Dragon Ball XenoVerse: Review Completa.

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Dragon Ball Xenoverse

Dragon Ball tem uma longa linhagem de jogos. Muitos são bons, alguns são brilhantes e outros não são grande coisa. Após uma era dourada de jogos na PS2, onde tivemos as fantásticas séries Budokai e Budokai Tenkaichi, a geração passada não foi muito generosa para com esta série. Os jogos pecaram em diversos pontos essenciais, desde a falta da liberdade, a combate extremamente preso, péssimo voice acting e nem vamos falar do desastre que foi o Dragon Ball Z Kinect. No fundo faltou o avanço tecnológico que seria esperado aquando do inicio da geração e, principalmente, o tratamento que jogos como Naruto e One Piece tiveram.

Para colmatar a falta de qualidade dos últimos jogos, a Bandai Namco decidiu entregar a produção de Dragon Ball Xenoverse ao estúdio Dimps que tinha sido responsável por Budokai e Budokai Tenkaichi afim de recuperar a esperança nesta série. A Dimps optou por uma abordagem ao estilo Budokai Tenkaichi, com combates em 3D em mapas relativamente grandes e incluiu combates com múltiplos personagens ao mesmo tempo ao estilo do lendário Dragon Ball Z Legends da Sega Saturn. Também decidiu incluir um modo online com elementos de cooperação e MMORPG com um HUB onde os jogadores se podem encontrar e combinar combates.

Ao começar o jogo temos de criar a nossa personagem: dar-lhe um nome e escolher a raça que queremos ser. Dentro destas raças podemos escolher entre Humanos, Namekianos, Saiyans, a raça de Freezer ou do Majin, a raça de Buu. Cada raça tem os seu atributos, que podem variar em: Max Health, Max Ki, Max Stamina, Basics Attack, Strike Supers, Ki Blast Supers . Trata-se de um ponto de personalização que tem em vista o modo de jogo online, mas também modifica a forma de luta de cada um. Além disto, podemos alterar a altura da nossa personagem, o sexo, e as cores da nossa roupa e corpo. Mais tarde poderemos mudar alguns destes atributos e mudar a roupa.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text css_animation=”bottom-to-top”]Xenoverse modificação review

 

Após o tutorial onde aprendemos os básicos do combate somos levados para Toki Toki, que é a cidade quee serve como HUB para combates e a selecção do modo de jogo que queiramos. Aqui também podemos comprar acessórios, poderes, items, etc. Veremos outras personagens online, e outras do jogo, as quais podem dar-nos missões secundárias para completar e assim conseguir mais experiência e recompensas, e a possibilidade de jogar com outras personagens. Além disso, sempre que terminarmos uma missão, comecemos o jogo ou terminemos uma missão secundária, apareceremos nesta cidade. A movimentação pela cidade é um pouco lenta, já que não podemos voar nem andar mais rapidamente. Aqui podemos escolher os nossos movimentos (existem 200 movimentos diferentes), poderemos desbloquear as personagens (47 personagens no total), modificar a roupa (que nos aumentam o poder e aspeto), e aumentar as nossas habilidades à medida que subimos de nível. Todas estas alterações apenas se podem realizar fora do combate, isto é, em Toki Toki. Um ponto negativo que aqui encontramos é a não possibilidade de ver os equipamentos antes de os poder comprar. O ideal seria poder ver-nos com algum acessório antes de o comprar. O mesmo sucede com os poderes, já que por muito conhecedor de Dragon Ball, saber todos os poderes e os seus nomes é quase impossível para a maioria de jogadores.

As missões principais são nada mais que 12. Um número redondo e que pode parecer pequeno, mas não é, graças à evolução que temos de fazer à nossa personagem. Á medida que vamos superando as missões, a dificuldade do combate vai aumentando. As personagens vão ganhando mais poder, e a nossa personagem, criada por nós, terá de ir evoluindo também. Para isso temos de ganhar experiência, não só nas missões principais da cápsula do tempo, mas também nas denominadas Parallel Missions. Estas missões secundárias ajudam-nos a conseguir mais experiência, poderes e acessórios que aumentam todos os atributos da nossa personagem. Por esta razão envolve alguns elementos de jogos de RPG, mas ao mesmo tempo, o núcleo do jogo, é sempre luta.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text css_animation=”bottom-to-top”]

O Argumento

Uma vez mais passaremos pela história de Goku: desde Raditz até Dragon Ball GT. Durante esta viagem veremos algumas coisas que já sabíamos, e outras que foram alteradas, já que pelos vistos alguém está a alterar a história. A nossa personagem, com a ajuda de Trunks que pertence a Patrulha Temporal, volta a esses momentos e luta para que a história não se altere.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”3861″ css_animation=”bottom-to-top” alignment=”center” border_color=”grey” img_link_target=”_self” img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text css_animation=”bottom-to-top”]Não se trata da história mais original de Dragon Ball, mas é na verdade uma boa ideia para reviver momentos que muitos já conhecemos, mas ao mesmo tempo de dar-lhe um toque diferente, para que a nossa atenção esteja no jogo em si. Acabamos por estar perante uma  FanFic oficial[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text css_animation=”bottom-to-top”]

