Análise ao Huawei Mate 9 - um smartphone para fotógrafos
Câmara principal dupla captura todos os pormenoresBateria bem optimizadaNovo EMUI 5 com Android NougatPerformance impecável
Apenas FHDSem resistência a água
90%Valor Total
Design86%
Ecrã91%
Rendimento93%
Autonomia 87%
Câmaras95%
Ecossistema90%
Votação do Leitor 5 Votos
91%

A Huawei tem crescido imenso nos últimos tempos. Começando com o seu dispositivo de gama media, o P9 Lite, até o P9, que contava com um sensor da Leica. Contudo, a Huawei não queria terminar o ano sem lançar um novo dispositivo, e neste review o apresentamos: Huawei Mate 9.

Recentemente analisámos outros modelos da segunda linha da marca, Honor. Tanto o Huawei Nova como o Honor 8, são duas boas apostas da marca para o final de 2016, contudo tinham um ponto fraco: a câmara. É por isso que se lhe dão muito valor a este componente, o Mate 9 seja uma excelente opção.

Caixinha Premium e Primeiras Impressões

Temos uma caixa simples, e diferente ainda assim do habitual. Hoje em dia muitos dispositivos trazem uma caixa que faz lembrar um tijolo, mas esta do Mate 9 fez-nos lembrar uma caixa de bombons, num tom castanho escuro de chocolate. É simples, onde apenas temos o nome do modelo, e o logo da Leica com referência à câmara dupla.

Na caixa temos um Huawei Mate 9 com o modelo MHA-L29, Moonlight Silver, branco à frente e prateado atrás. A caixa vem bem organizada e recheada, no seu interior encontramos duas caixas rectangulares com três extras cada.

Numa contamos com o manual do Huawei Mate 9, numa bolsinha, com a pequenita ferramenta para a gaveta dos cartões SIM, e ainda uma capa rija de plástico transparente, que é bastante útil, visto que o dispositivo escorrega um bocado devido aos materiais usados. Já na outra caixa, encontramos o que mais uso vai ter, uns auriculares, um cabo USB Tipo C e o respetivo adaptador para carregar o dispositivo.

Huawei Mate 9

Olhando ao para o Huawei Mate 9, à primeira vista é um dispositivo com muito bom aspecto, além de grande. Pelas dimensões o ecrã salta à vista com 5,9″, mas sabemos de ante-mão que não é AMOLED, ainda assim, traz um painel LED IPS é bastante bom.

Design Mate!

Em termos de design, é tudo o que podíamos esperar de um dispositivo da linha Mate. Um ecrã grande, cantos curvos, vidro na frente, metal atrás e alumínio em volta. O dispositivo conta com um ecrã de 5,9″ num corpo com dimensões de 156.9 x 78.9 x 7.9 mm e um peso de 190g. Em poucas palavras: é grande!

Gostamos bastante da sensação que dava, como a Huawei nos habituou nesta gama Mate, é sem dúvidas um design premium, à vista e ao toque.

huawei mate 9

Para usar apenas com uma mão precisam de ter alguma destreza com o vosso polegar, e confiança para não o deixarem cair. A capa que o acompanha é aconselhável para evitar que este deslize. Mas mesmo assim, o ideal é usarem as duas mãos.

Olhando ao dispositivo, o ecrã na frente conta com umas molduras laterais já bastante finas, mas ainda surge com as molduras superior e inferior. Numa delas temos apenas o nome da companhia, sem qualquer botão. No topo temos o auricular/coluna, a câmara frontal de 8MP e o led de notificações.

huawei mate 9

À volta, no aro de alumínio, encontramos a gaveta dos cartões SIM, existindo a versão single e dual-SIM, na base uma conexão USB Tipo C, uma coluna e o microfone. No topo temos uma saída de áudio por Jack 3,5mm e o sensor de infra-vermelhos. Todos os botões do dispositivo estão do lado direito, a posição preferencial para os botões de power e volume.

