[Review] Kodak Ektra no laboratório de fotografia
Desenho originalUI de câmara intuitiva
Capa original mas pouco práticaAndroid 6Rendimendo mediocre para o preço
76%Valor Total
Design86%
Ecrã75%
Rendimento71%
Câmaras79%
Eco-sistema70%
Votação do Leitor 0 Votos
0%

A Kodak tem procurado formas de reemergir num mundo onde a fotografia foi dominada pelos smartphones em boa parte, e com isso bem presente, a Kodak lançou recentemente a sua segunda aposta neste mercado. Com o Kodak Ektra a companhia de fotografia procura ganhar espaço no super competitivo mercado dos smartphones.

A questão é clara, será que consegue impor-se com um dispositivo com bons extras e um preço competitivo numa batalha árdua?

O Kodak Ektra chega ao mercado com um misto de especificações boas e decisões estranhas. Produzido em parceria com o Grupo Bullitt, responsáveis pelos dispositivos resistentes da CAT, este chega ao mercado com um Android 6.0, deixando um sabor amargo, sem um update no horizonte para Android 7 que é já o standard, e existe já a versão preview do Android O.

kodak ektra bullit group

Equipado com o Helio X20 da Mediatek e 3Gb de memória RAM, tudo indica ter uma capacidade bastante standard quando comparamos com o existente na gama média atualmente, a gama mais competitiva e onde as companhias asiáticas dominam. Conta ainda com 32 GB de armazenamento interno, que pode ser expandido por via de cartão microSD, o que é sempre um bónus.

O Kodak Ektra é alimentado por uma bateria de 3000mAh e temos uma boa surpresa quando vemos que usa uma ligação USB 3.0 Type-C com suporte para carregamento rápido.

O preço surpreende um bocado, sendo que o podemos encontrar à venda entre os 350€ e 400€.

Pode ser que este seja influenciado pelos números das especificações das câmaras, com um sensor com 21MP na traseira e abertura de f/2.0 com OIS e PDAF. E na parte frontal contamos com 13MP com abertura f/2.2.  Mas estes números nem sempre são sinónimo de qualidade…

Unbox e Primeiras Impressões

O Kodak Ektra chegou-nos às mãos graças ao YoungGroup, a quem agradecemos a disponibilização deste dispositivo que veio acompanhado de uma bolsa a condizer, em imitação de pele.

kodak ektra bullit group

À primeira vista o Kodak Ektra agrada bastante, com umas linhas bastante originais, claramente inspirado nas câmaras fotográficas clássicas, com uma pequena curva na parte inferior para servir de pega.

Infelizmente, ao pegar no Kodak Ektra a ilusão cai por terra, e sentimos na mão um dispositivo barato, de plástico e fraco. Se procuraram inspiração em câmaras, foram buscar às câmaras descartáveis que se vendiam em máquinas ou nos supermercados.

Não por uma questão do peso, que é bastante leve e hoje em dia a maioria dos smartphones o são. Mas ao tacto sentimos plástico barato e isso passa-nos uma sensação de fragilidade do dispositivo. Mesmo a aposta em usar uma imitação de pele na parte traseira consegue conferir um tacto de qualidade, como acontecia com o LG G4.

kodak ektra bullit group

De resto, temos no dispositivo quatro botões físicos, todos o mesmo lado, o esquerdo, ou a nossa direita enquanto utilizador. Dois botões para controlar o nível de áudio, um botão de desbloqueio e que serve para ligar/desligar, e um extra para interagir com a câmara. Deste lado temos ainda uma âncora para colocar uma fita se quisermos transportar o smartphone no pulso como faríamos com uma câmara.

O Kodak Ektra tem um jack 3.5mm na parte superior, parece-me que a parte inferior é a localização ideal, pelo menos para mim que coloco o dispositivo no bolso da frente. Na parte inferior temos a ligação USB 3.0 Type-C, com tecnologia de carregamento rápido.

kodak ektra bullit group

O foco na parte traseira do Kodak Ektra vai todo para a câmara, bastante saliente e com um diâmetro de 26,5mm. À primeira vista lembra-nos logo uma câmara e promete boa qualidade, mas isso veremos. Na parte inferior, atrás, encontramos o logo da Kodak bem como a coluna do dispositivo.

