Review Krom Kempo

Se procuram um teclado mecânico com switches red, um design simples e compacto, e se o acessório para descanso dos pulsos for importante, então o Krom Kempo é uma das melhores opções preço/qualidade que poderão encontrar em Portugal.
Design82
Ergonomia92
Desempenho85
Personalização70
Qualidade/Preço80
Review dos Leitores0 Votes0
Aspetos positivos
Bom feeling
Layout PT-pt
Switches mecânicos
Aspetos negativos
Macros limitadas
Apenas disponível com Outemu Red
Não possui software
82
Recomendado

A Krom é uma submarca da NOX, uma marca bastante conhecida em Portugal pelas suas caixas que, por norma, têm uma relação preço/qualidade bastante boa. Atualmente, a marca especializa-se na comercialização, única e exclusivamente, de periféricos gaming, desde teclados mecânicos, headsets, ratos, até microfones para streamers.

Da ultima vez que fizemos review a um teclado da Krom, o Krom Kernel, ficamos agradavelmente surpreendidos pela positiva com a sua relação preço/qualidade, sendo que o consideramos o melhor teclado mecânico com layout PT-pt, disponível nas lojas físicas portuguesas.

Desta vez, a marca deu-nos a possibilidade de testar o seu teclado mecânico mais recente, o Krom Kempo, o que nos permitiu avaliar se este é efetivamente um bom substituto do Krom Kernel, mantendo a mesma relação preço/qualidade.

Especificações técnicas:

  • Dimensões: 461,1 x 40,5 x 221,9 mm
  • Peso: 1.063 g
  • Taxa de atualização: 1000 Hz
  • Anti Ghosting: N-Key ou 6-Key
  • Memoria integrada: Sim (64 Kb)
  • Layout: PT-pt
  • Switches: Outemu Red.
  • Retroiluminação: RGB.
  • Teclas macro dedicadas: Sem teclas dedicadas, mas permite gravar macros em teclas à escolha.
  • Teclas dedicadas: Teclas integradas nas teclas F1-F11: Mute, Vol Down/Up, Stop, Prev, Play/Pause, Next, etc.
  • Descanso para pulsos: Sim, removível.
  • Software: Não possui.
  • Preço: 69.90€

Primeiras impressões & packaging

Para começar, a caixa tem um design simples, onde na parte frontal temos a imagem do teclado e na parte traseira algum texto com as características do teclado em vários idiomas.

Dentro da caixa encontramos o Krom Kempo, com layout PT-pt, e switches Outemu Red (únicos disponíveis), em conjunto com o manual de utilização rápida que contem informação básica sobre como personalizar as cores e criar macros. O manual que vem dentro da caixa é simplificado, pelo que é necessário recorrer ao website da marca para descarregar a versão completa.

As primeiras impressões foram positivas, não só pela marca ter mantido um design relativamente compacto e bonito, como também pelo seu peso, e pelo facto de vir acompanhado de um key puller e de duas peças de substituição que servem para fixar o acessório de descanso para os pulsos em caso das originais que vêm colocadas serem danificadas. Já a nível de materiais, apesar de ser um teclado construído maioritariamente em plástico, o feeling é bom.

Design

O Krom Kempo é um teclado elegante e simples, principalmente se compararmos o seu design com os teclados gaming de marcas mais conhecidas, que regra geral têm um design demasiado gaming e tendem a ser pouco compactos. De qualquer forma, apesar deste design ser mais compacto que o habitual, gostaríamos que fosse ainda mais compacto como o seu irmão mais velho, o Krom Kernel, e que para isso não tivesse as bordas em plástico nas laterais.

A nível de design, uma das coisas que nos agrada pela positiva, pois ajuda a diminuir o tamanho do teclado, é o facto de não existirem teclas macro dedicadas, sendo que todas as macros podem ser gravadas nas teclas convencionais.

A base do teclado é feita em plástico de boa qualidade, e a parte superior onde se encontram os switches é feita de metal (à exceção das pequenas laterais), dando-lhe uma solidez geral bastante boa. A nível de peso, o Kernel pesa apenas 1.063 g, o que faz deste um teclado mecânico bastante leve, sendo que a maioria dos teclados mecânicos no mercado pesam mais 100/200g.

O design escolhido pela Krom evita a acumulação de sujidade e permite uma limpeza fácil.

Tal como já estamos acostumados com a Krom, o design simplista da marca faz com que os switches fiquem ao mesmo nível que a base superior do teclado, tornando não só a sua limpeza extremamente fácil e rápida, como evitando a acumulação de sujidade.

Na parte traseira encontramos os típicos apoios para elevar o teclado, e umas borrachas de grandes dimensões nos quantos cantos do mesmo, juntamente com o descansa pulsos que também tem várias borrachas distribuídas, de forma a garantir que o teclado permanece fixo enquanto é utilizado.

Além disso, existe um guia de cabos, que permite prender os cabos em três posições diferentes. Mas, honestamente, aquilo que mais nos agradou ao olhar para a parte de baixo do teclado, é ver que a Krom não perdeu a tendência de colocar o Key Puller integrado no próprio teclado, algo que todos os fabricantes deveriam fazer.

