Como reconhecer uma má VPN

Atualmente é cada vez mais comum termos acesso limitado a determinados conteúdos na Internet, devido a restrições impostas pelos serviços ou pelas redes que utilizamos. Se juntarmos a isto o facto de que cada vez mais existe uma maior preocupação com a privacidade, com o direito à liberdade de expressão, e com o acesso livre a conteúdos, acabamos por perceber o porque de nos últimos anos a procura por serviços de VPN ter vindo a crescer de uma forma absurda.

Caso não estejam familiarizados com o tema e estejam a procura de um bom serviço, recomendamos que deem uma vista de olhos a esta lista que contém bons serviços de VPN que podem utilizar. Além disso, vamos ensinar-vos a identificar os maus serviços, de maneira a que possam fazer a escolha ideal.

Investiguem o serviço que pensam utilizar

É fundamental fazer alguma investigação previa sobre a empresa que estão a pensar utilizar, como tal, aconselhamos que façam algumas pesquisas pela Internet sobre as VPNs em que estão interessados, de forma a perceber se é uma opção a ter em conta não. Lembrem-se que enquanto estiverem a utilizar o serviço, todo o vosso tráfego irá passar pelos servidores da dita empresa, e por isso, é muito importante confiar em quem nos presta o serviço. Um bom lugar para formar uma opinião, são os diversos fóruns sobre o assunto que existem pela Internet, onde muitos utilizadores discutem as suas experiências com os vários serviços disponíveis no mercado.

Além disto tudo, é muito importante que vejam onde está sediada a empresa e os seus servidores, e quais são as políticas de privacidade da empresa, de forma a terem uma ideia do que podem esperar a nível de privacidade e de proteção dos dados.

Cuidado com as VPNs gratuitas

Tal como acontece com a maioria dos softwares gratuitos, nenhum serviço VPN pode ser 100% gratuito, pois a empresa por detrás do serviço tem de pagar os custos de alguma forma.

Lembrem-se que as empresas têm de pagar o custo de operação dos servidores, os acessos, tráfego consumido, entre outros aspetos relacionados. Como tal, é de esperar que o lucro tenha de surgir de alguma forma para que seja possível manter tudo a funcionar, nem que seja com, por exemplo, a venda de dados dos utilizadores do serviço, ou até mesmo outro tipo de táticas obscuras e prejudiciais, como aconteceu à algum tempo com a famosa “Hola” VPN.

A quantidade de servidores é importante

Nunca escolham serviços com apenas um ou dois servidores num único país. É importante escolher um serviço que ofereça um elevado número de servidores em vários países diferentes, para que desta forma possam mudar o IP que é apresentado aos sites/serviços que acedem de forma fácil e rápida.

Atenção ao nível de segurança que o serviço oferece

Todos nós temos direito à nossa privacidade, mas sabemos que essa é uma realidade cada vez mais é difícil de atingir. Como tal, uma VPN que não garanta privacidade não irá certamente ser uma boa opção, independentemente da razão pela qual querem utilizar uma VPN.

É importante verificar que tipo de mecanismos de segurança o serviço oferece: encriptação utilizada, protocolos utilizados, que tipo de logs são armazenados sobre a utilização e por quanto tempo, entre outros aspetos relacionados com a segurança do serviço. O ideal é uma VPN que não armazene logs que possam identificar o utilizador.

Tem suporte técnico?

Se não existir suporte técnico, então não será uma boa escolha. Ninguém quer pagar por um serviço que não tem qualquer tipo de suporte técnico que possa ajudar a despistar e a solucionar problemas, ou até mesmo a esclarecer alguma dúvida.

Devido à massificação deste tipo de serviços, acreditamos que é cada vez mais importante os utilizadores terem a capacidade e os conhecimentos necessários para conseguirem identificar os maus serviços de VPN que existem no mercado. Dito isto, esperamos que tenham ficado um pouco mais esclarecidos sobre o assunto, de forma a que consigam identificar esses serviços facilmente.