Os Moto Z são dispositivos do ano passado, mas marcaram presença no maior evento de dispositivos móveis do mundo por terem sucesso onde outros falharam, na modularidade. A Lenovo trouxe para o evento o Moto Z e o Moto Z Play para mostrar a todos os que passassem pelo seu espaço, a capacidade dos extras modulares destes, e deixaram muita gente surpreendida!

Modular ao máximo

A LG tentou com o G5, mas foi um fracasso para muitos, e deixou a ideia de parte, por agora. Contudo, a Moto, e até a Alcatel, parecem querer apostar na ideia, e no caso da Moto, esta  parece estar a correr bem, olhando ao que mostrou no MWC.

A vontade da companhia é expandir o que mostrou na feira, que já pode ser adquirido. Para isso irá servir-se de parcerias e até de campanhas de recolha de investimento pelo público, algo que serve também para aferir às vontades do público.

Os mods apresentados servem para dar uma ideia do que a Moto quer fazer, contudo estão cientes de que o conceito modular não é suficiente para atrair novos fãs, apenas suficiente para ser um factor diferenciador.

Estes módulos, como é claro, servem diferentes propósitos, e como tal, terão diferentes preços conforme a sua capacidade. Um dos mais caros é o módulo da câmara Hasselblad, e é bem capaz de valer o que se paga por ela.

A Moto quer trazer doze novos módulos por ano

Ao colocar o módulo no dispositivo, pelo sistema magnético, este reconheci-a como a sua câmara, e podemos controlá-la, e uma das maiores vantagens, é o zoom óptico até 10x! Para quem não perceber a diferente, o zoom óptico é muito melhor que o zoom digital, que a todos os smartphones fazem, pois não estraga a imagem.

Com este módulo transformamos o nosso smartphone quase numa máquina de fotografia profissional, com zoom óptico de 10x, que guarda os ficheiros em formato RAW e com flash Xenon, mas claro que tem um custo.

Mas do que vimos, o meu favorito e pelo qual era capaz de comprar o Z Play, foi o módulo capaz de projectar imagem ou vídeo, Insta-Share Projector.

Este módulo é muito interessante, podemos partilhar vídeos com os nossos amigos, ou até ver séries completas, com facilidade e sem estar prestos aos ecrãs habituais de 5″ ou 5,5″ dos smartphones, podendo com este módulo partilhar imagens numa parede até 70″!

O pequeno módulo dá-nos uma resolução de 854 x 480, incorpora tecnologia DLP e 50 lumens, com um contraste de 400:1 a uma projecção de 1,2m, a sua câmara terá uma duração em torno de 10.000 horas. Dá para ver mais de 10.000 episódios de Game of Thrones…pena não haverem tantos, talvez Simpsons ou Dr. Who?

E não se aflijam, alguns dos módulos contam com baterias incorporadas, como é o caso do projector, para não consumir toda a bateria do nosso smartphone. Neste caso, a bateria do Insta-Share é de 1.100 mAh, que deverá durar cerca de uma hora, daí que apenas tenha referido séries, e não filmes. É chato ficar a meio.

moto z projector mwc 2017

A Moto conta já com vários módulos interessantes, como também colunas JBL para bombar as nossas músicas favoritas, e também capas traseiras que servem de powerbanks. E tem já vários conceitos para módulos futuros. Um deles será um segundo ecrã, para podermos usar a câmara traseira para selfies e ver o que se passa ao mesmo tempo.

Outro módulo estará a ser produzido em conjunto com a Amazon, e este irá trazer a plataforma de inteligência artificial que eles criaram para os smartphones da Lenovo. Assim os utilizadores poderão utilizar no seu dia-a-dia a plataforma AI Alexa.

Moto Z e Z Play

O Moto Z é bastante poderoso, com um Snapdragon 820 e 4GB de RAM, acompanhada de 32 ou 64GB de armazenamento interno. Já o Moto Z Play, leva a modularidade para a gama média com um Snapdragon 625, 3GB de RAM e 32GB de armazenamento.

Os módulos apresentados elevam ao máximo as suas capacidades!

São dispositivos interessantes por si só, até nas câmaras, no modelo de topo contamos com um sensor principal de 13 MP, OIS, f/1.8 e foco laser, e para selfies uma câmara de 5 MP com f/2.2 e capaz de gravar a 1080p. Quanto à outra variante midrange conta com uma câmara principal de 16 MP e f/2.0, também com foco laser, e uma câmara frontal igual.

Em termos de autonomia, este Moto Z Play ganha, com 3.510 mAh, face aos 2.600 mAh do modelo top. Apesar disto, ambos contam com tecnologia TurboPower da Moto para carregamentos mais rápidos. No caso do Moto Z Play, a companhia promete 9h de bateria com apenas 15 minutos de carga! Resta saber se nessas horas o podemos usar ou não…

Nem tudo é novidade na MWC, é sempre bom relembrar o que de bom já existe, a Lenovo parece-nos ir no bom caminho com esta ideia de módulos para os Moto Z.