Hades cover

Review – Hades: Infernalmente bom

O Melhor
Excelente jogabilidade com muitas opções para builds
Boa variedade de cenários e inimigos torna o jogo desafiante
Excelente banda sonora e direção artística
O Pior
Progressão endgame podia ser melhor
95

Já vos aconteceu ouvirem falar de um jogo mas nem ligam muito, é só mais um e ainda por cima em Early Access que vos faz pensar: “meh um dia jogo”. Depois veem que o jogo finalmente foi lançado e lembram-se que esse jogo existe e o pessoal até dá boas opiniões sobre ele e decidem experimentar e acabam a jogar um dos melhores jogos do ano? Foi exatamente isso que me aconteceu com Hades.

Fujam do submundo

Hades é um roguelike criado pela Supergiant Games, responsável por criar excelentes jogos como Bastion, Transistor e Pyre e leva-nos ao submundo da mitologia grega, colocando-nos no papel de Zagreus o filho de Hades, cujo objetivo é escapar do submundo.

Infelizmente, fazer tal proeza é algo extremamente difícil e está muito bem ligado à componente roguelike do jogo, na qual cada run equivale a uma tentativa de fuga. A atenção ao detalhe é incrível e os NPC que se encontram no hub inicial têm diálogos dinâmicos de acordo com o que fizeram na vossa última tentativa.

Hades 1

Há medida que vão progredindo cada vez mais, novos personagens aparecem e a história vai-se desenrolando e introduzindo alguns plot twists engraçados que vos fazem sempre querer tentar novamente para ver qual o próximo desenvolvimento.

O submundo é dividido em 4 andares completamente distintos uns dos outros e com novos inimigos em cada um.

O primeiro andar é Tartarus que até conseguem ver a partir do hub inicial e é composto por salas de tortura e pequenos labirintos, bem ao estilo que conhecem de outras fontes. Depois passam para Asphodel com rios de lava, depois Elysium com os seus campos floridos e por fim o Temple of Styx que faz a transição entre o submundo e o mundo dos vivos.

Hades 4

Precisei de cerca de 14-15 tentativas para conseguir terminar o jogo e cada fuga completa pode durar cerca de 30-40 minutos. Quando terminarem o jogo, ainda existe o Pact of Punishment que permite introduzir modificadores nas runs, tornando-as mais difíceis, sendo que cada vez que completam um andar, recebem recompensas extra.

Ajuda divina

Apesar dos cenários em si não serem tão aleatórios como seria de esperar de um roguelike, as builds que podem construir ao longo das tentativas podem mudar bastante.

Os andares estão divididos em câmaras cuja recompensa podem ver antes de entrar na mesma. Ao completarem essa câmara, vão poder recolher dinheiro, darkness (para comprarem upgrades), gemas (para construírem câmaras e outras coisas), chaves (para desbloquear armas e novos upgrades) e boons.

Hades 3

Os boons são presentes que os deuses do Olimpo vos dão e modificam os vossos ataques com bonificações. Estas podem ir desde maldições que causam debuffs nos inimigos, mudar completamente certos ataques, bónus de dano, etc.

A variedade de builds que podem construir é incrível e se vos calha exatamente o que querem para a arma que têm equipada, como foi o meu caso na 1ª vez que acabei o jogo, conseguem demolir completamente os inimigos.

Geralmente não sou grande fã de roguelikes porque sinto que em muitos deles não existe uma progressão tangível entre cada tentativa. Felizmente, em Hades podem desbloquear upgrades que tornam a vossa próxima run ligeiramente mais fácil.

Hades 5

Alguns dos que desbloqueiam mais no final são bastante poderosos, como a possibilidade de poderem morrer uma vez em cada câmara e reviver com uma parte da saúde, aumentar a probabilidade de certos boons virem numa raridade maior, o que significa um bónus maior, poder alterar a recompensa da próxima câmara, entre muitas outras.

Além disso, podem encontrar néctares que ao oferecerem aos vários NPCs do jogo, desbloqueia itens que ao serem equipados, conferem um bónus de acordo com o NPC.

Existem 6 infernal arms, que são as várias armas do jogo começando com a espada e depois podem desbloquear mais usando chaves. Existe um arco, uma lança, um escudo, uma manopla espécie de metralhadora. Cada arma possui um ataque básico e um ataque especial e ainda têm um dash que permite esquivar dos inimigos e um cast que atira uma espécie de cristal que fica preso nos inimigos.

Hades 6

Ao desbloquearem todas as armas e se tiverem um item chamado Titan Blood, vão desbloquear Aspects para as armas, que modificam o seu desenho e um dos ataques. O meu favorito foi o do arco que permite que a salva de setas que atiram com um dos ataques, sejam teleguiados ao vosso alvo. Isto permite combos que causam uma quantidade estúpida de dano aos inimigos.

Gráficos, performance e som

Graficamente Hades é incrível. Apesar de ser um jogo isométrico, a direção de arte é absolutamente fenomenal e cada inimigo e zona possuem grande personalidade.

A nível de performance o jogo é bastante leve e diria que corre em qualquer computador.

Hades 2

A banda sonora e voice acting deste jogo são também perfeitas. A primeira pela música incrível que acompanha cada luta de boss ou bioma. A segunda pela entrega dos atores aos personagens em particular Hades, que lembra um bocado Kratos de God of War, especialmente pela quantidade de vezes que usa a palavra “BOY!”.

Conclusões

Quer gostem de Roguelikes ou não, Hades é um incrível jogo de ação com excelente história, builds, jogabilidade, arte, banda sonora e atenção ao detalhe.

A única queixa que tenho acerca do jogo é que as recompensas por terminar os andares com os modificadores do Pact of Punishment são apenas mais materiais para desbloquear upgrades, sendo que provavelmente já desbloquearam tudo o que vos interessa quando chegarem a este ponto. Mas isto pode ser só esquisitice minha.

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Final Score