A Sony tem procurado uma forma de competir com os smartphones de topo dos principais concorrentes, seja o iPhone, os Samsung Galaxy ou novos Huawei. Mas sejamos honestos: não tem tido sorte nisso. Prova são os números em queda das suas vendas. O Sony Xperia X Performance foi uma aposta que não estava ao mesmo nível que outros como o S7, LG G5 ou Xiaomi Mi5.

Apresentado na IFA de 2016 em Berlim, o Sony Xperia XZ parece ter o que a Sony precisava. Lançado no inicio de Outubro, chega-nos agora às mãos para ser posto à prova. Tem este novo flagsphip chance de competir no mercado dos smartphones de topo?

Unboxing e Primeiras Impressões

A caixa que nos foi enviada correspondia a versão de pré-venda, contando assim com um pequeno bónus, os headphones XB950BT, podem encontrar por 110-140€ nas Amazon.

sony-xperia-xz-caixa-e-dispositivo

Olhando apenas à caixa correspondente ao telemóvel, trata-se de uma caixa simples semelhante às anteriores de versões anteriores, e também de outras marcas. No seu interior encontramos o dispositivo juntamente com um cabo USB Type-C e o correspondente adaptador AC 5V/1.5a.

Design elegante mas pouco original

No que toca ao design, muitas marcas procuram imitar os designs da Samsung e iPhone. Mas a Sony, tal como a LG, tem conseguido manter a sua identidade e lançar dispositivos com designs diferentes e com qualidade.

Este Xperia XZ não foge muito ao design apresentado na linha Z. Com umas linhas refinadas e polidas, apresentando o mesmo aspecto recto e com cantos pontiagudos, fugindo à moda de encurvar tudo o que é arestas e vértices. É tão recto, que é possível equilibrar o dispositivo verticalmente sem problemas.

sony-xperia-xz-ecra-frontal

O dispositivo tem três tipos diferentes de materiais, sendo um deles o vidro na parte frontal. Na moldura temos policarbonato e a parte traseira é metálica. Esta liga metálica (Alkaleido) é uma marca comercial da produtora japonesa Kobe Steel, e foi escolhida pela Sony para conferir uma identidade única ao terminal.

A cor do dispositivo que recebemos é Mineral Black, contudo esta liga metálica é capaz de reflectir a luz em alguns tons diferentes, próximos de purpura escuro. E tendo um aspecto muito bom, tem um ponto fraco – a facilidade com que fica com marcas dos dedos, o que nos dificultou a vida para as fotos do modelo.

sony-xperia-xz-parte-lateral

De resto, o aparelho conta com a entrada jack 3.5mm para os headphones na parte superior, porta USB Type-C na parte inferior e todos os botões do lado direito. A meio encontra-se o de energia, que incorpora o leitor de impressões digitais que suporta até duas impressões. Mais para baixo os botões de volume e de disparo das fotografias. Do lado esquerdo temos, subtilmente, o Slot para o cartão nano-SIM e microSD. Existe um modelo deste dispositivo com suporte dual-sim.

Marcas de dedadas à frente no vidro e atrás na parte metálica são de esperar

Esta colocação dos botões é habitual nos dispositivos da Sony, mas nunca conseguimos habituar-nos à mesma. Para nós, o botão de volume tem de estar na metade de cima da parte lateral, para um acesso muito mais fácil quando usamos apenas uma mão. Mesmo assim, trata-se de uma questão de gostos e de tempo para acostumar-se.

Ecrã de qualidade

Apesar das marcas de dedadas que facilmente borram o ecrã, este é de qualidade. Com um tamanho de 5.2″ é um ecrã com uma dimensão normal para o que encontramos hoje em dia no mercado. Neste caso, o ecrã não é tão largo como alguns dispositivos, por exemplo o LG G4, mas é comprido, podendo ser grande para quem tiver mãos pequenas.

Conta com uma resolução de 1080 x 1920, o que pode ser curto quando neste segmento olhamos para um Samsung S7 ou um LG V20 com 1440 x 2560. Mas acaba por ser uma boa resolução, a mesma do iPhone 7 Plus, do Mate 9 da Huawei e do Mi Note 2. Além do mais, pouca diferença se nota na realidade entre as duas resoluções em ecrãs de smartphones/phablets. O que faz realmente diferença é a qualidade do painel.