Na parte traseira temos no fundo mais uma vez o nome da companhia, tal como o selo de certificação de conformidade com as normas da UE, CE0682. Na parte superior, encontramos ao centro o sensor de impressões digitais, bastante responsivo, e a jóia da coroa, o sistema duplo de câmaras da Leica, com 20MP + 12MP para profundidade, com lentes Leica e estabilização óptica (OIS), e o flash duplo ao lado delas. Estas câmaras são algo salientes, fazendo com que a traseira do dispositivo não seja completamente lisa.

huawei mate 9

Desde os cantos curvos, ao posicionamento do leitor de impressões digitais, e materiais usados, a Huawei acertou, sem fugir ao que tipicamente vemos nos seus dispositivos. Quem preferir as linhas curvas do design edge, sempre tem o Mate 9 Porsche Design, ou o Mate 9 Pro.

Quanto a cores, analisámos o modelo branco, ou melhor, Moonlight Silver, como já tínhamos referido. Com a parte frontal em branco, e a traseira metálica em cinza, ou prateado. Existem várias outras opções desde Space Gray, Champagne Gold, Mocha Brown, Ceramic White, Black, e o mais recente, Obsidian Black.

Ecrã enormeee

Como já vimos nesta análise ao Mate 9, este smartphone é bastante grande, com um ecrã de 5,9″, é muita área para se riscar no nosso bolso ou numa mala com chaves e moedas perdidas. A Huawei não divulgou o tipo de protecção aplicada, se existe, no ecrã, contudo este vem com uma película de vidro temperado pré-aplicada.

Huawei Mate 9

O ecrã usado é um painel LED IPS, e como tal, conta com umas cores bastante vivas e fidedignas, mas com algum reflexo em determinados ângulos de visão. Ainda que no preço do Mate 9 encontremos muitos dispositivos com resoluções superiores, este conta com FHD sem perder em nada para os outros, servindo perfeitamente nas 5,9″ do ecrã, e com níveis de contraste bastante altos (1600:1+) que resultam em cores fantásticas.

Usar o dispositivo na rua nunca foi problema por estes dias solarengos de inverno

Neste dispositivos contamos com níveis de brilho bastante equilibrados, que quando em modo automático, adaptam-se bastante bem ao nível de luminosidade do ambiente.

O ecrã é bastante responsivo ao toque, podemos dizer que se sentir alguma fricção ao arrastar o dedo, mas culpo a película pré-aplicada pela Huawei. Estas películas reduzem muitas vezes a sensibilidade, ainda que por bastante pouco.

Rendimento

Já sabemos que o Huawei Mate 10 irá trazer o Kirin 970, com um novo processo de fabrico de 10nm. Mas o recém-chegado Kirin 960 ainda dá bons sinais, apesar do fabrico de 16nm não favorecer o Mali G-71.

Traduzindo isto por miúdos, o processador do Mate 9 é uma máquina, com oito núcleos, é capaz de suportar qualquer aplicação que lhe atiremos. Vem equipado com uma placa gráfica prometedora, mas que infelizmente sofre devido ao processo de implementação, dissipando-se parte do seu poder. O Kirin 970 será uma evolução deste Kirin 960, que irá aproveitar melhor a componente gráfica.

Huawei Mate 9

Como já referimos, o dispositivo vem bem equipado com o Kirin 960, que casa muito bem com os 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno, que pode ser expandido por microSD . Numa altura que se fala de em 2017 surgirem mais dispositivos na gama média com 6 GB e 8 GB, ainda não sentimos dificuldades com os 4 GB deste dispositivo. Ou sou pouco exigente, ou o sistema está bem optimizado ou alguém anda a abrir demasiadas abas com vídeos no Google Chrome.

Que dificuldades sentem com 4GB de RAM?

Mesmo a jogar, apesar de o Mali G-71 não estar aproveitado ao máximo, é capaz de rodar os jogos com bastante fluidez, como o Asphalt 8.

