F1 2022

Review F1 2022 – Extremamente afinado

Quando fiz a review ao F1 2020, um dos pontos que referi foi o facto desta série anual ser uma das mais consistentes em termos de qualidade, mesmo que não introduza imensas mudanças críticas todos os anos, o que é geralmente o caso neste tipo de jogos.

Após ter saltado o lançamento do ano passado, este ano decidi entrar em grande e adquiri um volante Thrustmaster T300RS GT. Era algo que já tinha debaixo de olho há muito tempo, então decidi aproveitar e elevar a minha experiência de condução uns quantos níveis acima.

F1 2022 mantém aquele sentimento de familiaridade que já tinha do 2020, como se não ter jogado o 2021 não tivesse alterado nada no meu gosto pelo jogo, mas é o contrário. Ter saltado uma edição fez-me apreciar as mudanças que foram implementadas desde então.

Líder vs Piloto: a vossa escolha

Existem duas carreiras à escolha. Podem ser um piloto de uma equipa existente, na qual o vosso objetivo é obter o maior número de pontos e serem campeões da F1. O controlo que têm sobre a equipa é limitado à escolha de novos upgrades para o vosso carro, com pontos que obtêm durante as corridas. Também podem juntar-se a um amigo e fazer a carreira a dois, fazendo parte da mesma equipa e definindo as estratégias em conjunto.

Na segunda carreira, são líderes de uma nova equipa e o seu piloto principal e têm de contratar um piloto secundário, escolher patrocínios com diferentes objetivos, melhorar as fábricas e escolher os upgrades que querem no vosso carro.

Pessoalmente, não vejo grande necessidade de existirem estas duas campanhas tão diferentes. Fazia sentido se no modo My Team não tivessem de conduzir, sendo mais focado na gestão. Sim, este modo requer mais microgestão que no modo de carreira normal, mas não é assim tão mais trabalhoso que retire completamente o foco nas corridas, se for esse o vosso objetivo.

Algo que adorei foram os programas de treino que podem completar antes das corridas. Nos jogos anteriores, o treino servia para dar umas voltas à pista, aprender as curvas e passar imediatamente para a qualificação.

Agora, existem regimentos de treino que podem completar durante as fases de treino. Geralmente envolvem treinar o pacing da qualificação, treinar a melhor abordagem das curvas, consumo de combustível ou dos pneus, entre vários outros.

F1 2022 3

Fazer isto vai permitir que melhorem a qualidade da vossa condução mas também, ao completar objetivos recebem resources, os pontos que usam para comprar novos upgrades nas fábricas.

É possível terminar os 3 regimes numa única sessão de treinos, mas caso não cumpram algum dos objetivos, podem usar o o treino rápido nas outras sessões para completar os objetivos que faltam. Cada objetivo possui uma chance de ser completado com sucesso e quanto mais tempo consumirem, maior será. Geralmente, se deixarem apenas um ou dois para o treino rápido, é possível concluí-los sem qualquer problema.

Os upgrades foram alvo de uma mudança na forma como os adquirimos. Antes, os upgrades apareciam numa espécie de refencial em que cada quadrante representava as quatro áreas de upgrades: Aerodinâmica, Chassis, Power unit e Durabilidade. O problema com esta representação, é que era um pouco confuso de perceber o que podíamos comprar ou não.

Agora, estes upgrades estão divididos em páginas em que cada página inclui vários upgrades dispostos em fila, sendo muito mais óbvio quais são os requisitos para obter uma das melhorias.

Algo que também gostei, é o facto de a moral alta mais os regimes de treino fazerem com que alguns dos upgrades recebam um desconto na quantidade de pontos que são necessários para os adquirir.

Uma nova categoria de carros

F1 2022 introduz a categoria de super carros. Estes automóveis são o vosso “típico” Aston Martin, Mercedes AMG, McLaren ou Ferrari e a forma como os conduzem é completamente diferente dos Formula 1. Apesar de não ser má, a sua condução é tão diferente dos F1 ou F2 que sinceramente acho que sofrem com isso.

Os F1 especialmente acho que nunca me senti tão confortável a conduzí-los nos jogos anteriores, como senti neste. Mesmo com comando a resposta é incrivelmente fluida e realista, o force feedback no volante e adaptive no comando conferem uma excelente imersão e quando entramos na “zona”, o carro parece mesmo uma espécie de extensão do nosso corpo, é fácil perceber quando estamos a perder o controlo ou quando acertamos uma curva de forma perfeita.

