[vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Bloodborne é a nova IP exclusiva de PS4 criada por Hidetaka Miyazaki e produzido pela From Software, que já tinham trabalhado na série Souls, Demon’s Souls e Dark Souls. Sendo a série Souls conhecida por ser incrivelmente dificil e focada num público específico, o seu lançamento em exclusivo na PS4 foi bastante arriscado visto que a consola ainda não tem um jogo que se possa ser considerado system seller. Mas será que Bloodborne mesmo sendo um jogo com um núcleo tão hardcore pode ser o tal system seller que faltava à PS4? Vamos descobrir.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_video title=”Trailer de Bloodborne” link=”https://www.youtube.com/watch?v=44eAhrmEXf0″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Em Bloodborne visitamos Yharmam, uma cidade gótica ao estilo Vitoriano que se encontra em ruínas devido a uma epidemia que transformou a sua população em bestas deformadas e incrivelmente agressivas que atacam quem lhes aparecer à frente.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]No jogo encarnamos um caçador que tem por objectivo destruir os Pesadelos que causaram esta doença e logo no ecrã de criação de personagem vemos algumas diferenças em relação a Dark Souls. Não temos classes propriamente ditas, mas sim histórias do nosso passado que nos fazem com que alguns stats sejam melhores que outros. Também temos bastantes modelos de personagens para escolher.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]A história em Bloodborne é contada de forma diferente dos RPG normais. Em vez de nos mostrar uma cutscene sempre que chegamos a uma zona nova, essas são relegadas para segundo plano só aparecendo mesmo em momentos chave do jogo. Para sabermos o que acontece à nossa volta temos de falar com uns NPC que estão fechados em casa. A sua localização é facil de encontrar devido ao candeeiro vermelho que se encontra à sua porta ou janela. Isto faz com que o jogador seja obrigado a explorar os cenários e assim criar a sua própria história. Alguns destes NPC ainda nos dão quests opcionais. À primeira vista não parece mas a história de Yharmam é bastante profunda e quem se dedicar a investigá-la não vai ficar decepcionado.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Sendo Bloodborne um sucessor espiritual da série Souls, seria de esperar que muitos dos elementos de Dark Souls estivessem presentes, e realmente é verdade. O HUD é praticamente igual ao de DS e o sistema de combate também é parecido.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”4500″ border_color=”grey” img_link_large=”yes” img_link_target=”_self” img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]O combate foi alvo de uma remodelação, mas continua familiar para os veteranos da série. Em vez de espada e escudo, passamos a usar uma arma na mão direita e uma pistola na mão esquerda. Isso retira qualquer hipótese de ficarmos atrás de um escudo enquanto nos protegemos, mas não nos torna completamente expostos pois foi implementado um sistema de parry no qual se acertarmos com um tiro num inimigo que nos ataque no momento certo, este vai ficar atordoado e podemos acabar com ele usando um ataque visceral que na maioria dos casos tira toda a vida aos inimigos. Também foi implementado um sistema de esquiva que funciona quando estamos focado num inimigo e podemos dar um salto rápido para uma direcção desviando assim do seu ataque. Estas duas mecânicas fazem com que o combate lento e defensivo de DS passe a ser rápido e agressivo. A própria IA inimiga faz com que tenhamos de adoptar esta postura mais agressiva pois na maioria do tempo são bastante cautelosos e preferem andar de lado em pequenos passos enquanto nos estudam e esperam pelo nosso ataque em vez de partirem logo para cima de nós. Isto faz com que o jogador tenha a iniciativa na maioria dos combates mas não se pode carregar nos inimigos sem qualquer estratégia pois um ataque mal calculado deixa-nos à mercê dos seus ataques e se há regra que se deve seguir em Bloodborne é que mesmo os inimigos teoricamente mais fáceis não devem ser subestimados pois os seus ataques causam-nos bastante dano. É frequente os inimigos andarem em grupos e nesse caso temos de recorrer bastante à estratégia dividir e conquistar pois se formos cercados, provavelmente seremos espancados até à morte. O combate também é mais justo, na medida em que somos capazes de recuperar mesmo quando cometemos um erro e assim aprendemos e evoluimos como jogadores. Para isso também contribui a boa detecção de golpes, algo que sempre achei um problema em Dark Souls, no qual era atingido por ataques que tinha a certeza que não me iriam atingir. O único problema que se mantém de DS é a câmera que às vezes atrapalha, especialmente em bosses grandes, mas não arruina em vez alguma a experiência de jogo.