Benchmarking

Como já falámos, em termos de rendimento, o dispositivo não falha. O Kirin 960 aguenta com tudo o que lhe atiremos. Para reforçar a ideia, podem ver os resultados dos testes dos programas que corremos.

analise ao mate 9 pcmark huawei

PCMark para Android

No Geekbench, vemos o Mate 9 a ficar à frente de outros flagships da concorrência, onde o Kirin 960 bate o Exynos 8890 da Samsung.

analise ao mate 9 geekbench huawei

Geekbench

Contudo os testes valem o que valem, já no AnTuTu, cujo valor resulta da performance global do sistema, o dispositivo já fica abaixo do Samsung S7 Edge, por exemplo.

Ainda assim, com um resultado bastante alto, que apenas foi alcançado pelos dispositivos melhor equipados em 2016, principalmente em termos de processador.

analise ao mate 9 antutu huawei

AnTuTu

Bateria

Quanto à bateria, é um mimo. Com 4.000 mAh, conseguimos no PCMark tirar quase 11h e meia de uso intenso! E não esquecer, que além destas 11h26 sobram-nos 20%.

analise ao mate 9 pcmark huawei bateria

A bateria de 4.000 mAh, com um EMUI 5 e Nougat, porta-se realmente bem. Também acaba por ser bem pensado o ecrã FHD, visto que as resoluções superiores consumem mais bateria, como podemos constatar em dispositivos com ecrãs QHD.

No final de um dia, com uso médio-alto, chegamos a casa sempre com 1/3 ou quase metade da bateria. Durante os nossos testes fizemos um uso geral do dispositivo. Desde chamadas e mensagens, Wi-Fi e dados, navegação pela Internet, 9Gag e Instagram, séries nos transportes públicos, e um bocado de Pokémon GO – há que apanhar todos os Pidgey’s.

Áudio

A Huawei trouxe com o Mate 9 o áudio estéreo! Conta com duas colunas: uma frontal, no auricular, e uma na base. O mais interessante é que o sistema de áudio funciona com base no posicionamento.

Sistema de áudio com base no posicionamento

Se tivermos o dispositivo na vertical, notamos bastante o som da coluna inferior, mas com mais atenção, notamos que a coluna do auricular também serve de saída de áudio. A coluna do auricular, mais fraca, dá mais destaque aos níveis agudos, enquanto que a coluna da base, a coluna principal, trabalha mais os níveis médios e graves do áudio produzido.

huawei mate 9

Com o dispositivo na horizontal, modo geralmente usado para visionamento de vídeos, desde YouTube, a séries ou filmes, o áudio distribui-se pelas duas colunas de uma forma mais nivelada, proporcionando um ambiente mais nivelado a que estamos familiarizados do som estéreo.

Claro que, funciona com a Rotação de Ecrã Automática ativa, ou ao usar alguma aplicação de video que põe logo na horizontal.

O som de uma forma geral é bastante limpo e claro, contudo notámos diferenças entre os dois modos. Com o mesmo nível de volume, o áudio parece mais alto em modo vertical do que horizontal, talvez por fazer mais uso da coluna na base que actua como um subwoofer quase.

Câmara Leica

Como já foi referido, o dispositivo conta com duas câmaras, começando por uma de 8MP na frente, e outra atrás com dois sensores Leica, um RGB de 12MP e outro monocromático de 20MP, para detalhe e profundidade. Ambos contam com uma abertura f/2.2 e no caso do sensor de 12MP, este conta com estabilização óptica (OIS), o que é sempre uma adição muito boa, principalmente para especialistas em fotos tremidas como eu.

Ao ligar a aplicação da câmara podemos ver que a principal, atrás, vem em modo de 12MP pré-definido, num formato 4:3, sendo possível mudar para 20MP. Mas com o modo HDR ativo, a resolução máxima a usar é de 12MP. Contudo, o resultado final quer em modo normal quer com o HDR ativo, com esta câmara, não é tão grande como noutros dispositivos, por isso o HDR é facilmente deixado de parte.

Ainda assim, talvez fosse boa ideia poder ativá-lo no ecrã da fotografia, pois ao estar no menu, é mais uma forma de este ficar esquecido.

mate 9 leica camera

Os resultados desta câmara são verdadeiramente bons, principalmente com boa luminosidade natural ou entre paredes, capturando muito bem as cores e resultado numa imagem limpa. Já em ambientes de baixa luminosidade, perde um bocado as suas capacidades, como é natural. Ainda assim, consegue resultados a cima da média quando pensamos em câmaras de smartphones.

