Análise: Stellaris - Distant Stars
Muitas anomalias e eventos novasGrande variedade de sistemasPesquisa de anomalias alterada
Guerra bastante mais localizada
78%Interessante para quem gosta de Stellaris
Reader Rating 0 Votes
0%

Já chegou o próximo DLC para o Stellaris: Distant Stars. Esta expansão vem-se focar em tentar melhorar a experiência de jogo, continuando algumas das alterações de base feitas na versão 2.0 de Stellaris, e que tanto foi criticada. Apesar destas alterações que referi alterarem o jogo de forma muito profunda, esta apenas altera muito a superfície, e não irá afectar muito a vossa forma geral de jogar.

No entanto, isso não significa necessariamente que as alterações não possam ser boas. Mas para isso temos de analisar a fundo o que mudou e ver se isso faz valer a pena um DLC ao preço de 10€.

Anomalias, muitas anomalias

Uma das maiores alterações em Distant Stars foi a adição de muitas, mas muitas anomalias e eventos. Antes destas expansão sempre vi estes eventos como uma boa adição à imersão do jogo, mas que não alterava de todo a nossa forma de jogar. Embora nos pudesse dar uma ou outra vantagem, no final do dia, continuávamos a jogar o mesmo jogo onde não tivesse acontecido nada.

Isto foi algo que eu notei que mudou. Além de as novas anomalias e eventos serem, na sua generalidade muito interessantes, algumas afectam em muito o nosso jogo. Num dos meus jogos que fiz ao experimentar este DLC, no final de um evento a minha espécie mudou de aspecto físico. Não direi mais para não fazer spoiler do que aconteceu mas sim, a minha espécie mudou de aspecto físico e também de preferência planetária.

Vi planetas mudar de tipo, espécies a revoltarem-se contra a nossa observação um pouco mais agressiva do que deveria, e até a população total de um planeta a ser substituída por algo que não sabemos o que é mas que parece ser a nossa população inicial, isto pelo menos à primeira vista.

Diverti-me bastante a ler e a viver estas anomalias e eventos. Não só sinto que dão muito mais variedade ao que tínhamos anteriormente, como também me parecem que são melhores e que afectam mais o nosso jogo, o que só pode ser algo bom.

anomalias_distant_stars

Para adicionar a esta parte positiva, os eventos em si, também foram alterados. Falo claro da forma como estes são pesquisados. Na versão anterior do jogo, cada anomalia tinha um nível que consistia na “dificuldade” de saber a resposta a este problema. Isso fazia com que a probabilidade de insucesso nesta pesquisa também variasse de acordo com o nível do cientista.

Isso fazia com que, no caso de termos uma anomalia de alto nível, e de não podermos fazer nada com os nossos cientistas, esta anomalia ficasse bloqueada, sob o enorme risco de falha ao tentar pesquisá-la. Isso foi alterado completamente em Distant Stars.

A partir de agora não existe risco de falha associada à anomalia. Isso significa que, uma anomalia de nível 10 pode ser pesquisada por um cientista de nível 1 sem ter risco de falha, mas ele irá demorar muito, mas muito tempo a acabar.

Finalmente, foi adicionada uma lista de anomalias por pesquisar ao menu do Situation Log, de forma a facilitar a procura das anomalias que deixámos por investigar.

anomalias_situation_log_distant_stars

Novos sistemas e novas hyperlanes

A galáxia está agora bastante mais rico e único. Em primeiro lugar, não conhecemos todos os caminhos da nossa galáxia o que, pensado bem, faz todo o sentido. Apenas investigando novos sistemas conseguimos alargar a nossa rede de conhecimento, não só de sistemas como também de hyperlanes. É assim bastante mais importante conseguir saber o que existe em nosso redor, antes de tentar escolher algumas locais fáceis de defender.

E essa é outra alteração, os choke points. Com a união de vários sistemas em pequenas constelações, o número de choke points aumentou exponencialmente. As guerras são agora bastante mais concentradas a alguns pontos de entrada no nosso império, fazendo com que seja bastante mais fácil fazer uma defesa eficiente. O problema (ou não) é que o próprio AI sabe usar de forma muito eficiente estes pontos para também não nos deixar entrar onde não devemos.

sistemas_distant_stars

Não estou a dizer que é necessariamente uma coisa boa o facto de a guerra no espaço ser muito localizada, o que pensando bem não faz qualquer tipo de sentido. Se olharmos para o jogo no seu início passamos de uma guerra que pode acontecer praticamente em qualquer lado, a ter apenas um ou dois focos de guerra passando o resto ao lado do conflito.

Voltando novamente aos sistemas foram adicionados novos tipos de sistemas e estrelas. Irão encontrar sistemas binário e ternários (ou seja com duas e três estrelas respectivamente). Estes não irão mudar o vosso jogo de forma alguma, embora estes possam ser mais ricos em recursos ou em planetas para habitar. Não deixa de ser algo interessante de encontrar.

L-Cluster?

Este é um novo evento especial que irá surgir no vosso jogo. Na vossa galáxia irão surgir até um total de 10 L-Gates que são uma versão alterada das gateways. Estas aparecem em sistemas com buracos negros e podem ser investigadas de forma a saberem um pouco mais sobre elas. Também o poderão fazer através de pesquisa.

Ao completarem a pesquisa esta será activada e descobrem um novo grupo de sistemas fora da galáxia, e que foram povoadas pelos construtores iniciais do sistema de gateways da galáxia. Ao abrirem o caminho para estas acontecerá algo, que embora quisesse muito dizer o que é, se torna bastante mais emocionante se forem vocês a descobrir o que é.

l_gate_distant_stars_stellaris

É um novo evento interessante e que nos deixa apreensivos para saber o que realmente esconde. Existem, sem dúvida, uma boa recompensa para quem conseguir saber os segredos que esta esconde, mas será que vale a pena? Deixo isso nas vossas mãos.

Conclusão

Eu sinceramente gosto desta expansão. As novas anomalias principalmente, deixaram-me perplexo com o quanto afectavam agora o meu jogo. Embora nem todas fossem positivas isso não é, de todo, algo mau. Segundo palavras da própria Paradox Interactive, com Distant Stars, o número de anomalias aumentou cerca de 50%, um valor que é preciso ter em conta.

A única coisa que me deixou um pouco de pé atrás é o facto de ter sido ainda mais limitado o espaço afectado pela guerra. Sendo um espaço um lugar praticamente vazio, é muito limitador fazer uma guerra contra outro império de grandes dimensões e ter apenas um ponto de entrada para as nossas naves. Embora existam wormholes e gateways é preciso lembrar que não são propriamente tecnologias de início de jogo.

No more articles