1…2…3! Fez-se WebSummit com o rockeiro Stephen Hawking!

Teve inicio hoje a segunda edição em português do Web Summit, numa segunda-feira com Opening Night a começar no final do dia com cerca de 15 mil pessoas no Meo Arena aka Altice Arena!

O Web Summit 2017 foi lançado em palco pelo seu criador, Paddy Cosgrave, acompanhado de António Costa e Fernando Media

Paddy deu as boas vindas a todos com uma apresentação de imagens da cidade anfitriã, a nossa Lisboa, ao som de uma música portuguesa – Parte de Mim, dos Orelhas Negras.

Cosgrave aproveitou o momento para forçar a interação pessoal entre a audiência, convidando-os a apresentarem-se a pelo menos três pessoas na Arena, uma vez que uma das temáticas do evento é mesmo networking.

Nada como um simples olá para quebrar o gelo

Num evento que junta milhares de pessoas de dezenas, ou centenas, de países, a tecnologia e redes sociais estão na ordem do dia, e contaremos ao longo dos próximos três dias com diversas personalidades e lideres de empresas de sucesso para nos falarem das suas experiências e do que esperam para o futuro nas diferentes áreas.

Hoje o palco já serviu para algumas figuras lançarem os temas que serão falados nos próximos dias. António Guterres subiu para nos falar das alterações climáticas, num ano em que o nosso país foi severamente afectado e o calor nas últimas semanas de Outubro é prova disso, e salientou que o Acordo de Paris não é suficiente, procurando apelar para a inovação e o uso desta para melhorar o nosso ambiente.

António Costa e Medina salientaram a importância de um evento da magnitude do Web. Sendo que Fernando Medina ainda ofereceu um astrolábio a Paddy Cosgrave, o instrumento inovador à 500 anos atrás que ajudou Portugal e Lisboa a descobrirem o mundo.

E surpresa!

O primeiro convidado a sério no palco foi Nuno Sebastião, CEO da Feedzai que opera na área da IA anti-fraude, mas as luzes da ribalta focaram-se intensamente pouco depois na surpresa, a estrela da noite, uma das mentes mais brilhantes da humanidade, Stephen Hawking

Sou um optimista

Declarou-se Stephen ao referir-se sobre a busca pela Inteligência Articial (IA), e de que acredita que é possível criar IA para o bem do mundo. Ouvir isto de Stephen Hawking faz-nos esquecer por momentos os riscos do Skynet se tornar real…

Stephen Hawking falou ainda sobre a esperança de que, talvez com a actual revolução tecnológica, que se cimenta no desenvolvimento da IA, poderemos vir a encontrar soluções para os danos causados pelos últimos séculos de industrialização. Tal como erradicar doenças e até a pobreza.

Hawkings acredita num mundo ideal…

A seguir Bryan Johnson subiu ao palco, CEO da Kernel, aproveitou o repto de Stephen Hawking para falar dos medos em torno da IA. Usou para isso uma analogia, com os medos primários de uma criança, a sua filha até. Para Bryan é normal ter-se medo de algo que se desconhece, mas que tal como os medos das crianças, estes podem ser ultrapassados. A preocupação maior é com o comportamento humano e não com a IA.

O palco teve ainda espaço para a comissária europeia para a concorrência Margrethe Vestager que esteve à conversa com Kara Swisher. Margrethe foi responsável pela multa superior a 2 mil milhões de dólares aplicada à Google há umas semanas atrás, e foi essa empresa o exemplo usado pela comissária ao falar da concorrência justa.

Falou do seu orgulho no mercado europeu, especialmente face ao americano. Mercado o nosso onde acredita que se construiu um mercado justo, preocupado com o ambiente e condições de trabalho, democrático.

Até dia 9

Vão passar mais convidados pelo palco do MEO Arena, bem como os outros palcos montados pelo espaço do evento! Mas as conversas são uma parte, outra são as centenas de stands de empresas e startups espalhadas pelo evento que procuram mostrar os seus produtos!

Nutella Man

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

eight + four =