A aplicação da câmara está bastante completa e intuitiva. Alguém com conhecimentos de fotografia consegue facilmente obter o melhor resultado, tendo o modo PRO bastante acessível, puxando no ecrã com o dento para cima, aparecem algumas configurações base para modificar conforme o necessário. Ainda que no modo normal se note alguma dificuldade na focagem, é facilmente resolvido tocando no ponto que queremos focar no ecrã.

Huawei Mate 9

Podem ver todas as fotos em máxima qualidade aqui

Para as fotos noturnas temos sempre a possibilidade de usar o modo SuperNoite, contudo para este é preciso algum estabilizador, como um tripé, pois demora alguns segundos. Caso contrário, ficaremos com uma fotografia bastante distorcida, fazendo lembrar alguns quadros surrealistas.

Já na câmara frontal, temos menos modos como é habitual, e contamos com 8MP no máximo, em formato 4:3. Esta consegue bons resultados em ambientes bem iluminadas, noutros com menos luz, faz um bom trabalho ao ajustar o ISO automaticamente.

Sistema – EMUI 5.0

Com uso prolongando ainda somos capazes de apanhar alguns bugs, mas são visíveis as melhorias face à versão anterior. O que mais gostamos foi a possibilidade de optar no estilo de ecrã inicial, podendo usar a gaveta de aplicações que estamos tão habituados a ver nos sistemas Android, mas que no sistema EMUI da Huawei não era usada.

emui5 gaveta mate 9 huawei

O EMUI 5 contou com mais de 400 modificações face à versão anterior

Além da mudança da mudança do estilo de vista das aplicações, também a forma de aceder às opções de dados, Wi-Fi, modo avião etc. Agora simplesmente arrastando no ecrã para baixo acedemos à maioria destas, sem necessidade de ainda ter de aceder a outro menu como acontecia antes.

emui 5

Outra opção interessante no EMUI 5 é a de Aplicações Clonadas, em Definições > Aplicações Clonadas, que permite usar duas contas diferentes na mesma aplicação, desde que tenha suporte para tal. Como por exemplo, ter duas contas activas de WhatsApp ou Facebook, gerindo uma conta pessoal e uma de trabalho.

No geral, o EMUI agora não parece tanto como uma cópia inacabada do iOS, mas algo com uma identidade mais própria. As aplicações da Huawei e o sistema em geral, com novos ícones e temas, mais claros com fundos brancos, tons cinza e azul para destacar.

emui 5

De resto, como vimos quando falámos da bateria, o sistema, baseado no Android 7.0, é uma melhoria notória na otimização da eficiência energética do smartphone.

Vale a pena comprar?

Se procuram um dispositivo que se destaque dos outros, com poder e a cima de tudo, capaz de fotografias de fazer inveja…Sim, vale a pena a compra.

Quem procurar um design mais arrojado, fugindo ao habitual da Huawei presente neste Mate 9, pode optar pelo Porsche Design ou pelo Mate 9 Pro, ambos com formato edge.

Considerando que o Mate 9 conta com um PVPR de 699€, podemos encontrar à venda em várias lojas nacionais entre os 749€ e 769€. Encontramos um preço mais simpático e que corresponde ao PVPR na Amazon a versão de a 699€, mais eventuais portes de envio, onde temos os mesmos 2 anos de garantia e contamos com o suporte ao cliente da Amazon.

Podem ser adquiridas outras duas versões, mais caras. O Huawei Mate 9 Porsche Design, semelhante em muito, mas com design edge, resolução QHD, 256 GB de armazenamento, 6 GB RAM e assinatura Porsche, que deverá estar disponível no inicio de 2017. E o Huawei Mate 9 Pro, também com design edge e mesma resolução, em duas variantes de 64 GB e 4 GB ou 128 GB e 6 GB.