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]As armas em Bloodborne também foram alvo de várias modificações. O seu número foi bastante reduzido, mas para compensar todas têm um modo secundário. Por exemplo a Kirkhammer é uma espada, mas quando ativamos o seu modo secundário esta transforma-se num martelo gigante que causa mais dano mas tem ataques mais lentos. A Threaded Cane é uma bengala que se transforma num chicote aumentando assim a distância a que precisamos de estar dos inimigos para lhes causar dano. A Tonitrus é uma massa que nos permite atacar a grande velocidade mas em vez de se transformar, o modo secundário permite que a carreguemos com electricidade que causa imenso dano aos inimigos com fraqueza a esse elemento. Estas mudanças no sistema de armamento permite abordar o combate da forma que mais nos agrade e variar as armas de acordo com os inimigos.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]As armaduras também foram retiradas, e ao invés foram colocados conjuntos de equipamentos. Cada conjunto de equipamentos oferece um bónus defensivo diferente e muitas vezes teremos vontade de vender o equipamento que não usamos, algo que não é recomendado pois nunca sabemos que inimigos vamos enfrentar. Outra mudança muito bem-vinda é o facto de o equipamento não pesar pelo que é possivel manter o combate sempre rápido.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”4499″ border_color=”grey” img_link_large=”yes” img_link_target=”_self” img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]A progressão do personagem é feito através de Ecos de Sangue, o equivalente às Almas de Dark Souls. Estes são ganhos quando derrotamos um inimigo ou através de items que dão um número variado de ecos. Tal como em DS, quando morremos perdemos todos os Ecos, pelo que teremos de voltar ao local onde morremos para os recuperar. No entanto em Bloodborne os inimigos podem apanhar os nossos ecos caídos e para os recuperarmos temos de derrotar esse inimigo. É fácil distinguir quem apanhou os nossos ecos devido aos brilho com que ficam. Mais uma vez, tal como em DS, se morrermos antes de recuperar os ecos, estes ficam perdidos para sempre. Os ecos permitem evoluir bastantes stats, como vitality, endurance, strength, skill, arcane e bloodtinge. Vitality, endurance, strength e skill são os clássicos que nos aumentam a barra de vida, stamina, resistência a venenos, frenesim e dano que causamos com as armas. Arcane aumenta o dano elemental que causamos e alguns items dependem deste stat para poderem ser usados. Bloodtinge aumenta o dano que causamos com as pistolas e precisamos deste stat para podermos usar algumas delas.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Outro stat bastante importante em Bloodborne é o Insight. O Insight deve-se à doença que nos afecta e pode causar alucinações. Quando atingimos 1 de Insight, podemos falar com uma boneca no hub do jogo, o Hunter’s Dream que nos permite evoluir os stats por ecos de sangue; quando atingimos 10 de Insight, podemos comprar items usando esse mesmo Insight e a partir de 15 de Insight, os inimigos adquirem novos ataques e tornam-se mais fortes. Em valores muito altos de Insight, novos inimigos aparecem em zonas onde antes não estavam e começamos a ver monstros enorme nalgumas zonas de Yharman. O Insight também permite que chamemos amigos para nos ajudarem nos combates através de cooperação ou que possamos invadir o mundo de outros jogadores num sistema de PVP. Ganhamos Insight quando encontramos bosses ou através de items que encontramos espalhados pelos cenários.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_video title=”Efeito do Insight em Bloodborne” link=”https://www.youtube.com/watch?v=1QSXoLmHFmY”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Entre os items de jogo temos as clássicas poções de vida, agora chamados Blood Vials que felizmente são abundantes e ganhamos facilmente ao derrotar inimigos; as balas de prata que usamos nas nossas armas de fogo; papeis que permitem dar propriedades de fogo ou electricidade à nossa arma principal, molotovs, facas envenenadas, etc. Também temos as bloodstones que nos permitem fortificar as armas e aumentar o dano que elas causam ou dar-lhes propriedades próprias. Ainda temos as runas que podemos equipar e nos dão bonus de ecos ganhos, vida, stamina, aumentam a resistência a venenos e frenesim ou aumentam a chance de os inimigos derrotados largarem items.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Yharmam é um local fantástico e com uma diversidade enorme de locais. Temos a cidade principal, incrivelmente detalhada com ruas apertadas propícias a emboscadas e catedrais enormes. Temos as florestas tenebrosas cheias de nevoeiro e fumos que fazem lembrar as de Resident Evil 4 e temos os esgotos com inimigos que se escondem debaixo da água negra e nos atacam a qualquer momento.  Entre estas zonas podemos desbloquear diversos atalhos preciosos que evitam que tenhamos de lutar contra os mesmos inimigos sempre que queremos voltar a um boss. Em cada zona temos uma ou duas lâmpadas que nos permitem voltar ao Hunter’s Dream.  A sensação de alívio ao explorar uma zona desconhecida com o bolso cheio de ecos e encontrar um atalho que nos leva a uma lâmpada quando estávamos sem poções é incrivel torna a exploração um elemento vital para progredir no jogo.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”4510″ border_color=”grey” img_link_large=”yes” img_link_target=”_self” img_size=”full” alignment=”center”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_column_text]

