Uma vacina contra o ébola foi 100% efetiva depois de ser experimentada na Guiné. A vacina VSV-ZEBOV (replication-competent vesicular stomatitis virus-based vaccine expressing a surface glycoprotein of Zaire Ebolavirus), desenvolvida pela Agência de Saúde Pública do Canadá, e pelos laboratórios Merck, foi experimentada em 7651 pessoas desde o dia 1 de abril até o dia 20 de julho. O resultado: nenhuma dessas pessoas teve a doença.

Esta vacina, anunciada a um ano e meio, é a única que conseguiu bons resultados depois de passar pelas três fases de prova. Esta prova realizou-se utilizando um sistema de anéis, semelhante ao que se utilizou para eliminar a varíola nos anos setenta. Nesta prova dá-se a vacina a todas aquelas pessoas que podem ter estado em contacto com o vírus.

Todas as pessoas que receberam a vacina não sofreram o contagio, pelo que a sua eficácia foi total.

Imagen: Sherry Yates Young - Shutterstock

Os resultados deste estudo, que foram publicados pela revista de medicina The Lancet, serão submetidos a agências reguladoras para obter a licença para a vacina e desta forma poder administrá-la com total liberdade. Mesmo que pareça que esta doença está controlada, a verdade é que ainda existe em muitos países, e ameaça a vida de muitas pessoas na Serra Leoa, Libéria e na Guiné.

O único que falta experimentar para que esta vacina seja definitiva é a realização de algumas provas em grupos. Com estes testes poderemos saber se a vacina permite a imunidade de grupos, isto é, se bloqueia a propagação pela população, mesmo que não esteja vacinada.

Estas noticias dão esperanças àqueles países do continente africano mais afetados pela doença. Além disso, demonstra a evolução da medicina, que num tempo recorde encontrou uma solução para esta epidemia.