Os super carros, em comparação, são muito mais pesados, parece que flutuam e o seu tempo de resposta é muito maior. Claro que é isto que é suposto acontecer, mas pegar num destes carros depois de uma corrida de F1 é bastante mau.

f1 2022 announced with vr support coming this july a25p

No modo carreira, podemos receber pontos de Acclaim que são essencialmente a nossa fama, ao completar certas provas por convite, nas quais temos de usar um destes super carros para obter a maior pontuação possível em 3 rondas de modos como drift, corrida de checkpoints, velocidade média, etc. A ideia está engraçada e até introduz uma variedade que não havia na série até agora, mas sinceramente, não consegui gostar destes carros.

Multijogador a roçar a realidade

Jogos de desporto online nunca foi algo que eu gostasse, seja futebol, corridas ou luta. Sempre fui adepto de que estes jogos são mais divertidos em multijogador local, para não falar dos problemas com lag que muitos destes jogos têm.

Neste F1 2022 decidi experimentar algumas partidas em multijogador para ver se lhe ganhava o gosto. Os modos estão bastante bem estruturados.

Se querem uma partida casual, existe o Social Play que vos deixa procurar um lobby à vossa escolha, ou vos coloca em lobbies baseados no vosso nível de habilidade. Os Weekly Events são baseados na prova real do campeonato da F1 e possui as típicas sessões de treino, qualificação e corrida. Estas permitem-vos competir pelas leaderboards.

Depois existe o modo competitivo com Rank no qual são colocados em lobbies com outros pilotos do vosso “elo”. É um modo mais aconselhado aqueles pilotos com mais experiência. Podem ainda juntar-se a uma liga ou criar uma, que funcionam como campeonatos que podem competir ao longo de várias semanas.

Curiosamente, algo que tenho gostado bastante é de ver youtubers e jogadores mais experientes neste tipo de corridas. É uma excelente maneira de aprender as técnicas que usam e como abordam cada pista em termos de curvas, ajustes no carro, etc. Tem sido bastante útil para aprender a arrancar com o carro. Arranque manual e sem controlo de tração tem sido o meu nemesis neste jogo mas é algo que permite uma boa vantagem no início das corridas, quando se aprende a fazer bem.

Durante as corridas, nota-se alguns carros a fazer “rubberbanding” por causa da latência, mas ainda não tive uma situação em que fosse prejudicado por causa disso. O que se vê, especialmente nos lobbies para iniciantes e devido ao facto de ainda estarmos no início do período de vida do jogo, é muitos peões nas corridas, malta aos encontrões e a atirar-se à campeão para as curvas, mas confesso que é bastante engraçado.

Gráficos, performance e som

Graficamente, F1 2022 na Playstation 5 não está muito diferente do que se tem visto nos últimos 2 ou 3 anos. Não quer dizer que seja mau, mas a versão de PC veio com ray tracing nas corridas e não me parece que seja esse o caso na PS5.

Algo que me pareceu um pouco melhor, foram alguns dos detalhes no exterior das pistas como as árvores ou o público, mas pode ter sido alguma variância do efeito placebo.

A performance durante as corridas é irrepreensível, sem qualquer queda de framerate. No entanto, quando passamos para as repetições ou depois de acabarmos a corrida, o jogo cai para 30 FPS (no modo de qualidade), o que dá a mesma sensação de esbarrar numa parede.

O som do jogo é incrível. Desde os carros aos comentários, é tudo altamente genuíno e realista. A banda sonora do jogo é decente, nada propriamente memorável mas funde-se bem com o tema do jogo.

Conclusões

F1 2022 é um excelente jogo de corridas e continua a consistência que alguns temíam que se perdesse aquando da aquisição por parte da EA. Não existem cartas nem Ultimate Team mas existe um Podium Pass, que sinceramente é inofensivo e se forem dedicados ao jogo, recebem moedas suficientes com cada passe para praticamente comprar o da temporada seguinte, então não vejo mal nisto.

A condução dos F1 e F2 continua excelente como sempre, e o facto da componente multijogador estar ligada ao campeonato real é bastante interessante. Se tal como eu não jogaram F1 2021, este F1 2022 é um bom ponto para voltarem à série.

Review dos Leitores0 Votes
0
O Melhor
Excelente condução
Muitos modos de jogo
Imensa personalização do vosso personagem e veículos
O Pior
Poucas melhorias gráficas nas consolas
Modo carreira ainda é apenas uma versão resumida do My Team
85

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Design
Ecrã
Performance
Autonomia
Autonomia e alcance
Câmaras
Ecossistema
Qualidade/Preço
Ergonomia
Audio
Micrófono
Personalização
Video
Fotografia
Conectividade
Final Score