Review – Hearts of Iron IV – Together for Victory

Apenas 6 meses após o lançamento de Hearts of Iron IV, a Paradox Interactive lança a primeira expansão para este jogo: Together for Victory. Como esta produtora já nos habituou, esta expansão vem apenas adicionar novo conteúdo não indispensável ao jogo original, mas que traz mais alguma imersão e novas possibilidades para um jogo que foi lançado já em muito bom estado.

Com esta expansão foi lançado também conteúdo gratuito para todos os que não comprarem Together for Victory, e que trazem algumas possibilidades interessantes. Vamos estudar ambas e a forma como interagem com Hearts of Iron IV. Com um preço de 15€, ou o equivalente regional, será que esta expansão vale a pena? É isso que vamos tentar descobrir.

Será que vale os 15€? Vamos tentar descobrir isso

Árvores de Focos Nacionais e Eventos

Embora existam alguns eventos relacionados com as mudanças em relação aos países da Commonwealth, a grande reviravolta surge nas novas árvores de focos nacionais para 5 países: Canadá, Austrália, Nova Zelândia, o Raj (Índia) e a África do Sul. Todas elas são substancialmente maiores do que as que já existiam para os países mais importantes da Segunda Guerra Mundial.

A alteração mais óbvia de Together for Victory é inclusão de 5 novas árvores de focos nacionais para os países da Commonwealth

Isto acontece para dar a hipótese ao jogador de seguir o caminho que quiser. Um dos melhores exemplos, e uma das que mais gostei, é a da África do Sul com hipóteses extremamente interessantes. Em relação à nossa política interna temos um total de 5 grandes opções com resultados muito diferentes:

  • Existe o caminho histórico: continuar próximo ao Reino Unido, aceitando que somos um Domínio, afastando a influência nazi e mesmo assim ganhando algum controlo sobre algumas colónias inglesas,
  • Virar fascista e procurar o apoio alemão. Isto implica que sairemos dos Aliados, nos tornemos completamente independentes e nos juntemos ao Eixo,
  • Virar fascista mas independente do Eixo. Com esta opção saímos dos Aliados, podemos formar a nossa própria facção e ganhamos justificações de guerra contra o Reino Unido,
  • Virar comunista e procurar o apoio dos soviéticos. Esta opção é a mais simples, garantindo a nossa independência e juntando o nosso país à facção comunista,
  • Virar comunista e liderar uma revolução anti-colonialista. Com esta opção ganhamos várias justificações de guerra que nos permitem libertar algumas das colónias em África: Angola (Portugal), Moçambique (Portugal), Madagáscar (França), Quénia (Reino Unido), Zimbábue (Reino Unido) e Zaire (Bélgica).

Obviamente a primeira coisa que tentei fazer foi tentar libertar todas as colónias de África numa esperança de esquecer os milhares jogos como fascista

Existem ainda mais 4 ramos com as escolhas habituais: Indústria, Pesquisas Navais, Aéreas e Terrestres. Todas as árvores são bastante comuns em relação às escolhas gerais que dão, mas tendo em conta alguns dos acontecimentos importantes que ocorreram durante esta época conturbada.

Sistema de Autonomia

Com esta nova expansão, os países do jogo podem ser uma de 5 categorias diferentes:

  • Free:
    • Não tem qualquer tipo de restrições.
  • Dominion:
    • Vende ao mestre acima do limite das leis económicas e mais barato,
    • Não pode declarar guerras,
    • Não pode rejeitar chamadas para a guerra,
    • Recebe 100% do bónus de partilha de tecnologia.
  • Colony:
    • Vende ao mestre acima dos limites de Dominion e ainda mais barato,
    • Não pode declarar guerras,
    • Não pode rejeitar chamadas para a guerra,
    • Recebe menos bónus de partilha de tecnologia,
    • Mestre pode recrutar tropas da colónia.
  • Puppet:
    • Vende ao mestre acima dos limites de Colony e ainda mais barato,
    • Não pode declarar guerras,
    • Não pode rejeitar chamadas para a guerra,
    • Recebe menos bónus de partilha de tecnologia,
    • Mestre pode recrutar tropas do Puppet com mais facilidade que em Colony.
  • Integrated Puppet:
    • Vende ao mestre acima dos limites de Dominion e ainda mais barato,
    • Não pode declarar guerras,
    • Não pode rejeitar chamadas para a guerra,
    • Recebe menos bónus de partilha de tecnologia,
    • Mestre pode recrutar tropas do Integrated Puppet com mais facilidade que em Puppet,
    • 25% da indústria civil e 75% da indústria militar é controlada pelo mestre.

hearts_of_iron_iv_autonomia_together_for_victory

Quando um país está numa categoria em específico ele não fica preso a ela o resto do jogo, como acontecia anteriormente. Para um país aumentar a sua autonomia pode fazer alguns passos para tentar ser novamente livre, ou então um pouco mais independente:

  • A construção de edifícios pelo mestre no nosso país,
  • Recrutamento de tropas do nosso país ou utilização das mesmas em batalha,
  • Fornecer equipamento ao mestre,
  • Foco nacional,
  • Ganhar participação na guerra,
  • Vender recursos ao mestre.