Sony Xperia XZ

No caso do XZ é de boa qualidade, um IPS LCD. Conta com Corning Gorilla Glass e duas tecnologias interessantes: Triluminos display e X-Reality Engine, as quais servem para obter melhores níveis de cores, brilho e contraste.

Os ecrãs são uma das imagens de marca da Sony, que liderou por muitos anos o mercado de ecrãs televisores. Este conta com bons níveis de brilho, facilmente ajustáveis, e também de contraste. Este ecrã conta assim com uma boa visualização, mesmo ao ar livre debaixo do sol, debaixo do qual consegui sempre ver as fotos que tirava, durante e depois em galeria, bem como vídeos e simples navegação pelo sistema sem ter de segurar o telefone em posições estranhas para ter sombra e ver o que estava a fazer.

Rendimento de topo de gama

Estivemos uns dias a experimentar o dispositivo e no geral o resultado foi bastante positivo. Sendo que o melhor para nós foi muito a câmara principal. Contudo, antes de falar do seu rendimento e de todos os aspectos relacionados com este, vejamos as suas características:

  • Ecrã: 5.2″ FHD IPS LCD
  • Processador: Qualcomm MSM8996 Snapdragon 820
  • GPU: Adreno 530
  • Armazenamento: 32 / 64 GB (expansivel via microSD até 256GB)
  • RAM: 3 GB
  • Câmara Principal: 23 MP, f/2.0, 24mm, sensor 1/2.3″, HDR e com LED flash (Sony IMX300)
  • Câmara Secundária: 13 MP, f/2.0, 22mm, sensor 1/3″, 1080p, HDR
  • Bateria: 2.900 mAh Li-Ion, não removivel
  • Sistema: Android 6.0.1 (Marshmallow), upgrade planeado para 7.0 (Nougat)
  • Certificação: IP68 (à prova de pó e água)
  • Conectividade: LTE Cat.9 (450/50 Mbps); Dual-band Wi-Fi a/b/g/n/ac; GPS/GLONASS/Beidou, Bluetooth v4.2
  • Outros: USB Type-C, entrada 3.5mm para headphones, leitor de impressões digitais;
  • SIM: Single e Dual
  • Peso: 161 g

sony-xperia-xz-smartphone

No tempo que o utilizamos não sentimos qualquer travamento nas diferentes aplicações. Além dos testes de benchmarking realizados, que levam alguns componentes ao limite, demos uso a diversos sensores como GPS e Giroscópio através de aplicações como Google Maps e City Maps, em simultâneo com Pokémon GO até, e Wi-Fi. Na troca entre as aplicações não tinha lentidão, nem quando abria a câmara para as fotografias, e esta abria sempre de forma rápida.

Testes

Para os nossos testes, a habitualmente optamos por duas ferramentas: AnTuTu e PCMark para Android. A primeira é a mais conhecida e utilizada para dispositivos Android, mas com a segunda podemos analisar muitos mais factores.

Sony Xperia XZ

Como podemos ver no benchmark anterior, a bateria tem uma duração media. Ainda assim, sem um uso extremo, é capaz de durar um dia completo. Imaginando um dia em que saiam de casa de manhã e cheguem pelo fim do dia, do trabalho ou estudos. Com um uso mais prolongado, se calhar teríamos mais tempo para o sistema se adaptar aos nossos hábitos e carregamentos.

Em termos de áudio, a nossa opinião é um misto. Tem as colunas onde as deviam de ter todos os smartphones e tablets: a frente. À semelhança de alguns Huawei e Nexus, conta com colunas na frente, uma em cima e outra em baixo. Contudo, a qualidade de som não é a melhor. Este não deslumbra e se tiverem o telemóvel nas mãos sentem bastante vibração, mesmo com o volume baixo.

Câmara excepcional

Talvez a maior arma deste dispositivo e a principal razão pela qual deviam comprar este terminal é pela sua câmara. Esta incorpora o sensor Sony IMX300 que o Sony Xperia Z5 integra, mas com algumas diferenças.

sony-xperia-xz-camara

Oficialmente com 23MP, a câmara principal permite tirar fotos em dois modos de proporção: 4:3 e 16:9. Se usarmos o primeiro, o sensor tirará uma foto com 22.8MP, no segundo caso a imagem contará com 20.1MP, ajustando-se assim à relação de proporção.

