Este ano a Lisboa Games Week marcou mais uma vez presença na FIL em Lisboa, naquela que é a maior feira de Videojogos em Portugal e, como tal, a Newesc não deixou de marcar presença.

Ao longo dos últimos 4 dias, foi possível experimentar alguns dos jogos mais quentes do momento, assim como alguns que estão aí a chegar.

Diversas marcas tiveram dispuseram dos seus próprios stands, nos quais podíamos experimentar vários jogos na PS4, Xbox One, WiiU e 3DS, assim como a zona de nostalgia com as arcadas e consolas retro.

Também as marcas de Hardware marcaram presença, como a LG com os seus monitores e projetor, a Asus com os seus periféricos e computadores gaming, a Samsung apresentou os seus monitores gaming equipados com a tecnologia Quantum Dot, entre muitos outros.

A quantidade de stands a visitar era enorme portanto vejamos o que houve de interessante.

Horizon Zero Dawn

No stand da Playstation, pudemos experimentar o novo título da Guerrilla Games, que se espera ser lançado em Março de 2017. Além disso, foi possível ver o jogo a correr na PS Pro e, assim, comparar as diferenças entre ambas as versões. Apesar de a nível de gameplay, à primeira vista, não existirem alterações entre as versões, a versão de PSPro permite efeitos de luz estonteantes devido ao HDR e, a o upscale para 4K, torna muitos dos elementos do cenário extremamente detalhados, ao ponto da diferença ser óbvia.

Iremos detalhar mais sobre o gameplay noutro artigo.

The Last Guardian

Uma das surpresas da feira, pudemos experimentar a primeira secção do jogo, assim como uma pequena parte que se situa a meio do jogo.

Este agradou-nos imenso e justificou todo o hype que tem girado à sua volta. Podem ler mais sobre a nossa experiência neste nosso artigo.

Novos monitores da Samsung

A Samsung prepara-se para lançar os seus novos monitores curvos de 144Hz com tecnologia Quantum Dot, assim como os seus monitores planos 4K, para gaming. Tivemos a oportunidade de experimentar os modelos de curvos de 24 polegadas, assim como outros modelos planos de 24 e 27 polegadas e, apesar de estarem ligados a uma Xbox One S com Battlefield 1 e Fifa 17, que não oferecem a experiência total, o que vimos foi bastante positivo, com imensas opções de personalização do tipo de imagem, assim como da qualidade de imagem em si.

Lisboa Games Week 2016

Esperamos num futuro próximo analisá-los com mais detalhe, pelo que fiquem atentos.

O novo projetor da LG

No stand da LG, além dos monitores que tinham expostos, entre os quais se encontrava o 34UC88, que analisámos anteriormente, foi criada uma pequena sala de jogo, cuja figura central era o novo projetor da linha Minibeam, o PF1000U, que dispõe como principais características, de uma lâmpada de 1000 lumens, com abertura até 100 polegadas e uma resolução de 1920×1080, assim como tecnologia idêntica às SmartTV.

Lisboa Games Week 2016

Ficámos surpreendidos com a relação qualidade/tamanho, algo que já é tradição com esta linha, ou não tivesse o PV150G, recebido uma excelente nota na nossa análise.

A zona de Nostalgia

Apesar de ser muito bonito poder experimentar todos estes novos jogos, a minha zona favorita da Lisboa Games Week é sempre a zona Retro.

Nela podemos jogar em diversas máquinas arcada, consolas que vão desde a velhinha NES até à PS2, apesar de existirem algumas ainda mais antigas.

Lisboa Games Week 2016

Aproveitando o recente anúncio do Daytona USA Championship 3, aproveitámos para jogar o Daytona original das arcadas, no excelente modo para 4 jogadores e foi tão divertido em 2016, como foi à quase 20 anos atrás.

Além disso, pude voltar a jogar o Sega Rally Championship para a Sega Saturn, que foi o primeiro jogo que tive para a minha primeira consola de mesa. Após 15 anos sem jogar, juro que percorri as pistas da mesma forma que fiz quando o joguei a primeira vez. Nostalgia pura.

Lisboa Games Week 2016

Torneios para todos os gostos

Para os amantes do Esports, mais uma vez puderam apreciar um espetáculo com o mesmo ambiente daqueles que vemos lá fora. Várias bancadas foram colocadas e, à sua frente, tiveram lugar vários torneios dos jogos mais famosos do momento. Várias equipas competiram em torneios de Counter Strike GO, jogadores de FIFA 17 competiram entre si, Overwatch marcou presença e, surpreendentemente, até Rocket League marcou uma inesperada presença.