Claro que isto também funciona de forma inversa, ou seja se, por exemplo, pedirmos equipamento ao mestre, vamos perdendo uma parte da autonomia ao longo do tempo. Esta é outra mudança muito interessante, que nos permite uma maior diversidade de opções, quer como mestre como país dependente, e que dá uma maior profundidade ao jogo.

Alterações no Lend-Lease

Em relação à troca de equipamento entre países houve uma grande alteração que, apesar de ser incrivelmente poderosa e importante, não devia pertencer à expansão paga. Isto porque afecta o jogo de uma forma tão profunda que deveria estar incluída no jogo original. Apesar de entender que possam alegar esquecimento ou falta de tempo, não entendo como se pode pedir dinheiro por esta opção.

A funcionalidade de pedir lend-lease não deveria pertencer à lista de conteúdo pago

Falo, claro, da opção de pedir lend-lease. Apesar de já podermos enviar material, sempre foi uma experiência estranha fazer este envio, porque não sabíamos realmente do que o nosso aliado tinha falta. Isto acontece porque não era fornecida a informação da sua produção e stocks e o país em necessidade não tinha a possibilidade de pedir equipamento.

hearts_of_iron_iv_lend_lease_together_for_victory

Esta é a principal razão pelo qual tenho sentimentos confusos em relação a esta alteração. Apesar de aplaudir a correcção desta falha, esta deveria ser oferecida porque é, basicamente, o que estava a ser oferecido no jogo original, mas a funcionar mal. No meu ponto de vista, é quase como pedir dinheiro pela correcção de um bug no lançamento do jogo.

Plano de Batalha: Spearhead

Esta opção vem complementar de forma muito interessante outra alteração do jogo. Principalmente para o jogador mais experiente, no qual me incluo, modéstia à parte, ganhar uma guerra equilibrada resumia-se a tentar cercar tropas de forma a fazê-las render e, assim, diminuir o número de divisões do inimigo. Depois de alguns ataques bem sucedidos, o empate desfazia-se tornando a vitória numa questão de tempo.

Para o jogador experiente desempatar uma guerra era uma questão de cercar inimigos

Com esta actualização, e isto veio incluído na expansão gratuita portanto parabéns à Paradox, o AI tornou-se muito mais inteligente e evita a todo o custo que isto aconteça. Deixem-me que vos diga, o AI tornou-se um especialista a evitar esta situação. Apesar de contra inimigos mais fracos não ser nada de outro mundo, o que é natural, em batalhas equilibradas é literalmente impossível fazer isso.

Para tentar facilitar este trabalho, embora com o risco de que o plano seja furado e quem acabe cercado somos nós, temos um novo plano de batalha chamado Spearhead. Basicamente, faz exactemente o mesmo que o plano normal de ataque, diz às tropas para irem até um certo sítio, mas com uma pequena alteração, as tropas fazem-no o mais rápido possível, sem que pensem muito em ter de tapar buracos que ficam para trás.

hearts_of_iron_iv_spearhead_together_for_victory

Apesar da maior inteligência do AI, podemos tentar usar este novo comando para tentar cercar tropas com poucas defesas, de preferência com divisões rápidas, para garantir que o fazemos mais rapidamente que o nosso inimigo. Esta opção é extremamente interessante, já a experimentei por várias vezes, algumas com sucesso, outras não, mas é tão perigosa para o atacante como para o defensor pelo que deve ser usada com cuidado.

Partilha de Tecnologia

Esta é outra das adições de Together for Victory que tornam o jogo muito interessante e, na minha opinião, mais perto do que aconteceria na realidade. Quando um país conclui a pesquisa de uma tecnologia, todos os seus aliados recebem um bónus no tempo de pesquisa desse mesmo avanço. Este bónus é ainda maior consoante o número de países que tiverem feito essa pesquisa.

