Review: Hearts of Iron IV - Death or Dishonor
Converter e Licenciar EquipamentoÁreas de Exclusão de PassagemÁrvores de Focos Nacionais Interessantes
Pouca Quantidade de Alterações
72%Boas mas poucas mudanças
Votação do Leitor 0 Votos
0%

Mais uma expansão para o Hearts of Iron IV e desta vez viajamos para uma das zonas mais quentes da Segunda Guerra Mundial: os Balcãs. Death or Dishonor chega para corrigir alguns problemas e para melhorar algumas secções que precisavam de alguns retoques. Existem ainda quatro países com novas árvores de focos nacionais e muitas novas oportunidades.

Esta expansão vem com um preço abaixo do normal para o que a Paradox Interactive costuma praticar para este tipo de expansões (10€), mas também parece trazer menos conteúdo. Vamos então analisar as novidades e descobrir se Death or Dishonor vem para ficar.

Árvores de Focos Nacionais

Os países alterados em Death or Dishonor são a Hungria, a Checoslováquia, a Jugoslávia e a Roménia. Desde o início que esta expansão vem anunciar uma nova vida para os Balcãs, o que eu acho que é um erro de marketing. Existem pelo menos 3 países que foram importantes para este conflito, que são desta região e que não foram alterados: Áustria, Bulgária e Grécia, isto já esquecendo a pequena Albânia.

Deviam ter sido adicionados mais países a esta expansão

Mas esquecendo este pormenor, o que temos são escolhas muito interessantes para estes 4 países. O meu favorito, no entanto, é a Roménia, que está extraordinariamente bem caracterizada neste período. No Hearts of Iron original e nas expansões que se seguiram, quando seguimos um caminho político na árvore de focos nacionais, os restantes ficam bloqueados, ou seja, se quiserem ir comunistas não poderão mais tarde mudar para democracias.

hearts-of-iron-death-or-dishonor-arvore-focos-nacionais

A Roménia, durante a Segunda Guerra Mundial, foi o maior “vira-casacas” do conflito, tendo lutado pelas 3 grandes alianças presentes, em alturas diferentes. Isso está bem representado pelo facto de ser o único país do jogo onde podemos mudar de ramo político mais tarde no jogo. Este país tem ainda um governante que não controla os seus gastos (nem os da sua amante) dando origem a vários eventos desagradáveis.

A Roménia é o país mais interessante de Death or Dishonor por várias razões

Todos os 4 países vêm cheios de pequenos pormenores muito interessantes e que dão uma nova cor aos Balcãs. No entanto, acho que adicionar os restantes 3 não seria um trabalho por aí além e traria algo muito mais interessante para os jogadores. Neste tópico fica como nota o trabalho interessante mas que podia ter sido expandido aos vizinhos directos.

Licenças e Conversão de Equipamento

Esta é uma das melhores alterações da expansão e uma das mais úteis no campo de batalha. Em primeiro lugar vamos analisar a nova mecânica de licença de equipamento. Agora podemos comprar a licença de um equipamento a outro país, ou seja, por exemplo, se forem a Hungria, podem tentar comprar a licença dos Panzer III da Alemanha.

Se quiserem novo equipamento não é necessário pesquisá-lo

Isto significa que, se aceitarem, poderemos construir este tanque e colocá-lo nas nossas fileiras. Obviamente tem de haver alguma desvantagem em fazê-lo. Em primeiro lugar esta produção é mais lenta do que se produzíssemos a nossa própria variante. A nossa relação com o país comprador influencia a aceitação e a nossa tecnologia influencia o tempo de produção.

hearts-of-iron-death-or-dishonor-converter

Agora do outro lado da moeda. Se tiverem equipamento velho que não seja útil no campo de batalha podem convertê-lo para outras variantes. Isto vem simbolizar uma das acções mais importantes do conflito: transformar tanques antigos em versões mais poderosas. Por exemplo, o tanque mais produzido pela Alemanha foi o Stug III que é uma variante do Panzer III com um canhão de maior calibre.

A conversão de equipamento vem simbolizar as alterações que foram feitas neste conflito

Agora já podem fazer isso mesmo no Hearts of Iron IV. Se tiverem um grande stock de tanques antigos, podem converter esses tanques e variantes, por exemplo, em versão anti-aérea, artilharia ou anti-tanque. Isto pode ser uma acção muito útil para usar um stock muito grande de tanques antigos numa versão mais útil no campo de batalha.

Força Aérea e Mudanças no Mapa

A forma como usam a força aérea mudou radicalmente, embora as missões sejam exactamente as mesmas. O que mudou foi o aspecto visual do controlo da nossa força aérea. No fim de contas, é mais fácil perceber o que está a acontecer e as baixas que ambos os lados estão a sofrer, quer seja em aviões propriamente ditos, quer seja em bombardeamentos.

A força aérea é agora mais intuitiva

É ainda mais fácil perceber o alcance dos nossos aviões e, especialmente dos nossos radares. Estes equipamentos não tornavam completamente claro o alcance em cada região circundante. Agora se colocarem o cursor por cima do ícone do radar conseguirão ver a percentagem de eficiência em cada região circundante. Existe ainda na visão da força aérea uns ícones que simbolizam o apoio de aviões aliados ou inimigos na batalha terrestre.

hearts-of-iron-death-or-dishonor-força-aerea

Outra alteração é em relação ao aspecto que o mapa tem. Já foi uma novidade quando no Hearts of Iron IV foi anunciado que seria mais fácil perceber os terrenos onde estamos a combater. Parece que ainda havia jogadores que achavam que o apoio visual ainda não era suficiente e que por vezes era confuso. Para alterar isso, nesta expansão foi tornado mais claro as diferenças no terreno.

É agora ainda mais claro as regiões do terreno onde combatemos

Para acabar, foi ainda criada uma zona que não se pode cruzar em 3 locais de difícil acesso. A mais importante é, sem qualquer tipo de dúvida, no deserto do Saara. Esta região era um local de atrito supremo e com pouco acesso a mantimentos. Isso tornava esta região numa esponja de equipamento, o que não faria grande sentido, não porque não fosse realmente, mas porque não existiria interesse de ninguém em manter esses territórios.

Conclusões

Death or Dishonor falha, não pela qualidade das mudanças e adições, mas pela falta de quantidade. O que existe tem grande qualidade, e algumas delas são extremamente bem pensadas, mas falta conteúdo em relação aos países envolvidos. É um pouco difícil de entender porque não foram adicionados os restantes países dos Balcãs. Esta pergunta torna-se ainda mais importante quando se pensa quando os irão implementar.

É natural pensar que o Nepal provavelmente não será alterado tão cedo (ou provavelmente nunca) mas existem países que foram intervenientes importantes e que não deveriam ter sido deixados de lado quando se altera os vizinhos.

Death or Dishonor não é propriamente caro mas para o conteúdo que tem é virado para os fãs do jogo

De resto, Death or Dishonor oferece qualidade de alterações e boas novas ideias, principalmente no que toca a equipamentos. Se são grandes fãs deste jogo a expansão não é incrivelmente cara e pode-vos dar mais horas de realismo e diversão. Se são apenas jogadores casuais então podem esperar algum tempo e aproveitar já as alterações gratuitas desta expansão.


Além de podermos voltar a criar o Império Austro-Húngaro, dá para fazer algumas coisas engraçadas com os novos países!

hearts-of-iron-death-or-dishonor-checoslovaquia