GamePlay

O modo combate é completo, intenso e muito rápido. Neste jogo não basta martelar todos os botões ao mesmo tempo, já que para fazer uma boa combinação e o maior dano possível terás de saber como lutar, e mais ainda, como luta a personagem que escolheste. O combate corpo a corpo é o mais comum e o mais assombroso ao mesmo tempo. Podes fazer vários combos, e combinar o corpo a corpo com alguma habilidade especial, de forma a fazer um combo ainda mais poderoso. Muitas vezes aparecem aquelas cenas em que as duas personagens estão a lutar ao mesmo tempo, mas no final isso não termina em nada. Porquê? Estes duelos eram incríveis em Budokai e Budokai Tenkaichi

Xenoverse Combat

Para poder ganhar é necessário saber defender-se e administrar a nossa stamina e o nosso Ki. Cada lutador tem quatro habilidades especiais, e três ataques definitivos (os mais poderosos) que consomem muita energia. Além disso, podemos transformar-nos dependendo da nossa raça, o que permitirá aumentar o poder por instantes durante a luta, o que pode significar perder ou ganhar.

Os poderes especiais tem de ser realizados no momento certo, dado que o oponente recebe um aviso de quando estejas a realizar este, o que permite que o oponente possa esquiva-lo. Este é um aspecto muito importante ao longo do jogo, que dependendo da forma como lutemos, escolheremos os poderes que mais nos convenham. No entanto não se percebe a decisão de não ser possível carregar o nosso Ki por defeito, sendo apenas possivel através de habilidades e itens.

Resultados Xenoverse

O modo de luta pode variar ao longo da história: pode ser 1 vs 2, ou 3 vs 2, mas nunca mais que 3 vs 3 ao mesmo tempo. As missões podem ser diferentes, e não só matar o oponente. Depois de terminada a missão veremos uma pontuação, onde receberemos experiência, “Zenis” (moeda do jogo) e algum que outro equipamento.

O modo de jogo de luta é excelente, mesmo que tenha muitos aspectos a melhorar. Antes de mais nada a câmara é muito trapalhona e não apresenta o melhor plano, o que nos deixa um pouco confusos.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text css_animation=”bottom-to-top”]

Modo Online

Podemos jogar este jogo no modo Offline ou no modo Online, o qual podemos escolher antes de começar a jogar Xenoverse. No HUB podemos escolher se queremos fazer missões online ou combates onlines. Contudo, na interação com outros jogadores online não podemos pedir-lhes para lutar, nem nada parecido. Além disso, durante as lutas online existem pequenos Lags, e por vezes algumas quedas do modo jogo.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”3862″ css_animation=”bottom-to-top” alignment=”center” border_color=”grey” img_link_target=”_self” img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text css_animation=”bottom-to-top”]

Som

As vozes em inglês não têm “força” nem personalidade, pelo que recomendamos mudar para Japones. A musica do HUB é bonita ao principio, mas irritante após várias horas de jogo. Durante o modo combate a música de fundo tem mais energia, mas os sons das personagens, das pancadas, dos super poderes, e do ambiente não se associam da melhor forma ao combate.

Gráficos

Conseguem fazer-nos sentir em todo o momento que estamos a ver Dragon Ball, mas mesmo assim poderia melhorar o aspecto visual aproveitando todos os recursos das consolas de última geração. A limitação do ambiente poderia tornar o mesmo um pouco mais cuidado e com mais detalhes, mas isto não é o que sucede. As texturas do cenário conseguem passar do incrivelmente detalhado para incrivelmente borradas e feias, às vezes até pior que o que se via na PS2. Temos ainda alguns recursos Nvidia que podemos alterar no painel de controlo como o Nvidia SGSAA, uma técnica de Anti-Aliasing introduzida recentemente.

E para terminar, deixamos aqui uma luta contra Cell.

 

Xenoverse é um jogo esperado por muitos de nós, e que não nos desiludiu, mas mesmo assim esperávamos mais! Possivelmente seja um dos melhores dos últimos tempos, mas mesmo assim não soube aproveitar todas as possibilidades de hoje em dia. Possivelmente é um jogo para repetir, nem que seja com outras personagens. Se o modo online fosse mais completo, seria um excelente jogo para jogar em equipa.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row]

More Stories
Nostalgia Gaming – Dragon Ball Z: The Legend