A NVIDIA associou-se ao Departamento de Energia dos EUA e ao Instituto Nacional de Cancro (EUA) para desenvolver a sua primeira plataforma que integra inteligência artificial, chama-se CANDLE – Cancer Distributed Learning Environment.

Nvidia Candle AI

Esta plataforma tem como objetivo acelerar em 10x a investigação pela cura do cancro, servindo-se de supercomputadores modernos equipados com processadores gráficos.

Isto será possível pela aceleração de redes neurológicas que permitem encontrar informação importante e acelerar simulações.

Assim, a plataforma CANDLE vem para dar resposta a três problemas nucleares na pesquisa pela cura.

  • Estudar a assinatura genética em ADN e ARN (Ácido Ribonucleico) das células cancerígenas para prever a sua resposta a tratamentos;
  • Extrair e estudar automaticamente informação de milhões de pacientes por forma a entender melhor como o cancro se desenvolve e como este ressurge;
  • Acelerar a simulação de interacções proteicas para perceber como estas criam as condições para o cancro surgir/crescer.

Ainda não é sabido quando é que esta plataforma CANDLE estará disponível, e mesmo então poderá levar algum tempo até se obterem resultados práticos.
Este tipo de plataformas de inteligência artificial darão mais tempo aos cientistas e médicos para curarem doenças. Em vez de usarem tanto do seu tempo para pesquisa de respostas e observação de análises.
Esta plataforma tem com músculo o DGX-1 que equipa o novo supercomputador da NVIDIA, o DGX SATURNV.