Review Acer Predator XB3 (XB273K)

O monitor com tudo, a um preço mais acessível
O Acer Predator XB3 utiliza o X27 como base, faz um corte ligeiro aqui e ali e o resultado é um monitor com todas as especificações que podem querer, a um preço bem mais amigo da carteira.
Design85
Ecrã93
Performance95
Qualidade/Preço80
Audio75
O bom
4K, HDR, 144Hz e Gsync no mesmo monitor
Excelente qualidade de imagem
Fácil de montar, transportar e instalar em qualquer secretária
O mau
Qualidade de som podia ser melhor
Ventoinha ainda fica ligada, com o monitor desligado
Preço ainda bastante alto
86
Excelente monitor

A Acer enviou-nos o seu monitor Predator XB3 para que o pudéssemos testar e comparar com o Predator X27 que já tínhamos experimentado anteriormente.

O Predator XB3 é uma espécie de versão mais barata do Predator X27, custando cerca de menos 700€ estando o seu preço sem descontos nos 1299€. Apesar do preço avultado, estamos a falar de um monitor que precisa de uma máquina com muito músculo e, naturalmente, não é para todos. Mas se estão a pensar em equipar o vosso computador com hardware topo de gama, este monitor é uma escolha a ter seriamente em conta se quiserem algo que sabem que vai durar para vários anos.

Design do XB3

O Predator XB3 possui um design sóbrio, pelo menos na parte frontal. A sua moldura frontal não desenhos muito elaborados, tirando o logótipo “PREDATOR”, com a largura de sensivelmente um polegar na moldura inferior e relevo a picotado e as restantes com cerca de meio polegar de largura e relevo liso.

A traseira já possui um pouco mais de brilhantismo, com linhas futuristas e plástico escovado em cima, picotado em baixo, assim como uma saída com leds RGB que também serve para refrigeração do monitor.

O braço que suporta o monitor é bastante robusto e os pés são finos, o que significa que não ocupam bastante espaço, mas ainda assim são um pouco longos e formam entre si um ângulo de cerca de 120º. O braço também permite subir e descer o monitor, rodá-lo lateralmente, mas não no seu próprio eixo ou seja, não o podem colocar em orientação Retrato.

Os botões possuem o mesmo formato daqueles que vimos no Predator X27, estando na traseira do monitor, algo que ainda não gosto uma vez que durante os primeiros tempos é necessário perder tempo em menus errados, devido a toques nos botões incorretos. Se usarem as palas anti reflexo que vêm incluídas com o monitor, é mais difícil de chegarem aos botões, uma vez que estas atrapalham.

No que toca a conectividade, podem contar com uma porta HDMI 2.0, uma porta Display Port 1.4, uma porta USB Type-B para ligarem ao computador, 4 USB3 Type-A para ligarem os restantes dispositivos e uma entrada 3.5 mm para headphones. Estas entradas encontram-se na parte inferior do monitor e são relativamente fáceis de aceder, excepto a entrada de energia, que já no X27 achei pouco acessível.

Do design em si não tenho queixas, apenas gostaria de ver mais algumas peças em metal, em vez de tudo em plástico, o que daria um ar mais premium ao monitor. É verdade que no Predator X27 de 1999€ o mesmo acontecia, mas 1299€ ainda é um preço bastante elevado.

Um dos elementos que mistura design e performance, é a ventoinha incluída na traseira do monitor. Pessoalmente, acho que não seria necessário ter uma ventoinha dedicada para o monitor, uma vez que outros semelhantes atingem temperaturas perfeitamente normais para um painel 4K 144Hz. Felizmente, ao contrário do que acontecia no Predator X27, a ventoinha é mais silenciosa quando o monitor está desligado, mas mais uma vez nunca para de trabalhar, pelo que se tiverem o monitor no quarto, pode ser incómodo durante a noite, se forem muito sensíveis a barulhos contínuos.

