A querida personagem dos anos 80, Super Mario, chega por fim aos smartphones, mas apenas para os dispositivos iOS. Os utilizadores de Android terão de esperar.

O jogo é o mesmo de sempre, com Mario a tentar resgatar a princesa Peach do vilão Bowser. Pelo caminho, os jogadores enfrentam desafios bastante familiares, como as plantas piranhas, os cogumelos e as tartarugas de diferentes cores e tamanhos. No entanto, ao contrário do que acontece nas consolas, agora os jogadores devem tocar no ecrã para saltar.

Se quiseres jogar mais, deves pagar

Mas claro, agora vem o que não esperávamos. A aplicação é gratuita, até certo ponto. Poderás jogar um bocado, mas se quiseres experimentar todo o jogo, deverás fazer um pagamento, compra, de 9,99€.

Trata-se de um jogo da casa e que a Nintendo claramente não lançaria sem receber nada em troca. Todos sabemos que os utilizadores de iOS são os que mais facilmente pagam por Apps. Por isso, é que a Nintendo entrou em parceria com a Apple para lançar o seu primeiro jogo de versão móvel. Isto, claramente, sem ter em conta o Pokémon GO e Miimoto, que são gratuitos.

Cá na NewEsc achamos que foi uma má jogada. Tornar este jogo num Freemium, pode chamar mais atenção das pessoas que o instalaram para testar. Mas um grande número de utilizadores dificilmente pagará. Se fosse totalmente gratuito, mas com microtransações, como o SuperCell, teria mais sucesso.

Segundo Miyamoto, apenas os iPhone têm capacidade suficiente

O criador do jogo disse em entrevista à CNN que só agora a industria de dispositivos móveis está a chegar a um nível de desenvolvimento que torna possivel a integração de jogos com qualidade e rendimento aceitável para a Nintento. Mas atenção, não foi apenas isto que foi dito.

“O poder e rendimento que podemos obter de um iPhone, especificamente para jogos, chegou ao nível em que coincide com as nossas expectativas de rendimento que queremos para os nossos jogos”, disse Miyamoto à CNN.

Não queremos criar controvérsia, mas isto parece-nos algo descabido, por duas razões:

  1. A nível de rendimento, muitos smartphones tanto com iOS como também com Android, estão muito a cima das consolas da Nintendo. A quantidade de emuladores existentes para dispositivos móveis é prova disso;
  2. A razão pela qual escolheram lançar o jogo para iPhone foi puramente financeira, e não terá nada a ver com rendimento. Acreditamos que muitos smartphones Android, de gama média e baixa até, poderiam executar este jogo sem grandes problemas.

Como dissemos, tudo se traduz em dinheiro. Segundo Newzoo, é esperado que a Nintendo consiga que 500 milhões de pessoas façam o download do jogo nos primeiros tempos. Se 3% destas comprarem o jogo,a Nintendo já terá um bom lucro.

Atenção, agrada-nos bastante a ideia de que a Nintendo comece a alargar os seus horizontes e a lançar o seus jogos para os dispositivos móveis, as novas consolas universais de hoje em dia. Mas arranjar este tipo de desculpas para justificar as suas escolhas financeiras, é um insulto para os utilizadores de Android.

E nós dizemos isto, tendo dispositivos iOS e Android, sendo fãs do que ambos são capazes.