Ter o key puller colocado diretamente por baixo do teclado evita com que o mesmo seja perdido, e garante que o temos à mão sempre que necessário.

A grande diferença do Kempo em relação ao seu irmão mais velho, é o facto do Kempo vir com um acessório removível para o descanso dos pulsos.

Ainda que o mesmo seja totalmente feito em plástico, não deixa de ser confortável quanto baste. O único que não nos agradou, foi a forma como é feita a fixação ao teclado, obrigando a que tenhamos de desaparafusar as pequenas “patilhas” que prendem o acessório, de forma a retirá-lo.

Neste aspeto, esperávamos um encaixe magnético, ou pelo menos um encaixe mais simples que não exigisse desaparafusar nada, como é possível encontrar noutros teclados nesta faixa de preço.

Tal como habitual na Krom, o cabo USB é trançado e de boa qualidade, sendo que o USB é banhado em ouro e tem uma pequena tampa para o proteger de poeiras quando não está a ser utilizado. Além disso, o cabo vem com uma pequena fita em velcro que facilita a sua organização.

Estes pequenos pormenores parecem insignificantes, mas são pormenores úteis e que muitas vezes não encontramos em teclados muito mais caros, pelo que a Krom está de parabéns por ter atenção a estas pequenas coisas.

Desempenho e funcionalidades

O Krom Kempo tem tudo aquilo que um teclado mecânico deve oferecer. Em primeiro lugar, e como seria de esperar de um teclado mecânico dirigido ao publico gaming, a sua taxa de atualização é de 1 ms e tem full anti ghosting, garantindo o registo de todas as teclas do teclado ao mesmo tempo quando pressionadas.

Ao contrario do que possam esperar, o Kempo não está equipado com os famosos switches Cherry MX, mas sim com uns switches Outemu Red. Estamos habituados a utilizar os Cherry MX Red no nosso dia a dia, portanto é fácil fazer a comparação entre uns e outros, e aquilo que podemos dizer é que ficamos igualmente satisfeitos com estes switches, apesar de se notar que são ligeiramente mais duros, tornando o pressionar das teclas menos sensível ao toque, algo que de certo agradará aquelas pessoas que se queixam do facto dos Cherry MX Red serem demasiado sensíveis.

A nível sonoro, estes Outemu, em conjunto com os materiais utilizados no teclado, geram um som bastante agradável e menos ruidoso do que outros teclados mecânicos do género.

Além dos switches e, como tínhamos referido anteriormente, existem botões multimédia para as funcionalidades habituais, como abrir o browser, abrir o leitor multimédia, entre outros, no entanto, devido ao seu design compacto, os botões multimédia existentes não são dedicados, estando integrados nas teclas F1-F11 quando utilizadas em simultâneo com a tecla FN.

Ainda no que a funcionalidades adicionais diz respeito, é possível passar o mapeamento das teclas “WASD” para as teclas de seta, é possível bloquear a utilização da tecla Windows, e é também possível criar macros de texto simples. Lamentavelmente, não é possível criar macros avançadas que façam abrir determinados softwares à escolha, ou que executem ações a nível do sistema (além das pré-configuradas nos atalhos multimédia), pois o teclado não possui qualquer tipo de software próprio.

Para terminar, no que à iluminação RGB diz respeito, visto que o Kempo não tem qualquer software, toda a personalização RGB é feita através de uma serie de atalhos.

Existem 9 modos de iluminação pré definidos, sendo possível mudar a cor, velocidade, intensidade, e o sentido das animações. Além disso, existe ainda 5 perfis de iluminação pré definidos, para vários tipo de jogos (FPS, MMO, MOBA, etc), e a possibilidade de gravarmos até 5 perfis de iluminação personalizados, o que acaba por permitir personalizar a iluminação de todo o teclado a nosso gosto, à exceção da iluminação das laterais, que essa sim, permanece sempre na cor branca.

Conclusão

Há cada vez mais ofertas a baixos preços no mercado, no entanto, se falarmos das lojas físicas em Portugal é complicado encontrar teclados mecânicos que ofereçam um layout PT-pt dentro desta faixa de preço (muitos teclados mecânicos mais caros não o têm).

No entanto, apesar do Kempo ser um bom produto, achamos que está numa posição difícil se o compararmos com o Krom Kernel, pois este ultimo oferece praticamente tudo o que o Kempo oferece, mas por um preço ainda mais contido, tendo ainda a possibilidade de ser comprado na sua versão TKL para os amantes de teclados compactos. Além disso, somos da opinião que a Krom deveria alargar a sua oferta de switches, e não se limitar a oferecer apenas um único tipo de switches, que neste caso são os Outemu Red.

Como tal, se aquilo que procuram é um teclado mecânico com switches red, um design simples e minimamente compacto, e se o acessório para descanso dos pulsos for fundamental, então o Krom Kempo é uma das melhores opções preço/qualidade que poderão encontrar nas lojas físicas mais conhecidas em Portugal, no entanto, caso o acessório para descanso dos pulsos não seja importante, o Krom Kernel continua a ser, na nossa opinião, a melhor opção tendo em conta o seu fantástico preço/qualidade.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Design
Ergonomia
Desempenho
Personalização
Qualidade/Preço
Final Score