monster hunter rise switch hero

Monster Hunter Rise Demo – Análise de performance

Monster Hunter Rise é o novo título da famosa saga da Capcom, que será lançado em exclusivo na Nintendo Switch a 26 de Março de 2021.

Como ainda falta algum tempo para o lançamento, a Capcom disponibilizou uma demo jogável na Nintendo eShop, para que possam testar algumas das novas mecânicas e caças.

Neste artigo vamos analisar a demo de Monster Hunter Rise, ver como comporta a nível gráfico e de performance.

Começando pelo motor gráfico. Monster Hunter Rise usa o excelente RE Engine, proprietário da Capcom e utilizado em títulos como Resident Evil 7, Remake 2 e 3 e Devil May Cry 5.

É um motor incrivelmente escalável, capaz de correr em máquinas mais modestas sem perder grande qualidade gráfica.

A nível gráfico, Monster Hunter Rise oferece uma boa evolução gráfica quando comparado a Monster Hunter Generations Ultimate, mesmo que este traga consigo alguma bagagem por ter estado presente na Nintendo 3DS.

Os cenários são mais complexos e detalhados, especialmente nas texturas que compõem o chão e a folhagem, os ataques interagem mais com o cenário levantando poeira, pedras e outros detritos, o pelo dos monstros parece mais natural e move-se de forma realista.

A nível de resolução, o jogo corre a 720p com a consola na doca, o que leva a existirem elementos, especialmente nas sombras, nos quais conseguimos ver a separação dos pixels, algo que acontece frequentemente na Nintendo Switch. Não recomendo jogar este jogo numa tv 4K, pois a imagem fica demasiado esbatida.

Além disso, o jogo possui motion blur de câmara em vez de por-objeto, o que piora o efeito de esbatimento quando jogamos num monitor de maior resolução.

image 43

A nível de performance, o jogo consegue manter as 30 fps estáveis durante a maior parte do tempo. No entanto existem situações que causam flutuações no frametime, dando ao jogo uma sensação de lentidão e inconsistência.

Existem algumas flutuações ocasionais durante a exploração, mas é durante os combates que mais se verifica este fenómeno.

image 44

Conclusões

Ainda falta muito tempo para a versão final de Monster Hunter Rise ser lançada, o que significa que ainda há tempo para tentar melhorar as flutuações de frametime e tornar o jogo mais suave.

No entanto, este jogo é um testamento à qualidade do RE Engine e um salto claro a nível qualitativo no que toca a gráficos e complexidade dos cenários numa versão portátil de Monster Hunter.

Your email address will not be published. Required fields are marked *