-a em alguns títulos.

Para vos mostrar a performance desta placa, gravei alguns gameplays de diversos jogos, bastante utilizados em benchmarks. Nestes vídeos mostro diversas métricas, tais como FPS, utilização da GPU, temperatura, Power usage, etc. Desta forma podem avaliar a qualidade desta gráfica ao jogar diferentes títulos.

The Witcher 3

Aquele que foi considerado por nós como o melhor jogo do ano passado, The Witcher 3 é um dos jogos de mundo aberto mais ricos em termos de efeitos visuais existentes no mercado. Isto vem, naturalmente, com um impacto a nível de performance.

No entanto, apesar disso, a GTX 1060 até se portou bem como podem ver pelo vídeo abaixo.

Coloquei as definições principais todas em Ultra, desliguei alguns efeitos de pós-processamento que, na minha opinião, acho que tornam o jogo estranho, até feio. Isto permitiu-me passear por Toussaint a uns suaves 60fps na maioria do tempo.

Tendo em conta a quantidade de efeitos como as físicas da folhagem, as texturas extremamente detalhadas e o facto de tudo isto estar inserido num mundo aberto, são valores muito bons para uma placa mid-end.

A nível de temperaturas, mantém-se sempre fresca, nunca chegando aos 70ºC. Contudo isto depende do vosso PC, mas é possível verificar que em termos de Power Usage, nunca passa dos 80%.

Grand Theft Auto V

Mais um jogo de mundo aberto, neste caso GTA V. Foi um desafio um pouco maior para a GTX 1060, visto que se trata de um mundo muito mais denso, com muitos mais NPC e veículos a popularem os cenários.

Nas definições, coloquei tudo ao máximo, incluindo as sombras em alta-definição das opções avançadas. Mais tarde verifiquei que ao passar o CPU de 3.5GHz para 4.4GHz, a performance aumentou ligeiramente, o que indica que o jogo é bastante pesado no CPU. De facto, as temperaturas, utilização da GPU e Power usage neste jogo são mais baixos que no The Witcher 3, o que veio a confirmar as minhas suspeitas.

Crysis 3

“Roda Crysis?” é provavelmente uma das questões mais famosas do mundo dos videojogos e é com prazer que afirmo: sim, roda Crysis. No vídeo abaixo, podem ver o nível completo Welcome to the Jungle, aquele que é o nível mais exigente de Crysis 3 e é utilizado para fazer “suar” as placas gráficas em benchmarks.

A quantidade de físicas envolvidas neste nível é absurda, especialmente devido à densidade de folhagem, que reage ao vosso movimento, ao vento e às explosões presentes, mais propriamente no final do segmento. Podem ver que nalgumas partes as FPS caiem, apesar de nunca abaixo das 50. Após subir a velocidade do CPU para 4.4GHz reparei que obtive um ganho de algumas FPS, mas ao longo do resto do jogo, consegui sempre as 60 em todas as situações, o que é bastante bom.

Nas definições coloquei tudo em Very High com o Anti-Aliasing em SMAA 2TX, o que a torna na primeira placa mid-end da Nvidia a conseguir correr este jogo de forma tão suave nestas definições.

Rise of the Tomb Raider

A sequela do aclamado reboot de Tomb Raider é um dos jogos mais bonitos que têm neste momento no PC e consola. Além disso, é dos poucos jogos neste momento com suporte a DX12, pelo que tive de correr o seu benchmark com as definições completamente ao máximo com SMAA.

Os resultados obtidos foram até bastante satisfatórios tendo em conta a quantidade e qualidade das opções gráficas presentes neste jogo, que inclui bastantes efeitos avançados. Ainda assim foi possível obter uma média de 59 fps em DX12, que como se tem visto, pesa mais neste momento que o DX11. Se baixarem ainda o AA de SMAA para FXAA ou OFF, podem obter um resultado ainda melhor, pelo que a experiência é bastante suave.

Forza Motosport 6: Apex

A beta de Forza Motosport 6 no PC é um excelente exemplo de um jogo bem optimizado já em beta. Possui gráficos extremamente detalhados, quer ao nível dos veículos, quer nas pistas e efeitos climatéricos.

No vídeo abaixo podem ver uma corrida noturna, onde existem diversas fontes de luz e sombras dinâmicas, juntamente com outros 15 veículos.

Com as definições ao máximo possível, fiquei bastante satisfeito pela forma como o jogo se mantém suave, algo extremamente importante num jogo de condução, visto que melhora em muito o tempo de resposta dos comandos. Ainda experimentei numa corrida com chuva e os resultados são praticamente os mesmos, com um impacto de 2 a 3 fps no máximo, na performance.

Doom 2016 Vulkan

O novo Doom é um dos jogos mais divertidos que saíram nos últimos anos. A sua jogabilidade rápida é perfeitamente complementada com um bom framerate. Em OpenGL, já temos uma performance relativamente suave, sempre acima dos 60fps. No entanto o jogo brilha quando ativamos a API Vulkan.

Com as definições ao máximo dos máximos, podem ver que as FPS nunca baixam dos 80, mantendo-se entre os 90 e 120, até nas situações de mais acção. Isto significa que até em monitores com maior Refresh Rate, é possível fazer uso dessa funcionalidade com esta placa. No modo multijogador ainda conseguem melhores resultados, visto que os mapas não são tão complexos e a quantidade de inimigos no ecrã é menor.

Battlefield 1 Beta

A EA impressionou tudo e todos com a versão do motor Frostbite em Star Wars Battlefront, que combinou visuais esplêndidos com performance a condizer. Visto que esse motor transitou para Battlefield 1, seria de esperar que continuasse com um bom resultado na performance.

Com as definições em Ultra, sem Anti-Aliasing, é possível manter uma média de 90 fps, em Conquest com 64 jogadores, algo extremamente importante num jogo multijogador. Além disso, o motor faz bom uso da GPU, maximizando o seu potencial, enquanto consegue manter os consumos e temperaturas relativamente baixas.

Tendo em conta que os futuros jogos da EA, nomeadamente este Battlefield 1, FIFA 17 e Mass Effect Andromeda serão produzidos neste motor, podem ficar descansados que vão corrê-los sem qualquer problema. Além disso ainda têm Titanfall 2 no motor Source, que como todos sabem, é extremamente bem optimizado.

Conclusões – MSI GTX 1060 OC Armor

Esta placa é sem dúvida maravilhosa. Consegue correr qualquer título a 1080p de forma suave e muito possivelmente a 1440p se baixarem algumas definições. Oferecer tão cedo a performance ligeiramente acima da GTX 980 numa mid-end é um luxo por parte da Nvidia, mesmo que para isso tenham de aumentar o preço desta linha. De qualquer forma, é possível encontrar algumas promoções fantásticas se estiverem atentos.

Fresca, silenciosa e poderosa são as três palavras que melhor descrevem esta MSI GTX 1060 OC Armor, que tendo em conta os preços em Portugal, custa menos de 50€ a mais que a RX480 e a tornam, para mim, as melhor placa em termos de custo-benefício. Mas essa escolha já depende da vossa familiaridade com as marcas e se possuem, por exemplo, um monitor com G-sync ou Freesync.


NewEsc Recomendado Tech

Performance
90
Consumo
94
Ruído
95
Preço
85
Review dos Leitores3 Votes
73
Fresca
Silenciosa
Óptima performance em 1080p
Apenas uma entrada de Display Port
91
  1. E a respeito da temperatura ? comprei uma, em jogos pesados a temperatura vai pra 75º chega me assusta. ..

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Performance
Consumo
Ruído
Preço
Final Score