A Nokia apresentou-se em grande no MWC 2017 em Barcelona com imensas novidades, algo que já não víamos há algum tempo e nos trouxe aquela nostalgia do início do milénio.

17 anos depois do lançamento do original, a Nokia, pela HMD Global, relançou o lendário Nokia 3310 numa versão com um design muito parecido, mas com uma maquilhagem recente. Além deste 3310, a Nokia apresentou também os seus smartphones mais modernos que nos deixaram bastante surpreendidos.

Nokia 3310

Começando pelo Nokia 3310, este apresenta o mesmo desenho e disposição de teclado presente no original, com um ecrã a cores, que infelizmente não é touch, mas isso permite reduzir o preço substancialmente.

Além disso, conta com 2G GSMA, bateria de 1.200 mAh que permite até 22 horas de conversa e 31 dias em standby. Suporta também cartão microSD, carrega-se por Micro USB, possui lanterna, os toques clássicos, os jogos que adorávamos como o Snake, numa versão mais moderna e, tudo isto, por 49€.

O 3310 passou em todos os testes de qualidade da Nokia, pelo que podem esperar por um telemóvel resistente, funcional e bastante barato. Ideal para reviver aqueles momentos nostálgicos de há uns anos.

A linha de smartphones

Além do clássico, a Nokia apostou no presente e olhou para o futuro. Os seus novos smartphones apostam em hardware recente, enquanto mantêm a mentalidade que tornou a companhia finlandesa tão popular: bateria e resistência.

Os novos modelos apresentados foram os Nokia 3, 5 e 6, que representam os modelos de baixa, media e alta gama, respetivamente.

Na tabela seguinte podem ver e comparar as diferentes especificações destes equipamentos:

Nokia 3 Nokia 5 Nokia 6
CPU Mediatek MT6737 Quad Core 1.4GHz Snapdragon 430 Octa Core 1.4 GHz Snapdragon 430 Octa Core 1.4GHz
RAM 2GB 2GB 3GB/4GB
ROM 16GB+microSD 16GB+microSD 32GB/64GB+microSD
Ecrã 5”@720×1280 5.2”@720×1280 5.5”@1080×1920
Câmaras 8 MP + 8MP 13 MP + 8 MP 16 MP  + 8 MP
Bateria 2650 mAh 3000 mAh 3000 mAh
Sistema Android Nougat Android Nougat Android Nougat
Preço 139 € 189 € 229 €

Olhando um pouco para a tabela, podemos ver que o Nokia 5 e 6 são bastante parecidos em termos de especificações de processador e bateria, mas pelo preço do Nokia 5, podem adquirir telemóveis já com mais RAM e armazenamento, com ecrãs de 1080p, se procurarem nas marcas chinesas.

O maior argumento do Nokia 5 é sem dúvida a bateria de 3.000 mAh, que aliada a estas especificações de menor consumo, permite que possam aguentar o telemóvel sem o carregar, por bastante tempo.

Ao olharmos para o Nokia 6, os argumentos a seu favor tornam-se um pouco mais fortes. Apesar de ainda utilizar o mesmo processador de baixa gama do Nokia 5, o seu ecrã aumentou para FHD, possui até 4GB de RAM no modelo com 64GB de armazenamento.

No que diz respeito a fotografias, este conta com uma câmara de 16 MP equipada com sensor da Sony e uma bateria de 3.000 mAh, apesar de não permitir a mesma duração do Nokia 5. É algo bastante bom se tivermos em conta que o aumento do consumo praticamente apenas se deve à mudança na resolução.

O Nokia 3 não tem praticamente nenhum argumento a seu favor, apenas se olharmos para o facto de ser um modelo de entrada com uma câmara equipada com bons sensores.

Estes três Nokia contam com a versão Nougat de Android, uma versão pura e sem modificações, como a versão que temos nos Google Pixel. Neste caso, com a versão Android 7 de raiz, isto significa que os dispositivos contam com o novo assistente da Google, outro ponto a fazer deles.

Conclusões

A Nokia voltou com vontade de vencer e nota-se que estudou bem o mercado e adaptou-se ao mesmo. A sua nova linha não é extraordinária, mas serve como primeiros passos para um futuro melhor para a companhia.

Gostamos de ver a Nokia como uma pessoa que acordou de um coma e está primeiro a aprender o que perdeu, em vez de começar imediatamente a correr a maratona.