“A sensação de alívio ao explorar uma zona desconhecida com o bolso cheio de ecos e encontrar um atalho que nos leva a uma lâmpada quando estávamos sem poções é incrivel torna a exploração um elemento vital para progredir no jogo”

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Os monstros que infestam Yharman têm dos melhores desenhos que alguma vez vi num jogo. Temos aqueles que ainda não foram completamente transformados em bestas e ainda mantêm a sua aparência humana, mas existem outros completamente deformados e assustadores como um porco gigante com a cabeça cheia de olhos, um monstro com cabeça de mosca e corpo humano vestido com uma única camisola de trapos um cão com cabeça de corvo ou covo com cabeça de cão e humanóides com uma túnica que lhes tapa completamente a cabeça e fazem lembrar o aspecto da Morte são  apenas uns dos muitos inimigos que tornam Bloodborne tão negro e assustador e fazem jus ao nome Pesadelo. No entanto a arte dos Bosses é que se destaca e cada um consegue ser completamente único e espectacular. É sem dúvida a melhor arte de bosses que vi nos últimos anos.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]O mundo aberto de Bloodborne permite que cada jogador possa progredir de forma diferente devido às ramificações que existem nos cenários. Já tinhamos algo parecido em Dark Souls mas as áreas faziam lembrar arenas que estavam ligadas por corredores. Em Bloodborne temos à partida todas as áreas desbloqueadas e não temos propriamente uma área adequada para o nosso nivel. É comum que ao chegar a uma nova zona, nos deparemos com novos inimigos que nos podem surpreender e arrasar-nos completamente mas nunca sentimos que aquela zona é muito dificil para o nosso nível.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]O farm também é prática comum ao longo do jogo. As zonas em que vamos encontrar um boss são fáceis de identificar então se achamos que temos muitos ecos connosco, é preferível voltar à lâmpada para gastar esses ecos. Farmar em Bloodborne não é entediante e, muitas vezes, é nestas situações que descobrimos novos atalhos e equipamentos melhores, que nos tornam mais fortes. Outra sensação incrivel, que só os jogos da série Souls nos proporcionam, é a alegria de derrotar um boss depois de uma ou duas horas a treinar para evoluir os stats, é quase como se a nossa equipa favorita marcasse um golo.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_single_image image=”4511″ border_color=”grey” img_link_large=”yes” img_link_target=”_self” img_size=”full”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Além da história principal, temos o New Game Plus, no qual podemos recomeçar a aventura mantendo toda a progressão anterior e as Chalice Dungeons, masmorras geradas de forma procedural onde podemos cooperar com mais 3 amigos. Nessas masmorras podemos encontrar vários bosses e items de alto raros de alto nivel. No entanto apenas o jogador que convida é que recebe os bonus.

