Review de Dragon Quest Builders: diversão ao cubo
DuraçãoSem limitesBanda sonora
Comandos e CâmaraAs lutas são simples na maioria das vezes
87%Valor Total
Gráficos80%
Duração95%
Diversão85%
Banda Sonora89%
Votação do Leitor 1 Voto
94%

Dragon Quest Builders é o novo spin-off da saga popular do RPG criada há 30 anos por Yuji Horii e Akira Toriyama. Neste jogo, abandonamos de certo modo o género RPG para nos aproximarmos de uma criação de sandbox.

Deste modo, Dragon Quest Builders pode parecer uma cópia de Minecraft, mas assim que mergulhamos neste mundo descobrimos a verdadeira essência deste jogo.

Um mundo que perdeu a capacidade de criar

Em Dragon Quest Builders a nossa personagem é o Construtor. Um herói que desperta de um sono milenar no mundo mágico Alefgrado, o mundo do Dragon Quest original. O Deus que o despertou encarrega o Construtor com a missão de trazer de volta a luz a este mundo. Só ele será capaz de o fazer graças ao seu dom de criação, um talento que os habitantes de Alefgrado há muito perderam.

Dragon Quest Builders Characters

Equipados com a bandeira e tudo o que precisamos para construir, teremos de salvar as ilhas que forma estas terras. Com a bandeira estabeleceremos os acampamentos, que iremos convertendo pouco a pouco em autênticas cidades cheias de vida. Assim que colocarmos a bandeira para fundar o acampamento, começam a chegar os primeiros habitantes.

Eles são que nos irão propor missões, das quais, quantas mais completemos, mais coisas poderemos construir. Assim, mais e mais gente virá para a nossa cidade, atraída pela aparição do lendário construtor. Aos poucos, as nossas ações irão despertando a criatividade dos nossos companheiros, e juntos conseguiremos por fim à escuridão.

Constrói as tuas armas!

No entanto, nem tudo será fácil, e os monstros tentarão travar-nos enquanto tentamos completar as missões, sem contar que nos podem também atacar na cidade. Estes ataques podem ser um grande desafio se a nossa cidade não contar com defesas adequadas ou se o material de construção for muito frágil. Uma simples horda de zombies pode arrasar a nossa cidade antes de conseguirmos chegar a ela para ajudar!

Além disso, teremos que enfrentar o Boss final, um monstro que arrasará a cidade num piscar de olhos, atacando no final de cada capitulo.

dragon-quest-builders-golem

Uma vez derrotado, em cada capitulo, e dissipada a escuridão da ilha, veremos um borrão e…teremos de começar de novo. Pode parecer um inconveniente, mas dá variedade ao jogo, pois os capítulos são muito diferentes entre si, e não apenas quanto ao que podemos construir mas também na história em si.

Destrói, acumula, constrói

Dragon Quest Builders baseia-se neste sistema. Terão de procurar os materiais para construir tudo o que desejem, à semelhança do Minecraft. Os materiais de construção são cubos, sejam de madeira, pedra ou terra. Com eles poderás construir todos os edifícios ou objetos que possam imaginar. Além do mais, cada vez que consigam um novo material, obterão novas receitas para construir outras coisas.

Poderão fazer desde uma tocha a uma mesa de alquimia. Alguns materiais são muito comuns como paus e pétalas de flores, contudo, outros terão de procurar por todo o mundo só para acharem uma unidade. E provavelmente precisarás de mais desse tipo…

As ilhas que compõem Alefgrado são enormes. E todas contam com vários segredos por desvendar, entre pequenas grutas e masmorras ocultas. Explorá-las completamente irá parecer impossível, mas se quiserem aproveitar tudo do jogo, terão de o fazer. No fim de cada capitulo surgirá uma janela a informar dos desafios de cada capitulo. Poderão repeti-los e conseguir uma melhor pontuação. Mas isso não será fácil. Por exemplo, como foi possivel não ter visto três dragões em todo o tempo que joguei?

dragon-quest-builders-dragon

Obscuro e colorido

Talvez se não forem forem fãs da saga ou não a conhecessem até agora, o desenho desta e das suas personagens vos seja familiar de alguma outra série, uma vez que um dos responsáveis é Akira Toriyama, criador de Dragon Ball. Conta com um estilo característico e muito colorido, desde às personagens principais aos monstros.

Alefgrado é um mundo muito variado, com paisagens vulcânicas, pantanosas e planícies. Também conta com bosques, montanhas e rios. Tudo povoado por várias criaturas que não pensarão duas vezes em atacar-nos, ou, no caso de algumas, poderão nos dar alguma missão. De noite o mundo muda e é preciso ter mais cuidado, pois encontraremos mais inimigos e mais fortes, sendo que muitas vezes ir dormir é a melhor opção.

Quanto a nível sonoro, o jogo está à altura do resto da saga. Koichi Sugiyama volta a participar na banda sonora, o que é por si só um bom sinal de qualidade poder contar com este compositor veterano.

Terra Incógnita

Para terminar o jogo, e dar uma maior liberdade criativa, temos um modo de jogo adicional. Terra Incógnita é o modo livre, no qual podemos criar praticamente tudo o que queiramos, quase sem limitações. À medida que vamos completando os capítulos, desbloqueamos novas zonas neste mundo, que servem para procurar mais materiais.

Todas as receitas que descobrimos até esse momento, estarão disponíveis, e o único limite será a nossa imaginação. Além disso, talvez a maior motivação que nos levará a criar diferentes coisas, será a partilha online dessas criações. E mais, podemos inclusive fazer download das criações de outros jogadores e pó-las nas nossas terras. Podemos fazer download de uma quantidade enorme de construções diferentes, de modo que o nosso mundo não terá qualquer limite.

Frustração enquanto companheiro

Um dos maiores problemas que encontramos no jogo foram os comandos. Haverá momentos em que provavelmente terão vontade de dizer uns palavrões por culpa da configuração dos botões. Isso, enquanto coloquem um bloco de pedra ou outra coisa onde não querem. Em situações normais, isto não seria problema, mas enquanto enfrentas algum monstro ou mesmo um boss, é algo verdadeiramente frustrante.

Também o controlo da câmara podia melhorar. Tanto que apenas a podemos fazer rodar em torno da nossa personagem, e aproximar um pouco quando estamos perto do chão. Isto pode ser chato durante a construção de edifícios mais pequenos e com tecto. Sendo que podemos ver a silhueta da personagem pelas paredes.

Se gostam de jogos de criação e construção, este é definitivamente um jogo a comprar. Não só por corresponder a tudo o que é de esperar num jogo do género, mas também porque conta com uma história agradável e divertida, tudo isto com uma pitada de zombies!