A Lisboa Games Week começou durante o dia de ontem com a grande confusão (positiva) que este evento já nos habituou. O espaço da FIL, que este ano conta com dois pavilhões, está completamente carregado de jogos, actividades e até um pequeno bónus que deixo para o final desta notícia. Se ainda não foram, e ainda o quiserem fazer, têm até ao domingo, o último dia do evento.

A Lisboa Games Week dura de quinta-feira a domingo (16 a 19 de Novembro)

As portas da FIL abriram pelas 10h00 com a presença da Secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann, e aí começou a busca pelos espaços favoritos de cada um, quer seja nos jogos mais recentes, pelo espaço dos retrogames, para ver os clássicos do passado, ou então à procura das novidades mais fresquinhas dos jogos que ainda não foram lançados.

Uma das principais novidades para esta quinta-feira foi, sem qualquer tipo de dúvida, o jogo Erica. Apesar de ainda ser relativamente desconhecido para a comunidade gamer, porque é um jogo que foi anunciado há apenas 2 semanas, na irmã gémea da Lisboa Games Week, a Paris Games Week, vem ainda de um estúdio muito recente que está situado na cidade de Londres.

Tivemos então presentes numa sessão muito informal onde nos foi apresentado este jogo, e que jogo! Admito que já tinha ouvido falar bastante bem do Erica, mas poder ver as novidades com os nossos próprios olhos é completamente diferente. O que este jogo traz, e que ultimamente tem faltado em muitos títulos de renome do mercado, é inovação no verdadeiro sentido da palavra.

Erica é um jogo/filme sem qualquer tipo de imagens geradas por computador. Toda a acção do filme foi filmada em ambientes reais, com actores e objectos reais. Com isto, foi-nos dito pela Flavourworks, a produtora, que esperam que o jogador esteja mais imerso neste ambiente, ao perceber que tudo o que está a ver no seu monitor é exactamente o que veria se estivesse a ver o mesmo objecto ao seu lado.

Erica é um jogo completamente composto por actores, ambientes e objectos reais

Um bom exemplo disso é um isqueiro usado no jogo, e que com o qual podíamos interagir, estava naquela sala onde nos foi feita a apresentação. O mais interessante é que as novidades não acabam aqui. Toda a interacção feita com o jogo é efectuada através do nosso smartphone e não das plataformas habituais. O que isto significa é que, se quisermos abrir o isqueiro, temos de fazer o movimento no ecrã do nosso smartphone.

O que mais me surpreendeu com esta interacção, e que penso que traz um toque especial de imersão ao jogo, é o facto de podermos rodar o nosso telemóvel para poder aumentar o nosso campo de visão ao espreitar por uma porta mal fechada, como poderia ser feito no mundo real. Erica é um nome pelo qual vale a pena estar atento, pelo menos para saber um pouco mais das notícias que vão chegando aos poucos.

Numa nota final, e a qual eu não poderia deixar escapar, existe uma área na Lisboa Games Week para os fãs de FPS como eu. Quando pensarem que já estão fartos de olhar para uma mira de uma sniper no monitor do vosso computador ou televisão, passem pela zona onde está situado o Exército Português e os Paraquedistas de Tancos, e experimentem as armas que já conhecem de cor dos vossos jogos favoritos.

armas_exercito_portugues_lgw_2017

No more articles