Além da cooperação e PVP ainda temos o clássico sistema de mensagens no qual podemos avisar os outros jogadores sobre os perigos que vão enfrentar adiante ou como morremos. Ainda podemos avaliar as mensagens dos outros jogadores e se a nossa mensagem for avaliada de forma positiva e estivermos em jogo, a nossa barra de vida será preenchida, pelo que é um incentivo a deixar o máximo possivel de mensagens.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]O som de Bloodborne é por incrivel que pareça um dos seus pontos mais fortes. A banda sonora é incrivel com música gótica e orquestral soberba, o som que os inimigos fazem, especialmente os mais deformados é aterrador e é comum ouvirmos gritos de pessoas em sofrimento dentro das casas quando passamos à porta. Quando não há musica de fundo, podemos ouvir o eco dos nossos passos e muitas vezes assustamo-nos com o nosso próprio som.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_video title=”A Banda sonora de Bloodborne” link=”https://youtu.be/Bki0PjoV14M?t=6021″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]

“O som de Bloodborne é por incrivel que pareça um dos seus pontos mais fortes”

[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]A nivel gráfico, Bloodborne está incrivel, com zonas muito detalhadas, efeitos de luz que contribuem para o efeito gótico que o estúdio tinha como objectivo.  Os nossos ataques jorram o sangue dos inimigos que suja as pardes e as plantas e o fumo presente nos cenários dá a sensação de doença e dificuldade em respirar. O céu do jogo mostra-nos um pôr-do-sol que não acaba e a sua paleta de cores faz parecer que nos vai cair em cima aumentando o clima pesado do jogo.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/6″][/vc_column][vc_column width=”2/3″][vc_column_text]Apesar de nunca ter sido grande fã da série Souls, Bloodborne atingiu-me como um raio. As mudanças introduzidas na série foram uma benção, especialmente ao nivel da jogabilidade e combate, trazendo uma lufada de ar fresco à série mas mantendo os elementos e dificuldade que os veteranos adoram, enquanto consegue ser acessivel a novos jogadores que queriam entrar no mundo de Yharmam.[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_column_text]

Concluindo, Bloodborne apesar de ser um jogo com um público alvo específico e sem dúvida o melhor jogo presente no catálogo da PS4 e finalmente o system seller que a consola tanto precisava. Tenho mais de 40 horas no jogo e sinto que ainda não descobri metade do que tem para me oferecer. Se gostam de desafios e querem um jogo que vos leve ao limite, Bloodborne vai satisfazer todos os vossos desejos com a sua dificuldade. Se acham que o jogo é muito dificil para voçês, a sua curva de aprendizagem é óptima e se sobreviverem às primeiras duas horas não vão querer jogar mais nada.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column width=”1/4″][/vc_column][vc_column width=”1/4″][vc_column_text]Pontos Positivos:

  • Combate rápido e fluido
  • Cenários incrivelmente detalhados
  • Jogo desafiante mas acessivel
  • Muito polido no lançamento
  • Banda Sonora épica
  • Jogador tem a liberdade de criar a sua história
[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/4″][vc_column_text]Pontos Negativos:

  • Câmera por vezes atrapalha
  • Longos tempos de carregamento
[/vc_column_text][/vc_column][vc_column width=”1/4″][/vc_column][/vc_row]