Lisboa Games Week 2016

Filas enormes para a Realidade Virtual

Uma das zonas mais requisitadas, foi o stand do Playstation VR. Praticamente todos os principais títulos já existentes na PSVR marcaram presença, como Driveclub VR, Rush of Blood, Batman VR entre outros.

Um dos principais títulos, foi o ainda não lançado Farpoint, um FPS para a PSVR, que faz uso da arma do Move e promete uma experiência única, com uma precisão milimétrica. Vamos aguardar o seu lançamento.

Lisboa Games Week 2016

 

Gran Turismo Sport

Outro dos jogos mais visitados foi o de Gran Turismo Sport, que era possível jogar da melhor maneira possível, com um volante e pedais e, ao lado de um magnífico Nissan GT-R de 2017.

A nossa primeira impressão sobre o jogo, é que está cada vez mais parecido aos simuladores profissionais. Graficamente está um mimo, com muitos pormenores ao nível do design dos carros e pistas, assim como a sua jogabilidade, que está ao melhor nível. Se são fãs de Gran Turismo, vão-se sentir na vossa praia.

Entrevista a Miguel Faísca.

Um dos pontos altos da nossa visita à Lisboa Games Week, foi a possibilidade de entrevistar o piloto Miguel Faísca.

Se não sabem quem é este piloto, a sua história foi bastante noticiada, pois a sua carreira começou como jogador de Gran Turismo. Ao vencer os Gran Turismo Academy Europe de 2013, foi-lhe possível concretizar o sonho de ser piloto profissional.

À conversa connosco, contou-nos como foi conciliar o ensino superior com os treinos de Gran Turismo para participar no GT Academy, como foi exigente em termos físicos e mentais passar do simulador para um supercarro, nos quais era preciso efetuar uma força de 100 Kg no pedal do travão, algo que é praticamente impensável para um condutor comum. Também nos contou um pouco de como é a vida de um piloto profissional, e a quantidade de experiência que é necessária para estar ao nível dos veteranos.

Ainda nos contou como tem sido a sua experiência com o novo GT Sport, e a forma como o seu feedback enquanto piloto profissional tem alterado o jogo, ao nível da simulação.

Para saberem mais sobre este piloto que promete levar a condução portuguesa a novos horizontes, podem visitar esta página.

Lisboa Games Week 2016

 

Wrestler por um dia

Se são fãs de Wrestling, sem dúvida tal como eu, estão no espírito Survivor Series, ou não fosse o famoso Pay-per-view, no mesmo fim de semana. Portanto, nada melhor do que experimentar um treino de Wrestling.

Isto foi possível, pois o CTW esteve presente na Lisboa Games Week, com direito a ringue e tudo. Nele, foi possível treinar alguns dos movimentos básicos executados por wrestlers profissionais, assim como jogar o mais recente WWE2K17.

Não vão ser nenhum John Cena ou Brock Lesnar, mas podem muito bem ter um gostinho do que é estar dentro do “squared Circle”.

Lisboa Games Week 2016

Zona Made-in Portugal

Uma das zonas menos visitadas, foi possível experimentar alguns jogos feitos por estúdios independentes, nomeadamente portugueses, com alguns títulos até bastante interessantes. Existia ainda um painel de discussão, que sem sombra de dúvida merecia ter uma assistência um pouco mais composta.

Também marcaram presença alguns dos jogos vencedores do Playstation Talents, que puderam ser jogados e apreciados pelos vários visitantes que tivessem curiosidade.

Lisboa Games Week 2016

 

Conclusões

A Lisboa Games Week 2016, foi sem dúvida um sucesso, ou não estivesse o pavilhão completamente cheio durante praticamente todo o fim de semana. Com uma assistência tão grande, tem sido cada vez mais difícil experimentar muitos dos jogos que estão disponíveis, devido às enormes filas de espera.

Se o investimento eventualmente o permitir, expandir o evento para mais um pavilhão, de modo a evitar os corredores praticamente impossíveis de transitar, tal era a quantidade de gente.

Também se devia apostar mais nos desenvolvedores portugueses e, colocar uma zona mais visível para isto, seria excelente. Além disso, fazer eventos de Game Jam, nos quais os visitantes pudessem assistir ao desenvolvimento de jogos em tempo real, seria algo verdadeiramente espetacular e, sem dúvida, uma boa forma de atrair e dar a conhecer as dificuldades de criar um jogo num curto espaço de tempo.

 

No more articles