Review do Moto G (2ª geração) – Análise em vídeo e texto

Muitos telefones Android mais baratos são lentos e quando sai uma nova versão do Android, demoram muito tempo até serem atualizados e muitos nem sequer recebem as atualizações. A Motorola é uma das marcas que se destaca, por conseguir lançar telefones económicos, que proporcionam uma boa experiência de utilização e atualizam os seus telefones poucos meses depois da atualização ficar disponível, o que muito poucas marcas fazem. Há uns meses analisámos o Moto X, o topo de gama, e o seu preço continua a descer, e hoje vamos conhecer o Moto G (2ª geração), que é mais económico.

Design arredondado

Exteriormente, tem um formato arredondado atrás, tornando-o num telefone muito agradável de se segurar e é relativamente fácil de se utilizar com uma mão, até porque tem os botões bem colocados de lado.

O ecrã é de 5 polegadas, com resolução de alta definição, com cores saturadas, largos ângulos de visão e brilho suficientemente alto para se ver no exterior.

À frente, tem dois altifalantes estéreo de grande qualidade, melhor até que muitos topo de gama, como o Samsung Galaxy S6, que analisámos recentemente e que tem apenas um altifalante em baixo.

Ao lado do LED de notificações, está uma câmara de 2 MP, suficiente para selfies e a de trás é de 8 MP e é provavelmente o ponto menos positivo deste Motorola. As fotografias não são más, mas há telefones deste preço com melhor desempenho, como o bq Aquaris E5 4G, que já analisámos aqui.

Firmware e atualizações

Por dentro, corre o Android 5 Lollipop, com transições fluidas, que juntamente com o som fantástico e o ecrã de grande qualidade, tornam este Moto G numa ótima opção para consumo multimédia: ver vídeos, navegar na internet, redes sociais e embora não seja possível jogar os jogos mais exigentes com o nível de detalhes no máximo, continuam a ser agradáveis.

É atualizado logo após os Nexus para o novo Android

Relativamente à bateria de 2070 mAh, no nosso teste conseguiu aguentar 16h de WiFi, 3h30 de ecrã, 1h de GPS e 30m a jogar, o que é suficiente para um dia de utilização moderada, mas há claramente telefones melhores, como o tal Aquaris E5 4G, que aguentou quase o dobro no nosso teste.

Este modelo é Dual SIM, o que significa que permite ter 2 cartões com 2 números diferentes a funcionar em simultâneo e a internet é apenas 3G, e não 4G. A capacidade de armazenamento é de 8 GB e suporta cartões de memória. Brevemente vamos compará-lo ao Vodafone Smart Prime 6, que analisámos recentemente e que tem melhor bateria e é 4G, por isso subscrevam ao canal para não perderem os próximos vídeos.

Vale a pena?

Em conclusão, o Moto G é um telefone para o dia a dia, que se foca especialmente na experiência de utilização com as atualizações do Android e todas as novidades, e um som e imagem fantásticos para consumo multimédia. Por outro lado, a câmara e a bateria não são más, mas não são as melhores, além de que não suporta a internet mais rápida 4G.

 

E para vocês, são graves estas desvantagens da câmara e do 4G, ou acham que é mais importante o desempenho e as atualizações do Android? Partilhem as vossas opiniões nos comentários.
O Moto G está disponível na Globaldata por 180€.

Bateria
85
Ecrã
85
Preço
90
Câmara
80
Desempenho
85
Software
95
Conforto na mão
95
Som
95
Review dos Leitores0 Votes
0
Som stereo à frente
Atualizações do Android
Fluido e com poucas aplicações da marca instaladas
Não é 4G
Há telefones com melhor câmara e bateria por este preço
89

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Bateria
Ecrã
Preço
Câmara
Desempenho
Software
Conforto na mão
Som
Final Score