Ecrã

No que toca ao ecrã, se compararmos o Acer Predator XB3 com o Predator X27, começamos a ver uma relação preço/performance muito superior do XB3 face ao X27. Ambos possuem um ecrã IPS de 4ms, com uma resolução de 3840×2160 a 144Hz, com Gsync da Nvidia. Estas são as especificações mais importantes e no que toca a cores e fluidez, o XB3 não fica atrás do X27 em nada.

As diferenças começam a surgir quando tentamos reproduzir conteúdos em HDR. O X27 suporta HDR10 completo, enquanto que o XB3 suporta HDR400. Na prática, isto traduz-se num efeito de HDR com ligeiramente menos luminosidade, uma vez que o X27 suporta 1000 nits de luminosidade, enquanto o XB3 suporta 400. O alcance das cores também é um pouco maior no X27, suportando 99% do Adobe RGB contra 87% no XB3. Mas tudo isto são especificações técnicas que a maioria dos utilizadores não vão ligar muito.

O que importa é que durante os vossos jogos, se tiverem hardware a condizer como por exemplo, uma RTX 2080 Ti, a vossa experiência vai ser incrível. Experimentei vários jogos e a fiquei completamente rendido. Destiny 2, com tudo ao máximo, 4K, acima das 100 fps com HDR ligado é de fazer babar e consegui notar detalhes que nunca tinha notado no meu monitor do dia-a-dia.

Battlefield 5 e Metro Exodus com HDR, 4K e DXR ligados são, sem dúvida, dois dos jogos com melhor aspeto existentes no mercado e o Gsync permite uma experiência fluída mesmo que tenham algumas quedas de FPS. Este monitor também é excelente com a PS4 Pro e Xbox One X, que suportam 4K e HDR.

Caso não queiram montar um PC super caro, a próxima PlayStation e Xbox vão suportar VRR (variable refresh rate), que muito provavelmente será Freesync, pelo que também podem optar pelo Predator XV273K, que possui especificações parecidas com as do Predator XB3, mas suporta Freesync e é um pouco mais barato.

OSD e Altifalantes

O OSD do Predator XB3 é igual ao do Predator X27, com 3 perfis pré-definidos e um de utilizador que podem personalizar e trocar rapidamente entre cada. Podem alterar coisas como a temperatura das cores, gama de RGB, valor do Refresh Rate, mira, etc.

Tal como disse na análise ao X27, o OSD da Acer é bastante intuitivo e fácil de navegar, com diversas ferramentas úteis, que permitem personalizar a vossa experiência, à vossa vontade.

Apenas algo a terem em conta, com o Predator X27 isto não aconteceu, mas no XB3 tive de ir às opções do ecrã e fazer overclock para 144Hz à mão. É algo que têm de ter em conta caso comprem este monitor e com Display Port não consigam passar dos 120Hz, o problema poderá estar nisto. Após colocar o monitor a 144Hz, funcionou tal como o X27.

Ve

Em relação aos altifalantes, não tenho nada a apontar, são duas colunas de 4W, que chegam perfeitamente para jogar à distância a que provavelmente se vão encontrar do monitor. Algo que acontece em ambos os monitores, é uma espécie de delay se estiverem algum tempo sem reproduzir nada com som. Isto nota-se bastante quando fazem alt+tab num jogo, ou iniciam um video no Youtube e os primeiros 2 segundos são sem som, até que este arranca e funciona sem problemas.

Veredito final

O Acer Predator XB3 é uma excelente alternativa ao Predator X27. Sinceramente, entre um e outro recomendaria este monitor sem qualquer dúvida. Considerando as especificações, sim o X27 é o melhor monitor que já experimentei, mas o XB3 é o melhor monitor que já experimentei e consigo recomendar.

Sim, 1299€ é puxado na mesma, mas é bastante comum encontrarem excelentes promoções. Na data da escrita desta análise, este monitor encontra-se a 999€ na Amazon.es e se querem um monitor a pensar no futuro, com especificações de topo e uma construção robusta, então o XB3 é sem dúvida um monitor a ter em conta.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Design
Ecrã
Performance
Qualidade/Preço
Audio
Final Score