A câmara conta ainda com uma lente com ângulo ultra-wide e abertura f/2.0. Conta com melhorias face ao sensor do Z5, no que diz respeito ao SteadyShot, contando com estabilização de imagem com cinco eixos.

Além disto, a app de câmara também integra alguns filtros que adicionam diferentes efeitos às fotos, como o de “efeitos vivos” nas imagens como dinossauros e a vista panorâmica. Vale a pena recordar que nestes modos especiais, principalmente na adição de objectos ‘vivos’, o dispositivo aquece um pouco, pois faz trabalhar o seu processador.

fotos-sony-xperia-xzPodem ver todas as fotos em máxima resolução neste link

No modo auto-superior, o que provavelmente muitos de nós usarão, a câmara adapta-se rapidamente às necessidades, seja movimento, macro, paisagem, retrato, baixa ou alta luminosidade, ou um misto destes! Conta ainda com uma funcionalidade de previsão do movimento. Ao preparar a fotografia, podemos tocar no ecrã  sobre o objecto ou pessoa que queremos manter focado. Algo bastante bom para, por exemplo, fotografar crianças ou cães!

A interface desta é bastante intuitiva, contando com os habituais modos de fotografia e video, como vimos, e definições. Uma coisa a ter em conta, neste dispositivo, é que vem com 8MP (16:9) definido de origem, por isso deverão trocar para obter a melhor qualidade.Sony Xperia XZ

Quanto à experiência com a câmara, foi bastante boa. Achamos o resultado final das fotografias tiradas bastante boas, isto vindo de um péssimo fotografo! Ao abrir a câmara e apontar, o sensor adapta-se rapidamente, focando a imagem para o melhor resultado. Ainda assim, no caso de objetos em movimento, será melhor pressionar o que queremos focar. Quanto a macros, notei que esta com menos luminosidade, ao final do dia, tinha dificuldade em focar, isto notei numas flores que encontrei numa vedação.

Tirando este ponto, foi fácil de utilizar, excepto nos momentos em que tentamos o mais difícil, tirar fotos a andar. Nestes momentos era uma questão de sorte, conseguindo focar umas vezes e outras não.

Firmware optimizado e limpo

Na interface do dispositivo, contamos com uma versão de Android bastante limpa na sua apresentação. É nos apresentando o básico e que todos gostamos de ter à mão, com ênfase nas aplicações multimédia.

Sony Xperia XZ

Conta com uma versão 6.0.1 do Android, com uma atualização para Nougat em breve. Parece estar bem optimizado, pois como já referimos, não encontramos problemas na performance do dispositivo, mesmo em multitasking.

O sistema vem quase limpo, contando com algumas aplicações da Sony que podemos não usar, uma vez que estas só ficam ativas e se atualizam quando as abrimos e lhes damos permissão. A funcionalidade mais interessante das suas aplicações, talvez seja a da PlayStation. Esta permite jogar, via Wi-Fi, os jogos da nossa consola Sony PlayStation 4 no ecrã do telemóvel. Algo que pode dar jeito, se bem que 5.2″ não será a melhor dimensão para a maioria dos jogos desta consola.

Preço e Conclusão

O Xperia XZ é uma evolução do Z5, mas nada revolucionário, e não deve ajudar às contas da marca na venda de smartphones. Não é uma grande evolução, já que apresenta muitas características semelhantes, logo a começar pela câmara que foi apenas otimizada.

A marca podia ter aproveitado e subir a resolução do ecrã, que com apenas 1080p parece pouco comparando com alguma competição. Também podiam ter aumentado a memória RAM (3 GB começa a ser pouco) e o tamanho da bateria. Em termos de design a marca parece ter conseguido alcançar o chamado premium, muito graças à liga metálica usada na parte traseira.

sony-xperia-xz-botoes-laterais

O dispositivo será uma boa compra principalmente para quem tenha dispositivos mais antigos e procure uma boa solução e com um design diferente. Contudo, os 3 GB de RAM ficarão curtos em pouco tempo, mais precisamente dentro de um ano.

Review de Sony Xperia XZ - o novo flagship de X a Z
Câmaras com excelentes prestaçõesSuporte MicroSDResistência a água e pó - IP68 Design e construção de qualidade
Apenas 3GB de RAMBateria algo curtaFacilidade de marcas de dedadas
85%Valor Total
Design83%
Ecrã82%
Rendimento81%
Câmaras90%
Ecossistema87%
Votação do Leitor 1 Voto
89%