Quando um país acaba uma pesquisa, os seus aliados recebem um bónus de tempo para esse mesmo avanço

Esta partilha de tecnologia só se verifica entre aliados, ou seja, não ganhamos qualquer bónus se tivermos fora de uma facção. Ao longo do jogo apercebemo-nos do poder desta opção, chegando muitas vezes a optar por escolher uma tecnologia só porque já tem um grande bónus e esperar que alguém abra o caminho do que queríamos.

hearts_of_iron_iv_partilha_de_tecnologia_together_for_victory

Principalmente para os países mais pequenos e para os que dependem de um mestre, estes apoios na tecnologia são uma ajuda tremenda. Quando temos 2 ou 3 espaços para pesquisar tecnologias, qualquer bónus faz muita diferença a longo prazo.

Relatórios de Batalha

Esta funcionalidade era pedida há muito e vem esclarecer o jogador onde estão os problemas nas suas batalhas. Através desta ferramenta podemos analisar as perdas em batalha, quer de soldados, quer de equipamento. Podemos ainda ver as perdas sofridas por atrito, ou seja, quando estamos em território inimigo, ou pior ainda, quando estamos em terrenos hostis como desertos ou em temperaturas extremamente baixas.

hearts_of_iron_iv_relatorio_de_combate_together_for_victory

Além de podermos analisar cada batalha individualmente, o que é interessante para perceber o sucesso do nosso progresso, podemos analisar o plano geral, para uma imagem mais completa do conflito. Além disso, pode ser ainda analisado cada teatro de batalha, cada general, ou até a percentagem de vitórias que cada tipo de template que temos no terreno está a somar.

Alterações na Defesa

Esta foi uma das melhores alterações de Together for Victory. Tão simples mas, no entanto, tão poderosa e útil. No passado, quando dávamos a ordem a um grupo para defender um terreno, o que acabávamos por verificar era que eles nem sempre faziam o que queríamos. O que eu acabava por fazer era ter de dividir por vários pequenos teatros de acção para ter tudo o que queria de início.

As diferentes opções na defesa vêm resolver um problema do jogo original e são extremamente bem vindas

Se quisesse eliminar rebeldes, vigiar portos, proteger a costa, etc., era tudo executado por uma única ordem. Com esta expansão, quando damos essa ordem temos ainda uma segunda opção: escolher o foco das nossas tropas. Podemos mandar as nossas tropas fazer uma ou mais de um total de 6 opções:

  • Vigiar pontos de vitória,
  • Proteger portos,
  • Proteger a costa,
  • Proteger fortes
  • Proteger aeroportos,
  • Suprimir revoltas

hearts_of_iron_iv_defesa_together_for_victory

Esta foi uma das melhores alterações do jogo, porque assim já só preciso de ter um grupo para fazer a mesma missão, mesmo que seja em todo o mundo. Melhor ainda, existe um contador que vos diz qual o número mínimo de divisões que precisam para executar a missão que desejam em todas as províncias que seleccionaram. Embora possam mandar menos, já sabem que vai haver algo por proteger.

Conclusões

Apesar de todos os países envolvidos nesta expansão terem sido alterados no que toca a nomes de equipamento, seja de tanques, aviões, etc., e de terem recebido também um visual diferente nos seus uniformes, esta expansão fica a saber a pouco, não pela qualidade das mudanças, mas pela quantidade. Apesar desta quantidade ser reduzida, Hearts of Iron IV fica a sentir bastante melhor dando ainda mais controlo ao jogador.

Embora 15€ possa parecer um pouco exagerado, a qualidade das alterações é extraordinária

Se a vossa questão é se vale 15€, é um pouco difícil de responder. Embora gostasse que tivesse mais conteúdo, tudo o que foi adicionado funciona muito bem e melhora a imersividade do jogo, não só para os países recém-remodelados, mas como para todos os outros.

No fim de experimentar Together for Victory chegamos à conclusão de que para alguns de nós talvez 15€ seja um pouco de mais, mas algo posso garantir, depois de os gastarem, provavelmente não se vão arrepender. Se quiserem esperar, talvez consigam alguns negócios interessantes para esta expansão que vai alterar a vossa forma de jogar Hearts of Iron IV.

Por tudo o que vi desta nova expansão de Hearts of Iron IV merece a nota de 80/100 como uma expansão excelente para os fãs do jogo

Review - Hearts of Iron IV - Together for Victory
Novas FuncionalidadesMelhoramentos no AIConteúdo Gratuito Jogo Mais Imersivo e Histórico
Pouca Quantidade de FuncionalidadesAlgumas Funcionalidades Deviam Ser Gratuitas
80%Indispensável para os fãs de Hearts of Iron IV
Votação do Leitor 0 Votos
0%