Iron Man VR cover

Iron Man VR Review – Só agora?

O Melhor
Jogabilidade intuitiva
História interessante
O Pior
Imensos loadings
Gráficos medíocres
70

Um jogo do Iron Man em realidade virtual parece algo tão óbvio, que não entendo como demoraram tanto tempo a fazê-lo.

Iron Man VR é um exclusivo PSVR desenvolvido pelo estúdio Camuflaj e coloca-nos no papel de Tony Stark, o famoso Iron Man. É uma experiência que consegue mostrar o melhor que a realidade virtual numa consola consegue oferecer, mas também o pior.

História repleta de mistério (se nunca leram as BD)

A minha cultura da Marvel nunca passou muito dos filmes ou de algumas séries animadas dos anos 90, portanto para mim, quando introduzem um personagem que não apareceu numa dessas fontes, é algo novo.

A história de Iron Man VR começa com Tony a decidir retirar-se do seu papel de criador de armas, tendo por objetivo dedicar-se completamente a ser o Iron Man. Para tal, destrói os seus últimos drones de combate e desliga a IA que criou à sua imagem, Gunsmith, para construir armas novas.

Iron Man VR 2

Infelizmente, algum tempo depois e durante uma viagem de avião, Stark é atacado por drones de combate que identifica como sendo os seus próprios. Uma personagem mascarada chamada Ghost, conseguiu obter alguns destes drones e tenciona usá-los contra Stark numa campanha de vingança.

Ghost aparece no filme Ant Man and the Wasp, mas a história de Iron Man VR é completamente original segundo o estúdio, portanto é possível que a sua história de origem também seja diferente das outras aparições da personagem. De qualquer forma, o jogo faz um excelente trabalho em desenvolver as motivações de Ghost ao lado do jogo, tornando-a numa personagem relacionável.

A escrita do jogo está bastante boa e todos os personagens são carismáticos de alguma forma. Tony como seria de esperar tem sempre uma piada sarcástica pronta a disparar, Pepper Potts e a IA Friday são o contrapeso que impede Tony de se tornar num demónio e Gunsmith representa a pior face de Tony Stark, altamente inteligente e sem qualquer remorso ou ética.

A campanha dura cerca de 6-7 horas, é composta por 12 capítulos com algumas missões secundárias.

A experiência autêntica

O estúdio Camuflaj fez um excelente trabalho em criar uma experiência que nos faz sentir completamente como se fossemos o Iron Man.

Iron Man VR

Considerando as limitações do PSVR no que toca aos controlos, foi feito um excelente trabalho em recriar as funcionalidades do fato sem necessitar de muitos botões.

Para voar temos de utilizar os gatilhos para ativar os propulsores, colocando os braços para trás e inclinando o corpo para a frente, o que fará com que voemos para a frente.

A partir daqui, podemos fazer várias manobras como voar na vertical e horizontal utilizando apenas um braço ou os dois, podemos disparar com um braço e voar com o outro e desviar de ataques em pleno voo utilizando o boost dos propulsores. Aliás, o sistema é tão intuitivo que ao fim de uns segundos estão a fazer tudo isto.

A forma como as armas são usadas também é bastante divertida, podemos utilizar as palmas das mãos para disparar tiros laser, ou apontar a varinha do Move para o chão para utilizar as armas secundárias (como se colocassem o pulso num ângulo de 90º).

Podem também utilizar um murro que causa bastante dano e se apontarem no chão, fazem um Ground Pound que atira os inimigos terrestres ao ar em câmara lenta, que podemos destruir num wombo combo repleto de acção.

Iron Man VR 4

Ainda existe o Unibeam que carregamos ao destruir inimigos, um laser altamente poderoso que permite limpar o cenário e ignora as defesas dos drones inimigos.

A única mecânica que achei estranha, foram as luvas magnéticas que temos de usar num nível, para colocar uns contentores num comboio. Apesar de ser numa situação sem inimigos à volta, achei que existia pouco controlo no voo, levando a frequentes choques contra a parede. Na outra situação em que utilizamos, o jogo alinha-nos com o objetivo e basta apenas apontar e disparar, portanto não fez assim tanta confusão.

Ao terminarem as várias missões vão receber pontos consoante a vossa performance, que podem usar para desbloquear armas e upgrades para o vosso fato. Inicialmente pensei que todos estes upgrades podiam acumular, mas na realidade podem apenas equipar um por slot.

Existem dois loadouts que podem equipar a vosso gosto, caso queiram ter dois tipos de builds, mas sinceramente não senti necessidade de utilizar o segundo. Seria bastante útil se pudéssemos trocar os loadouts em tempo real durante as missões.

Os upgrades em si são bastante úteis, permitindo aumentar a vossa velocidade ou manobrabilidade, a velocidade de recarregamento das armas secundárias ou da integridade da armadura e até, trocar as cores. Estas skins são desbloqueadas cumprindo certas missões que envolvem derrotar um número de inimigos com certas armas.

Gráficos, performance e som

Eis que chegamos à parte má do jogo. Graficamente, Iron Man VR é bastante insonso. Os cenários são genéricos e sem nenhuma interação, com um aspeto bastante artificial que seria de esperar na altura da PS3.

Iron Man VR 3

A performance do jogo não é má, existem aquelas opções que permitem evitar o enjoo de movimento, algo que não senti de todo, durante o tempo que joguei. No entanto, os loadings são uma verdadeira praga neste jogo.

Além dos loadings demorarem até vários minutos, existem loadings dentro de loadings. É comum ter um loading, um diálogo que são apenas letras brancas num ecrã preto, seguido de outro loading. É algo que destrói completamente a imersão.

A nível de som, o voice acting é bastante bom e a banda sonora é o que se espera de um jogo de Iron Man, com bastantes inspirações em heavy metal.

Conclusões

Iron Man VR é uma boa experiência VR que nos coloca dentro da armadura do famoso herói da Marvel. A história é interessante mas os cenários fracos, pouca variedade de inimigos (apenas 6) e os loadings abusivos impedem o jogo de ser muito bom, tornando-o apenas em algo decente.

Loadings não são algo incomum em jogos VR, muitos sofrem disto, portanto estou bastante curioso para ver como o novo sistema de armazenamento nas consolas da próxima geração vai mudar o design deste tipo de jogos, tornando-os muito mais imersivos (espero).

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Final Score