Kodak Ektra, sem extras?

A minha experiência com este dispositivo foi estranha, talvez por estar mal habituado. O Android 6.0 ficou famoso pelos diversos bugs e lentidão, mesmo após algumas correcções, nunca conseguiu obter uma boa fama.

Lançar um dispositivo com Android 6 sem previsão de upgrade para Android 7, quando já se fala no Android 8, não me parece uma boa aposta.

kodak ektra bullit group

As especificações são bastante standard, sendo que as podemos facilmente encontrar em dispositivos de gama média em volta dos 200€. Principalmente se olharmos às marcas chinesas que não param de crescer.

O processador Helio X20 e os 3GB de RAM são suficientes para o uso normal do dia-a-dia. O Kodak Ektra não tem grandes dificuldades em gerir as tarefas de envio/recepção de mensagens pelas diferentes aplicações, nem de uso do browser ou até no uso de multimédia.

Contudo, nota-se alguma lentidão, principalmente com o acumular de aplicações em uso, principal e secundário.

kodak ektra bullit group

Quanto à câmara, esta promete. Temos um dispositivo da Kodak, um dos gigantes da industria, em tempos pelo menos. E uma câmara com um sensor enorme, pouco habitual nos smartphones.

Contudo, fica àquem das expectativas

Os pontos fortes da câmara do Kodak Ektra são a sua interface, original e intuitiva, onde temos uma roda à semelhança das câmaras de fotografia para determinar o modo que queremos. E os efeitos e modos que traz consigo para procurarmos obter a melhor fotografia.

Os fotógrafos mais experientes ficarão seguramente contentes com a diversidade de modos presentes, e a quantidade de definições que podem alterar para melhorar o resultado final das fotos. Até permite gravar as fotos em modo RAW para poderem editar posteriormente.

Podem ver algumas fotos no nosso álbum

Infelizmente, essas opções ficam-se pelo modo fotografia. Já que em video a maioria não estão disponíveis, bem como os controlos de ISO, o foco, entre outros.

A qualidade obtida das fotos não surpreende, tendo em conta que seria de esperar melhor de algo com o selo Kodak.

Para o preço em que o Kodak Ektra se encaixa, existem smartphones capazes de obter fotografias muito boas, como o caso dos Honor equipados com lentes Leica, ou os mais recentes Meizu e Oppo.

Olhando a benchmarking, corremos o Antutu no Kodak Ektra, e também não surpreendeu. Nem esperavamos outras coisas. Obtém um valor banal de 86532 com o Helio X20 e os 3GB de RAM. Este valor coloca-o entre um Meizu Pro5 e um Huawei Mate 8, ambos de 2015.

Vale a pena?

Os pontos fortes deste Kodak Ektra passam pelos vários modos de fotografia e a UI que a câmara tem. E o design, fora do habitual, que achei fantástico e com um aspecto vintage muito apelativo. Infelizmente, o design perde parte do encanto quando sentimos a construção barata do dispositivo.

A bolsa que traz consigo é bastante original e serve o propósito de fazer reviver a memória com as câmaras antigas e as suas bolsas de cabedal. Infelizmente, torna ainda mais difícil o processo de tirar uma fotografia rápida. E não pensaram na saída do jack 3,5mm, pois simplesmente não existe.

Simplesmente não vale a pena, mesmo para entusiastas da fotografia e fãs da marca Kodak. É um dispositivo fabricado pelo grupo Bullit com o nome da Kodak, que muitos achavam extinta, e que não ajuda em nada a restaurar a sua fama.

O PVP oficial deste Kodak Ektra é de 529€, um preço que assusta dada a realidade que é o dispositivo, mas pode ser adquirido nas amazon’s por valores entre os 450 e os 500€. Valores que continuam a ser pouco apelativos.

A melhor estratégia para a Kodak era seguir o plano da Leica+Huawei e juntar-se em parceria com algum fabricante de smartphones.