A AMD pôs a Intel em sentido em 2017, trazendo competição séria para o mercado dos processadores mainstream com a sua nova linha AMD Ryzen, sem descurar a linha entusiasta onde lançou os AMD Ryzen Threadripper. Agora, AMD Matisse está no horizonte, e é muito promissor.

O que nos reserva o futuro da AMD?

Como é habitual, tanto a Intel como a AMD trabalham com projectos relativamente longos. Um processador não é algo rápido de criar. Com isto, surgem na internet os leaks dos planos das companhias.

O roadmap da AMD surgiu no mundo digital e mostra-nos o que a companhia tem planeado para os próximos anos.

Em 2018 já se sabe que teremos a série Pinnacle Ridge, baseada na atual arquitectura Summit Ridge. Esta será optimizada, e possivelmente virá num processo de 12nm, mas compatível com o atual socket AM4.

O que nos deixa curiosos é a linha AMD Matisse, planeada para 2019. Seguindo o nome do pintor Henri Matisse, esta linha será uma segunda fase do atual projecto – Zen 2. E segundo os fortes rumores, a AMD tentará trazer processadores com um processo de fabrico FinFET de 7nm!

Outro destaque vai para o lançamento dos Raven Ridge para soluções mobile, nos portáteis, a ser lançado em 2018 com a arquitectura gráfica Vega integrada, compatíveis com socket AM4/FP5. Estes serão rapidamente substituídos numa optimização com a série Picasso.

Quanto às placas gráficas dedicadas, estas não ficam esquecidas. As Vega 20 deverão chegar na segunda metade de 2018, com um processo de fabrico FinFET de 12nm.

Será desta que a AMD domina claramente o mercado?

Provavelmente não, mas é bom assistir ao (re)aquecer da concorrência entre os grandes players.